31 março 2016

#quintafeiraapaixonada

Estou cansada do Facebook, as pessoas são muito deprê por lá. A vida já é difícil por si só, o Facebook faz ela parecer 1096754 vezes mais difícil... Neste momento, prefiro ser enganada pela felicidade exagerada do Instagram ou pela vida super ativa de todo mundo do Snapchat... Nesta vibe, começamos uma nova fase. No #quintafeiraapaixonada a ideia é falar sobre tudo que está me encantando na semana vigente... Ou na vida! Mas que vale também para a semana vigente. :)

1 Lucas


Posso falar disso todas as semanas, mas vou me reservar o direito de fazer a estreia do blog com ele, que é quem me inspira diariamente, quem me enche de orgulho e quem me traz à feliz realidade de que o que importa, no fim das contas, é o amor! Quando ele nasceu, eu não podia imaginar que meu amor cresceria tanto – e ainda tem tanto a crescer. Diariamente, meu sentimento aumenta (não me pergunte como, é infinito esse negócio). Não é só porque – e principalmente porque – ele é um querido, carinhoso, atencioso, cuidadoso, amigo, companheiro, gente boa toda vida, educado e bom! É porque ele está mesmo cada dia mais lindo! Um gato!

2 João Fernandes (Búzios - RJ)


Estou a algumas semanas do nascimento da Luiza e não sei se terei a chance de ir à praia novamente. No último fim de semana estivemos em Búzios para passar a Páscoa com minha mãe, meu irmão e a Anna, namorada dele. Foi tão bom, mas tão bom! A praia estava especialmente boa e em um dos dias fomos à praia de João Fernandes. Sempre vamos a Geribá, então sentimos bastante a diferença da temperatura da água. Enquanto a segunda está sempre gelada, a primeira estava na temperatura ideal! Fria, mas totalmente suportável! A única coisa é que precisamos entrar com o Lucas sempre porque logo não dá pé… Se tivéssemos levado a boia, não teríamos tido esse problema, mas nem nos atentamos porque Geribá dá para ele brincar sem boia tranquilamente.

3 Relógios Champion


Parece besteira e é tão simples… Mas estou apaixonada pelo relógio Champion que comprei no site do Extra! Ele vem com diversas pulseiras, é super prático, posso usar no dia a dia com qualquer roupa, da mais chique à mais simples, fui à praia com ele, nem sempre tiro para tomar banho (porque sempre preciso saber que horas são, é um desespero quando não sei rs). Melhor aquisição do mês!

4 Óculos Ui!Gafas


Só perde para este óculos que comprei hoje, na Ui!Gafas, por indicação da minha amiga Heda. Aliás, comprei o mesmo modelo que o dela e só não comprei a mesma cor porque não tinha no estoque. Mas fiquei feliz mesmo assim porque o que gostei mesmo foi do formato dele. Lindo e barato! Uma dica preciosa! Obrigada, amiga! O que eu tenho é um Rayban que foi carérrimo e o Igor teve que trazer para mim dos EUA… Mesmo assim, foi caro! Comprei este modelo hoje, então ainda não tenho ele em mãos. E vou precisar marcar uma nova consulta com minha oftalmo para confirmar a prescrição.

5 Kindle Paperwhite


Ganhei meu primeiro Kindle no meu aniversário, há algumas semanas! Consigo dizer porque estou apaixonada somente com três argumentos:
  • ele é super leve e, por isso, consigo ler em qq lugar
  • a bateria dele é quase eterna e, por isso, consigo ler a qq hora
  • ele tem luz (é o paperwhite) e não preciso deixar o abajour ligado incomodando o Igor antes de dormir! O que mais posso esperar?

24 março 2016

#3 coisas que eu amo sobre a gravidez {e #3 coisas que eu abriria mão facilmente se pudesse}

Como quase tudo na vida, a gravidez tem seu lado apaixonante e seu lado insuportável. Quando a gente chega no oitavo mês, este segundo lado ganha mais força...



#3 coisas que eu amo sobre a gravidez

#1 
Sentir o bebê mexer dentro de você

A ansiedade começa quando as pessoas começam a perguntar se você já está conseguindo sentir. Mesmo que sejam pessoas que você sabe que não têm o menor conhecimento sobre isso porque não têm ideia de quando isso deve começar a acontecer, você se pergunta: será que eu já deveria estar sentindo o bebê mexer? Bem, pode demorar um tempo, mas ele começa a mexer e depois mais e mais, até parecer que você tem um verdadeiro alien dentro de você. E te digo, essa é a melhor parte! Às vezes, parece que a Luiza dá cambalhotas na minha barriga! Como, neste momento, ela já está grandona e não consegue mais fazer tamanha estripulia, eu imagino que seja somente ela virando de um lado para o outro. É delicioso do mesmo jeito. Eu amava com o Luquinha, eu amo com a Luiza. E essa para mim é a melhor parte de todas.

#2
Ter a segurança de que o bebê está protegido

É uma percepção que eu só tive quando o Luquinha nasceu. Não tê-lo mais dentro de mim fez com que eu sentisse a insegurança dele "solto no mundo". Sei que não é racional, pois - ainda mais em tempos de zika -, sabemos que o bebê está exposto a partir do momento em que nasce. Mas é diferente. Aqui na barriga, o Luquinha ia e a Luiza vai comigo para onde eu for. Qualquer ameaça externa eu sou - ou me sinto - capaz de combater! Quando o bebê nasce, a sensação é de que, por não podermos levá-los conosco para onde vamos, o bebê estará inseguro.

É claro que é uma sensação sutil, não faz com que a gente fique grudada no bebê 24h por dia. rs Mas eu senti isso e, para mim, é uma das coisas boas da gravidez. São meses que nos garantem um mínimo de segurança.

#3
O mundo parece mais feliz

Todo mundo ri para você na rua, todo mundo é simpático, todo mundo é, ou parece ser, feliz. As pessoas são mais carinhosas, mesmo as que você nunca viu na vida antes. As pessoas são mais atenciosas, se preocupam com o seu bem-estar. Parece que a gente vive em outro mundo. Mas é só durante os meses que a barriga aparece, então, se não parece que você está grávida, essa é uma percepção que você não terá. rs

Receber toda essa energia boa é muito bom! E ela se prolonga quando você tem um bebê nos braços. Quando o bebê deixa de ser bebê e vira criança, já diminui consideravelmente o carisma dos outros. Mas ainda tem algo diferente... Imagino que na adolescência isso acabe de vez. ahahaha

#3 coisas que eu abriria mão facilmente se pudesse

#1
O peso

Neste momento, estou 12kg acima do meu peso normal. É cansativo andar, é cansativo subir escada, é cansativo dirigir, é cansativo pegar ônibus... Eu continuo fazendo tudo normalmente, mas forço bastante a barra. É comum me ver ofegante. É claro, isso não se deve somente ao aumento do peso, mas ao aumento da circulação sanguínea, à anemia e a outros fatores. Mas o peso é o que mais me incomoda... Além disso, o rosto fica inchado, o pé fica inchado, você fica se sentindo feia (pelo menos eu fico) e não tem nada de bom nesse sentido. rs Mentira, uma coisa de bom só: 2,2kg desse peso, neste momento, são da Luiza. <3 É a única coisa boa nisso tudo! rs

#2
Ter a insegurança de que o bebê não está protegido 

ZIka, rubéola, toxoplasmose, infecções... Tem que tomar cuidado com tudo, tem que temer tudo, tem que se proteger de tudo. Tudo o que você faz afeta diretamente o bebê e você se sente totalmente responsável por tudo o que acontece com ele. Se ele ganha muito peso, é porque você está comendo muito doce, se ele ganha pouco peso, é porque você tem que se alimentar melhor. Ou seja, é onde toda a culpa de mãe começa. Nada é por acaso.

#3
Durante nove meses você vive uma vida paralela

Você não fica na rua até tarde porque fica com sono, você (no caso, eu... sei que tem gente que supera essa parte) fica sem disposição para fazer atividades físicas, você come mais do que come normalmente (gente, eu tenho consciência de que estou falando sobre mim, certamente muitas pessoas não vivem nenhum desses dilemas), você não pode beber refrigerante, adoçante, fritura, doce, salgado e nem salada. Ou seja, #comofaz ? Vive infringindo "leis".

***

Resumo da ópera: existe você, você e existe você, gestante. Tem gente que ama o "eu gestante". Eu não amo tanto assim. É lógico que os três primeiros itens compensam qualquer um dos três segundos itens. Eu imagino que deva ser muito difícil para as pessoas que não conseguem engravidar não ter a chance de viver tudo isso e poder listar elas mesmas as coisas que amam ou não amam sobre a gravidez. Mas a realidade é que são apenas nove meses, de uma vida inteira! Nenhum dia, nem um único dia desses nove meses, ao meu ver, são comparáveis aos dias seguintes ao nascimento, a todos os dias seguintes do nascimento do seu filho.

A minha vida mudou com o Luquinha! Não quando eu engravidei do Luquinha, mas quando ele, de fato, nasceu! Ironicamente, estou lendo um livro que uma grande amiga me deu (Virando gente), que estou amando e fala do nascimento do bebê, do nascimento psíquico do bebê. Mas, vejam bem, estamos falando do nosso filho. Aqui, neste post, estou falando sobre mim.

E tem também o fato de que estou escrevendo este texto com 32 semanas de gestação. Talvez se estivesse escrevendo com três ou quatro meses, não haveria nenhum ponto que eu não gostasse... ;)

Bem, gostando ou não gostando, o lado bom é que está tudo bem comigo e com ela. Estamos saudáveis e estamos felizes! :) Apesar de ter que lidar com o peso, a insegurança e a vida paralela, não desejo que nada se antecipe, quero que as coisas aconteçam no seu tempo, custe o que custar. Afinal de contas, é agora também que começa aquela força de mãe que a gente não sabe de onde vem. A gente aguenta o que a vida nos dá! Nem mais, nem menos! <3

21 março 2016

Três notícias sobre corrida que me fazem #MORRERDESAUDADE

Às vésperas de completar 33 semanas de gravidez, meu corpo não consegue mais lidar com a corrida. Na verdade, abandonei os treinos e a academia em janeiro, nas férias do Luquinha, para poder me dedicar a ele, aproveitar o tempo livre juntinho! <3 Depois teve Carnaval e uma coisa foi levando à outra, e acabei parando.

Mas neste fim de semana, pela primeira vez nesta gravidez, meus pés ficaram inchados. Percebi que era porque estava sentada num banco alto por um tempo longo e meu deu um leve desespero pensando que eu tinha que me exercitar. Hoje de manhã, acordei disposta! Coloquei o tênis, a roupa de malhar e fui caminhar antes do trabalho. Foi tão bom!!! Aquele "cheirinho" de endorfina, o suor... Adoro!

Mas não posso mesmo correr... Isso não significa que eu não esteja de olho em tudo o que acontece! Esta semana, vi três notícias que me deixaram super empolgadas para voltar a correr o quanto antes (mesmo que o quanto antes signifique daqui a alguns meses rs):

1 Wings For Life World Run


No dia 8 de maio, em Brasília e em outras 33 cidades do mundo, atletas profissionais e amadores correrão em prol de uma super causa: 100% das taxas de inscrição vão diretamente para pesquisas de medula espinhal. A possibilidade de se inscrever em equipes e concorrer ao desafio de chegar em primeiro lugar está motivando amigos e assessorias esportivas do mundo inteiro.

Segundo a Red Bull, o sucesso entre as equipes acontece porque o grupo com mais corredores aumenta as chances de ganhar o Desafio de Times da WFLWR. Isso porque a vitória é determinada pela soma da distância percorrida por cada membro da equipe. No ano passado, o time ganhador, com 152 inscritos, correu 3229.88 km ao todo, uma média de 21.25 km por participante.

Por enquanto, quem lidera o ranking de 2016 é o time alemão Run with the Flow, com 320 inscritos. Os corredores asiáticos também estão na briga, com o XOO Taiwan e seus 180 participantes até o momento. O Brasil vem logo atrás, representado pelo Time Previ e 122 inscritos, número que deve aumentar bastante até o dia da prova.

Há, ainda, quem escolha uma equipe por causa de celebridades. Personalidades como a apresentadora Karina Oliani, a nutricionista fitness Bella Falconi, o skatista Sandro Dias e os influenciadores digitais Manoela Meinke, Juliane Ruiz e equipe 30tododia também montaram seus times e qualquer pessoa pode se juntar a eles no dia 8 de maio.

Para se juntar a um dos times, é só acessar www.wingsforlifeworldrun.com e se inscrever.

2 Bota pra correr
  
Resumidamente, e muito bem explicado, trata-se de um movimento nacional para sair do sofá, realizado pela Ativo. O vídeo abaixo explica a ideia e é só acessar o site e se inscrever em alguma das próximas corridas (ou em várias) do calendário.



3 #atitudeboaforma

Bem, essa notícia não é muito sobre corrida especificamente, mas sobre atividade física em geral. A revista Boa Forma está realizando diversas atividades para leitoras em São Paulo. É um projeto inicial, que ainda não tem uma periodicidade, mas tem acontecido bastante. Só nas últimas três semanas, eles tiveram uma aula funcional da escadaria do Sumaré, uma aula de ballet e hoje tiveram uma aula de spinning. Fico daqui só babando! Em cada aula os convidados ganham um presskit com marcar super conceituadas.




08 março 2016

#7 razões para celebrar o dia internacional da mulher


1 porque eu amo ser mulher;

porque mesmo com todas as dificuldades que passamos (hormonais, sociais, contextuais), eu ainda amo ser mulher;

3 porque eu tenho um marido que me respeita e com quem eu tenho uma relação de igual para igual, independente dos nossos salários, dos nossos gêneros ou de qualquer outra coisa;

porque a minha mãe me brifou muito bem durante toda a minha infância e adolescência sobre como minha independência é importante e eu sempre procurei seguir a risca seus conselhos nesse quesito, e isso faz com que eu me sinta ainda mais feliz por ser mulher;

porque eu tenho um filho homem que já segue os passos do pai - e da mãe -, respeitando todas as pessoas, independente do sexo e para quem eu vou fazer questão de ensinar que ninguém tem uma mulher, que ninguém manda em ninguém e que todo mundo, homens e mulheres, merece ser respeitado e tratado com carinho;

porque eu estou prestes a conhecer minha filha mulher, para quem vou passar os mesmos ensinamentos que recebi da minha mãe (aprimorados, é claro kkkk), sobre o quanto é importante não colocarmos nossa felicidade dependendo de nada, nem de ninguém (Luquinha também vai aprender isso);

E o mais importante: porque eu quero e eu posso!

04 março 2016

Entre o bem e o mal

No último fim de semana, Luquinha queria muito muito muito que eu brincasse com ele de boneco. Eu amo brincar com ele de jogo, jogo da memória, quebra-cabeça, tapa-certo... Mas de boneco realmente não é meu forte. Foi aí que resolvi fazer algo que nos ocupasse bastante tempo e que nõa fosse simplesmente PA POW que nem é normalmente. Inventei que faríamos uma batalha entre o bem e o mal. Esses aí de cima são a turma do BEM, composta basicamente por super-heróis, mas com alguns agregados, como lagartos e monstrinhos. 
Expliquei a ele que isso era coisa de adulto, então todos os personagens crianças teriam que ficar somente na plateia, assistindo... rs Aí ele disse: as crianças e os sete anões. E eu falei: Sim, sim, e o Thor ficará cuidando deles neste período. Alguém tem que fazer o trabalho sujo. kkkkk

Separamos todas as armas que poderiam ser usadas pelos participantes. As bolas serviriam como bombas.

A galerinha do bem...

Contra a galerinha do mal!!!

O Luquinha era responsável por escolher o lutador da vez na galerinha do bem, enquanto eu fiquei responsável pelos atos da galerinha do mal. Quase como acontece no Pokemon, ele escolhia o personagem que lutaria em sua vez e a arma que usaria. E vice-versa. Quem tivesse derrubado todos os seus integrantes primeiro, perderia. 

É claro que o mal não tem vez. O bem ganhou bonito!!! E é claro também que essa foto é antes da batalha. Apesar de ter vencido, o bem teve perdas importantes. rs