24 setembro 2015

Viagem de férias - Munique


Nosso voo para Guarulhos saía de São Paulo e, para lá, pegamos um voo algumas horas antes do voo para o destino final, que era Frankfurt. Nessas horas que tivemos disponíveis no aeroporto, tivemos a chance de fazer o seguro de viagem para o Luquinha, conforme falamos no post anterior, e a chance de passar algumas horas no Red Lobster que abriu no novo terminal. Nos aproximamos para olhar o cardápio, pois sabemos que o restaurante não é um dos que têm menor preço nos EUA. Mas nos surpreendemos quando vimos um cardápio com preços adaptados à nossa realidade.

Que opções gostosas!





Luquinha já havia viajado de avião durante um longo período no ano passado, quando fomos para o México. Foram nove horas naquela ocasião e, apesar dele ter dormido também o voo inteiro, estava doente, com muita tosse e quando chegamos no México, identificamos uma infecção na garganta. Ou seja, não tinha sido uma boa experiência... Mas dessa vez, Luquinha dormiu novamente o voo inteiro, sem nenhum contratempo. Dormiu feito um anjo, embora eu e Igor tenhamos dormido muito desconfortáveis com cabeças e pés em cima da gente. rs


Ao chegarmos em Frankfurt, descobrimos que havíamos comprado a passagem saindo da estação errada. Apesar de lá ser também FRA HBF, era FRA HBF Airport. Apesar da falha, demos sorte. Além do trem estar atrasado cerca de 30 minutos, ele passaria por ali pela estação do aeroporto. Pegamos o trem sem problemas, apesar da correria. Contudo, apesar de termos conseguido pegar o trem, perdemos nossa conexão original, o que fez com que nossa amiga que nos esperava na estação de Munique fosse embora para casa. Quando chegamos, ela já não estava mais na estação. A sorte é que havia um Starbucks, sempre salvando, onde usamos a internet, nos comunicamos com ela que nos explicou como faríamos para chegar até sua casa, que ficava em uma pequena cidade nas proximidades de Munique, Langenbach.

Para chegarmos a Langenbach, precisávamos pegar um trem até Freising e depois um táxi até a pequena cidade. Demos sorte em todas as etapas. Compramos um bilhete e o trem partia em 10 minutos, o próximo seria só uma hora depois e já eram quase 11 da noite. Chegamos na casa da Karin quase meia-noite, mas todos sãs e salvos.


Um grande parênteses para a recepção da Karin! Foi muito amor, carinho e atenção do início ao fim! Nos sentimos mega acolhidos, parecendo estar em casa. Luquinha, nem preciso dizer, amou cada segundo, principalmente pela companhia do amigo Gabriel, que tem quase a mesma idade, alguns meses mais novo. Gabriel é um fofo, que nos divertiu muito durante o tempo que passamos lá.

Em um dos dias em que passamos em Munique, tivemos a sorte de contar com baby sitters para Luquinha e Gabriel. A sogra da Karin estava na cidade em seus últimos dias e queria passar mais tempo com o neto. Ao chegarmos na casa de sua cunhada, Luquinha não queria ir embora e elas se ofereceram para ficar com os dois enquanto passeávamos por Munique. Foi o tempo necessário para irmos à Marienplatz e à Hofbrauhaus, a famosa HB, onde tomamos uma cerveja e comemos pratos tradicionais alemães. Buscamos as crianças e fomos para casa, sempre muito cansados. Foi difícil se acostumar ao fuso de cinco horas à frente.





















Além de conhecermos o centro de Munique, fomos a um parque de diversões em Freising, que antecede o Oktober Fest, maior festival de cerveja do mundo, que acontece anualmente em Munique, levando à cidade milhares de turistas! As crianças se divertiram à beça, e nós com elas! Outro lugar bacana de Munique é o English Garden, um parque imenso, com um rio no meio que em alguns pontos possui ondas, onde surfistas arriscam algumas manobras. Foi engraçado ver surf no rio, dentro de um park. Mas as ondas realmente eram grandes o suficiente para eles praticarem o esporte.



























Em uma das noites que estivemos com a Karin, ela comprou ingredientes para fazermos raclette, algo parecido com um fondue de queijo, mas com aparelho próprio para derreter o queijo individualmente e grelhar os legumes e aperitivos escolhidos. Uma delícia!


No último dia em Langenbach, fomos passear pela cidade de apenas três mil habitantes, e caminhamos até uma praça com parquinho para as crianças. Acabamos descobrindo que apesar de tão poucos residentes, havia ali três famílias de brasileiros. Além da família da Karin, mais duas. Veja só, estamos mesmo em todos os lugares! :) Luquinha e Gabriel se divertiram o tempo inteirinho!!! É muito bom ter um amiguinho companheiro assim!












Deixamos a Alemanha com um gostinho de quero mais. Não só por tudo que ainda tínhamos para conhecer, mas porque a Karin e o Gabriel foram ótimas companhias!!! Se pudéssemos voltar no tempo, teríamos planejado mais dias com eles. ;)

Aliás... deixar a Alemanha foi um capítulo a parte.. Conto no próximo post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário