16 janeiro 2016

6 meses e 6 quilos



Na gravidez do Luquinha, engordei 17kg. A maior parte deles, nos dois primeiros trimestres da gestação, porque no quinto mês eu levei uma bronca da médica e tive que fazer uma dieta... Não estou super controlando o peso na gravidez da Lulu, mas é fato que mudei muito meus hábitos alimentares nesses quatro anos.

Na gravidez do Luquinha, era quase diariamente biscoito recheado e Mc Donalds. Na da Lulu, nem sei quando foi a última vez que comi fast food - embora tenha ido ao Outback na semana passada - e biscoito recheado não entra aqui em casa há algum tempo.

Mesmo chocolate, que temos sempre um monte na dispensa, eu não como. Eles ficam lá e comemos quando temos visita.

E diferente do que eu imaginei que fosse ser. não tem sacrifício nenhum (a não ser o refrigerante, que não tomo há sete meses). É natural a minha alimentação sem exageros. Como doce quase todo dia, mas em pequenas doses. Meu café da manhã continua sendo super regado... O que mudou mesmo foram os hábitos diários.

Além disso, apesar de ter começado da gravidez da Lulu super disposta para atividades físicas, foi só no começo. Já há algum tempo não faço exercício nenhum, diferente da gravidez do Luquinha que foquei bastante na natação.

Se continuar assim, o pós-parto vai ser tranquilo! ;) Grande parte do incômodo que senti no pós-parto do Luquinha foi referente à cicatriz da cesária, que, pode ser impressão minha, mas incomodava mais por causa do sobrepeso (embora eu tenha perdido todos os quilos ganhos na gravidez em um mês).

Igual, somente a anemia. Que consegui controlar com o suplemento de ferro e a melhora na alimentação, que agora inclui bastante vitamina C e alimentos verdes escuros, além de ovo, carne vermelha e até mesmo bife de fígado. :p

 


10 janeiro 2016

Três razões para eu acreditar que tenho a melhor mãe do mundo


1 Filhos sempre em primeiro lugar

Eu sei que isso pode parecer imaturo da minha parte, celebrar tamanha devoção, mesmo quando já tenho 30 anos e deveria incentivar que minha mãe não nos colocasse mais em primeiro lugar... Mas eu juro, eu incentivo. É que não tem jeito... Para minha mãe, eu e meu irmão - e agora Luquinha e Luiza - sempre virão na frente dela. É algo natural e eu sei que ela é feliz sendo dessa maneira. Aproveitei muito essa situação e hoje em dia eu quero mais é que ela curta sua vida, se dedique a ela e se sacrifique por ela. Mas que é bom demais ser amada desse jeito, é! <3

2 Querida por TO-DOS

Em alguns dias ela resolveu que queria comemorar o aniversário ao lado dos amigos. Uma ligação aqui, outra ali... Absolutamente todos com quem ela conseguiu falar estiveram presentes para comemorar seu aniversário. E a frase que eu mais ouvi no dia foi: Helena, só você para conseguir reunir essa galera em tão pouco tempo. E é verdade. Ela é especial! É querida pelos amigos dela e pelos meus amigos, é querida por todo mundo! E eu, daqui, sou só orgulho. :)

3 Coração sempre à frente do cérebro

Na vida, com tudo e com todos, ela se envolve, se emociona, acredita, se dedica, se ilude, sofre, acredita de novo, ama, perdoa, grita, esquece e vai vivendo da forma que deve ser, com a certeza de que não haverá arrependimentos, porque é tudo guiado pelo coração. Eu aprendi a ser assim com ela e não vejo como ser diferente poderia ser melhor. Quer ter a certeza de que fez tudo certo, mesmo quando deu tudo errado? É só ter certeza de que fez o que o coração mandou fazer. Nós somos mulheres inteligentes. Mesmo quando a emoção nos toma, a razão nos mantêm livres de grandes quedas. ;)

Mensagem de aniversário

Mamãe, passa ano, entra ano e o meu discurso para você é o mesmo. Eu tenho orgulho de quem você é e tenho orgulho de quem você me ensinou a ser. Obrigada por fazer minha vida mais feliz! Obrigada por ser a avó que é para o Luquinha! E que seu ano seja tão feliz quanto você merece que ele seja! Nós te amamos!!! 

Dindo Rafa!




O Luquinha tem dois dindos e duas dindas. Meus cunhados, Luismar e Aline, meu irmão, Rafa e minha melhor amiga, Camila. Para mim, não há diferenças entre quem batizou na Igreja ou não, ou quem está perto e quem está longe. Os quatro foram escolhidos porque são as pessoas que, juntas, carregam as principais atribuições que acreditamos que o Luquinha precise vivenciar para ser uma pessoa do bem. São pessoas nas quais confiamos plenamente, que amamos demais e sabemos que amam o Luquinha demais também.

No caso do Rafa, é uma das pessoas mais especiais da minha vida. É, possivelmente, quem carrega mais informações sobre mim depois de mim mesma. É a pessoa que passou mais tempo da minha vida ao meu lado (pelo menos até agora... ;)) e que carrega consigo os mesmos valores que recebi e vivi ao longo de toda a minha vida.

E, mesmo com todas as brigas que tivemos e temos - em menor quantidade - até hoje, se eu pudesse desejar algo para o Luquinha e para a Lulu é que eles tenham exatamente a mesma relação que nós dois temos. De amizade e cumplicidade! Espero que Luquinha ame a Luiza da mesma maneira que eu amo o Rafa. E que tenha por ela o mesmo sentimento de proteção e cuidado que eu tenho por ele.

E que seja assim para sempre, tanto para nós dois, quanto para eles dois! ;)

04 janeiro 2016

22 semanas e meia






Luiza está sambando na cara da sociedade

Já sinto Lulu mexer há algumas semanas, desde a 18a mais ou menos. Mas desde que completei 22 semanas consigo vê-la mexendo pela barriga. Além disso, pessoas conseguem sentir de fora. Na verdade, a única pessoa que sentiu, de fato, foi o Luquinha (além de mim). Toda vez que chamo alguém para sentir, ela para de mexer. rs

Anemia na área

Como não podia deixar de ser, minha companheira de todos os anos deu as caras. No último exame pré-natal a médica já identificou e receitou ferro (além do que está presente na vitamina pré-natal). Mas depois de duas semanas eu continuei sentindo o cansaço, que parece ter aumentado. Fui na emergência obstétrica da maternidade que possivelmente Lulu irá nascer, e fiz um exame de sangue. A anemia aumentou um pouco. Confesso que não estava tendo a melhor alimentação desde o primeiro diagnóstico, mas agora estou 100% dedicada a fazer essa anemia melhorar. Mas preciso conversar com minha médica sobre reposição de cálcio porque, provavelmente, vou precisar, já que descobri que laticínios diminuem a absorção do ferro.

Roupinhas e enxoval

Diferente da gravidez do Luquinha, não comprei quase nada para a Luiza dessa vez. Primeiro porque a gente acaba comprando um monte de coisa que não precisa para o primeiro filho. Depois porque demos sorte e estamos ganhando muitas roupinhas das primas novinhas. E também tem o fato de que as coisas mais caras que eu tive que comprar quando engravidei do Luquinha, como carrinho, berço, bebê conforto etc, eu guardei. É hora de colocar em prática tudo o que aprendemos nos últimos anos. :) E aproveitar para entrar na vibe sem consumo que o nosso mundo está precisando.

Carinho do irmão nível 1000%

Luquinha continua um chamego com a irmã. A gente sempre tenta prepará-lo para poucas frustrações depois que ela nascer. Batemos sempre na tecla dizendo que ela vai nascer bebezinha e que vai demorar um pouco para crescer. Que possivelmente ela vai querer brincar com todos os brinquedos dele, mas que tudo bem porque é legal dividir e porque isso, entre outras coisas mais importantes, vai fazer dele o melhor irmão do mundo. A verdade é que ele está super envolvido nisso e todos os dias dá inúmeros beijinhos na Lulu, assim como abraços. Ele faz questão de diferenciar quando o abraço é em mim e quando é nela. É apaixonante!!!

02 janeiro 2016

Três mudanças importantes para 2016



Facebook e instagram

Registro cada segundo. Tiro foto de tudo, já era assim antes da era tecnológica, mas depois, sem dúvidas, aumentou à beça. Entre as prioridades de 2016, depois de ler alguns artigos sobre o que as crianças pensam sobre o smartphone, achei que era hora de mudar. Não sei se vou conseguir, redes sociais são viciantes. Mas só de ter ficado esses dois dias sem o celular por perto, a sensação principal que senti foi liberdade. Sem contar na percepção do óbvio: curti muito mais o momento presente. 

Cultura

Na época da faculdade minha vida cultural era incansável. Teatro, shows, festas, cinemas... Mas depois que casei, deixei Botafogo para morar em Jacarepaguá, o que já dificultou muito geograficamente. Depois que o Lucas nasceu ficou ainda mais difícil. Logisticamente, é preciso muito empenho, organização e dedicação para fazer isso acontcecer. Agora, grávida, talvez seja ainda mais difícil. Mas não custa nada tentar! ;) 

Ser uma pessoa melhor

Pode soar estranho, mas a terapia trouxe o pior de mim. Mesmo assim, acho que ainda foi super válido ter vivido essa experiência, entender que existe um lado ruim aqui dentro, um lado egoísta, que sente raiva, que tem mágoas e que precisa ser trabalhado. As pessoas que mais sentiram a diferença foram as mais próximas, é claro. Agora que está tudo bem claro, quero me empenhar em ser doce novamente, em ser carinhosa com as pessoas que eu amo e presente na vida delas. Um exercício diário, mas que parece ser muito gostoso!

E que 2016 possa ser...

Tão feliz quanto todos os outros 30 anos da minha vida! 

Amém!!! ❤️