30 novembro 2015

Segunda-feira - 1o teste de Mulher Maravilha



Lembra que o fim de semana foi "quase" perfeito? Só não foi totalmente porque o Igor não estava com a gente em todos os momentos. Mas foi muito, muito bom. Inspirada, ainda, no fim de semana, hoje acordei com a vontade de perfeição! Sei, sei sei, que não existe tal coisa. Mas e o mais próximo que a gente consegue chegar disso? Quanto custa? Só testando para saber.

Comecei toda errada, acordando atrasada, com 20 minutos para acordar o Luquinha, dar o leite para ele, arrumar sua mochila, colocar o uniforme, dar os remédios da alergia, escovar o dente, lembrá-lo de fazer xixi antes de sair e escolher um brinquedo. Sério! Só quem tem filho sabe o quanto isso parece uma missão impossível! Mas eu consegui. Chegamos na escola pontualmente, um minuto antes da professora chegar. checked

Como não deu tempo de mais nada, meus planos para malhar de manhã foram por água abaixo. O que fiz, então? Fui preparar meu mega café da manhã de grávida saudável! Tapioca, suco de laranja com mamão, café e actívia. Preparei tudo, coloquei na badejinha e fui para sala assistir TV. checked

Cheguei no trabalho também pontualmente, 10h05 para ser mais exata, trabalhei, trabalhei, trabalhei... E, dessa vez, consegui tirar meu horário de almoço para ir à academia. Hoje resolvi nadar: 1,5km em 40 minutos. Nada mal! Depois almocei a comida que levei de casa (yay!! ponto para mim, que além de comer saudável porque tinham três opções de legumes mais uma carne deliciosa, consegui economizar!). checked

Trabalhei, trabalhei, trabalhei... E quando cheguei em casa, ainda brinquei com Luquinha de vários jogos antes de dar banho e colocá-lo para dormir! CLAP CLAP CLAP!!! checked

Estou, é claro, um caco. Mas feliz por ter conseguido realizar tudo num dia só! :o) 

Sem expectativas para amanhã. É apenas um dia comum. <3

29 novembro 2015

Nada como um fim de semana comum!



- Nada de viagem; checked 

- Nada de programação previamente agendada; checked 

- Uma única prioridade: estar em família! checked

E que a semana seja tão boa e perfeita quanto essas 48 horas!





28 novembro 2015

Who's got the power?



Já há alguns anos venho reparando uma mudança muito interessante ao meu redor. Comecei observando aqui em casa e depois, ao observar as amigas ao meu redor, concluí que não era coisa da minha cabeça. Tem sido cada vez mais comum encontrar casais cujos homens ficam em casa mais tempo por ter um horário flexível no trabalho e mulheres que saem de casa de manhã e voltam só à noite.

Aqui em casa, o Igor trabalha por escala. E, com isso, passa grande parte do mês em casa com o Luquinha. Se um de nós dois tem a chance de buscá-lo na escola, levá-lo ao futebol, passear com ele à tarde dia de semana, esse alguém está longe de ser eu. Mas não são só os louros... Ele é responsável por preparar e dar a comida do Luquinha. Se fica doente, é ele quem cuida na maior parte do tempo. Ele que dá atenção, brinca e ensina também grande parte das coisas que o Luquinha tem aprendido. É prazeroso, mas é também cansativo. E quem vive tudo isso intensamente é o Igor!

No caso das amigas, um trabalha com eventos, outro é fotógrafo, outro é repórter, outro é empresário, outro é funcionário público e há, ainda, muitos outros exemplos. Mencionei somente os mais próximos de verdade.

E essa mudança tem trazido questões interessantes entre nossos papos. Basicamente, o assunto dessa semana foi "ele não entende que eu trabalho o dia inteiro e quando chego em casa, acha que eu tenho que ser ainda um primor de dona de casa".

É uma realidade conflituosa: ao mesmo tempo que todos têm em comum o orgulho de verem suas esposas ganhando espaço no mercado de trabalho, conquistando novos cargos e compromissos em suas carreiras, todos ainda acham que elas devem ser responsáveis por manter a casa limpa, arrumada, roupas cheirosas no armário, cozinha nos trinques e, é claro, devem ainda ser mães exemplares e estar em forma! Não se esqueça do tempo da academia!

A minha questão é: em que momento invertemos os papéis? Não era isso que as mulheres que ficavam - e ficam - a maior parte do tempo em casa esperam dos maridos? Porque é, sim, revoltante, a mulher ficar o dia inteiro em casa, cuidando das crianças, cuidando da comida e tudo mais, e ver o marido chegar do trabalho e sentar a bunda no sofá, achando que é obrigação da mulher cuidar de todo o resto...

E foi aí que eu me vi sem razão.

Quem tem o poder nessa história? Quem está certo? É difícil saber.

Enquanto mulher, reclamo sempre que não só meu marido, mas todos ao meu redor esperam que eu seja uma excelente profissional, uma mãe impecável, uma esposa exemplar e uma dona de casa ativa. Mas não era isso que nossas mães, tias e avós esperavam de nossos pais, tios e avôs? A diferença é que eles sempre cagaram para isso e não davam o menor valor às expectativas femininas.

Não sei muito, ainda estou em conflito com toda essa história. Mas me parece que não há ninguém certo, assim como não há ninguém errado nessa história aqui de casa.

Assim como o Igor espera que eu assuma os cuidados com o Luquinha e as pendências domésticas quando chego em casa, eu espero que ele entenda que eu estou cansada por ter trabalhado o dia inteiro e quero só curtir um tempo sem nenhuma obrigação.

Me parece, ainda, que, como na maioria das vezes, para solucionar a situação é preciso fazer o exercício de se colocar no lugar do outro. Tentar entender o quanto o outro está cansado, ceder se for necessário, e dialogar para se fazer entendida também.

A parte boa de toda a história é que hoje podemos conversar sobre isso, podemos dividir as tarefas, chegar a um acordo que seja benéfico para os dois. Coisa que minha avó não pôde fazer, por exemplo.

E eu acredito realmente que, depois de ambos desabafarem, falarem de suas angústias e de seus cansaços, chegaremos ao caminho do meio, onde todos saem ganhando!

Sim, eu tenho um marido que cozinha MELHOR que eu!!!

O que não é difícil, diga-se de passagem... Mas eu tenho realmente que dizer, o Igor cozinha MUITO!!! Esses dias eu estava vindo para casa com muita fome porque não tinha conseguido almoçar. Cheguei em casa, com o prato servido na mesa de jantar, macarrão com abobrinha e carne moída. Delicioso!! Mas, no caminho do trabalho para casa, eu tinha comentado que queria comer um bife com brócolis e purê de batata baroa. O que era o prato principal dois dias depois? Justamente! Servido com suco de uva em taça de vinho, tudo à luz de velas.

Hoje ele acordou com a ideia de fazer um macarrão com camarão. Quando fomos à feira, compramos os ingredientes necessários e tcharan!!! Ficou delicioso!!! Enquanto eu brincava com Luquinha no play, em alguns minutos, bem rapidinho, Igor tomou conta da cozinha e preparou tudo!



Daqueles programas de sábado que eu amo...



Comprar flores na feira para decorar a casa! Não dura só o fim de semana, não. Dura a semana inteira! É só trocar a água delas de dois em dois dias. Fica lindo e deixa a casa mais perfumada!




Brincar no play com Luquinha! Ele ama tanto!! Mas tem que ter bola! E a bike a gente insiste, porque, afinal de contas, ele queria tanto ela, tem que aprender a dar valor e usar! :) E o pezinho sujo nmo fim das contas é uma delícia rsrsrs


26 novembro 2015

Grávida de novo!


E já no clima natalino que entrou o blog, tem notícia melhor do que essa? São quatro meses, mais especificamente 17 semanas e dois dias. Não poderíamos estar mais felizes! Era um desejo meu, que se tornou nosso, há mais de um ano! Demorou, mas aconteceu! E agora temos mais um baby a caminho. E o bom de ter demorado para contar por aqui é que já sabemos até o sexo! Será uma menina, eternizando o nome deste blog junto com o Luquinha: Luiza.

Por algumas semanas me questionei sobre não ter escrito nada no blog antes, pois teria que fazer o mesmo que fiz quando engravidei do Lucas, afinal de contas, certo? Errado. São momentos diferentes, são situações diferentes e só uma coisa é igual: serão as pessoas mais importantes da minha vida para sempre! Na verdade, há outras coisas. Assim como o Luquinha, a Luiza foi 100% planejada. E, até este momento da gravidez, está tudo indo bem. Mãe e filha saudáveis e desenvolvendo como deve ser.

É claro, em meio a muitos sustos e medos, como a tal da Zika que anda assombrando as grávidas de todo o país por sua relação com o nascimento de centenas de bebês com microcfalia...

Mas, até o momento, tudo indo bem! O repelente virou meu melhor amigo. Posso esquecer a maquiagem, o celular e até a carteira, mas não o repelente.

São muitos contextos que diferenciam a gravidez de agora com a do Luquinha. E eu não vou garantir, porque minha vida tem estado uma correria, mas imagino que com o tempo eu vá conseguindo atualizar o blog e contando mais detalhes sobre tudo isso.

Esse post foi impulsionado pela lembrança da razão pela qual o blog foi criado: promover à nossa família a chance de lembrar com detalhes esses momentos tão preciosos.

E a Luiza agora é parte dessa história!