28 fevereiro 2018

das nove às dez


entro na nossa rua sempre ansiosa, já com o controle do portão na mão, pensando que a qualquer momento vou chegar em casa e encontrar meus bagunceirinhos. Entro na garagem, penso em colocar o carro na primeira vaga que vejo. Mas lembro daquela chuva que tivemos há algumas semanas, penso que é melhor colocar na minha vaga mesmo, coberta. Já saio com a chave de casa na mão, e quase corro para o elevador. abro a porta de casa e "silêncio". Penso: "será que já dormiram?" e fico um pouco triste. Mas ouço uns barulhos no quarto e de repente um "mamãeeee". Foi Luquinha. Ele olha para Lulu checando se ela está se preparando para correr ao meu encontro. Porque ele quer chegar antes dela. Rindo, ele vem correndo e me abraça. Dou aquele abraço gostoso, apertado, demorado. De quem ficou o dia inteiro esperando por esse momento. Vem Lulu em seguida: "mamanhê, mamanhê", sem abraços imediatos porque ela quer me mostrar algo. Me dá a mão e me leva até o quarto dela. Pega brinquedos e começa a rir, pular, fazer graça. Rio, brinco, curto a graça e peço um beijinho. Ela vem com todo o amor do mundo e me dá um beijo estalado.

já está na hora das crianças dormirem. estão de dente escovados quando chego em casa. já lancharam, já viram desenho. é só deitar e dormir. Apago as luzes, desligo a TV e deito com eles. Mãos dadas com Luquinha, deito na cama da Lulu, embaixo, ao lado dela. Entre os dois. Lulu se aconchega, vem e me dá vários beijinhos. Sem eu pedir. Eu morro de amores. Luquinha pede que eu cante uma música. Sempre as mesmas; Teresinha de Jesus e Se essa rua fosse minha. Canto como se fosse a primeira vez. Mal terminei de cantar e ele já está dormindo. Lulu quer brincar, eu falo baixinho e digo que temos que dormir. Ela fala baixinho demonstrando que entendeu. Mas em seguida dá uma gargalhada de algo que fiz. Faço de novo porque quero ouvir aquela gargalhada novamente. O pai vem ao quarto: "achei que estavam dormindo, estão brincando?". Dá um beijo na gente, repara que Luquinha já dormiu. "Estava cansado", comenta. Sai do quarto. Fico em silêncio, Lulu faz carinho na minha orelha e no meu braço. Pega no meu cotovelo. Lembro da prima Sossô, que faz isso com os pais até hoje na hora de dormir. Passa alguns minutos e ela adormece.

Saio do quarto feliz. Como é valioso cada segundo desse nosso intenso relacionamento. <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário