18 setembro 2014

#JuliaNaCozinha II

Hoje me aventurei ano bolo de cenoura. Peguei a receita do Tudo Gostoso e, com a coordenação do meu marido, encarei a cozinha novamente! Tenho somente uma observação a fazer: nosso forno é muito fraco, o que faz com que tenhamos que deixar o prato mais tempo do que o indicado. Deu certo no lombinho, não tenho certeza se deu certo no bolo, porque acabei de tirá-lo do forno. Mas ficou com uma cara ótima, então imagino que tenha ficado gostoso também. =)

Dá uma olhada na foto:


16 setembro 2014

#JuliaNaCozinha


No último post eu resumi como foi a viagem para o México para visitar a dinda Camila, mas sem muitos detalhes. Bem, acontece que um deles tem que ser mencionado: o rastro culinário que me acompanhou desde que eu saí de sua casa.

O Igor me perguntou se ela sempre cozinhou tão bem (o jantar que ela fez foi realmente delicioso, impecável, foi a primeira coisa que eu senti realmente em dias, já que estava gripada e não estava sentindo nem cheiro nem gosto... estava muito bom mesmo!!! Aprovado por mim, Igor e Lucas). Eu realmente não lembro da Camila cozinhando quando morava no Rio de Janeiro. Não acho que foi a necessidade por estar morando fora, sozinha... Acho que foi realmente o gosto, a vontade de aprender a fazer receitas diferentes. A Camila sempre gostou de investir seu tempo e atenção em coisas que realmente lhe dá prazer. E tenho certeza que neste caso não seria diferente.

Talvez por isso, ou talvez porque o México realmente tem muitas opções deliciosas para oferecer, eu tenha saído de lá inspirada. A paixão da Camila pela gastronomia e culinária, junto com os pratos saborosíssimos que experimentamos por lá fizeram com que eu chegasse em casa realmente disposta a colocar a mão na massa e checar do que sou capaz.

Ontem chegamos em casa e eu já me aventurei fazendo um bolo pro Luquinha. Tudo bem, foi um bolo de massa pronta. kkkkk Mas estava apenas aquecendo. O melhor ainda estava por vir, e eu comprei ontem mesmo no supermercado: lombinho ao forno com batatas e alecrim, servido com farofa de ovo e arroz de jasmim.

Não ficou simplesmente bonito, como mostra a foto. Ficou - modéstia à parte - delicioso!!!

Eu tive ajuda, é claro. Liguei para minha mãe e ela me deu as dicas. Depois entrei na internet para confirmar algumas dúvidas que ficaram. Mas fiz tudo certinho, desde o início.

Vocês sabem, este não é um blog gastronômico, então, mesmo que eu tenha claro na minha mente o passo a passo de tudo o que fiz e poderia fazer novamente), não sei escrever receitas, e nem vou me aventurar. rs

Mas queria deixar registrada a minha primeira experiência com lombinho*.

* Mais uma vez com a modéstia à parte rsrsrsrs, essa é a minha primeira experiência com lombinho, mas não minha primeira experiência na cozinha... Às vezes eu me aventuro... Os pratos que eu mais gosto de fazer são filé ao molho madeira, com arroz de açafrão servido com purê de batata baroa e legumes ao vapor; frangho ao curry com castanha de caju e banana, servido com arroz de jasmim; strogonoff e macarrão ao molho branco com alho e presunto.

O Igor fica rindo da minha empolgação, porque sabe que pode ser momentânea. Mas sei lá... Desta vez eu sinto que é diferente. A viagem ao México, a visita à Camila e estes poucos dias parecem ter despertado uma Julia diferente. ;)

Vamos aguardar cenas dos próximos capítulos.

{{ México 2014 }}


Chegamos hoje do México, da casa da dinda Camila, minha amiga queridíssima que eu tanto amo e que está morando na Cidade do México há pouco mais que quatro anos. Não tem tanto tempo assim que não nos vemos, ela vem ao Brasil todo fim de ano e conseguimos passar um tempo juntas. Desde que Luquinha nasceu, então, ela curte tanto ele - e ele curte tanto ela -, que estes dias são preciosos. E não foi diferente no México. Foram quatro dias de muita diversão!

O planejamento da viagem foi engraçado. Alguns dias antes de irmos para lá, a Camila nos mandou um e-mail nos relatando uma série de "contras" para nossa ida. Não que ela não quisesse que fôssemos, justamente o contrário, ela estava realmente muito ansiosa. Mas queria ter certeza de que estávamos cientes do que poderíamos enfrentar. Basicamente: chuva, vento, frio, tempestade e possíveis tremores de terra, mais conhecidos como terremotos. 

Como escolhemos o destino da viagem das férias justamente para visitá-la, não importava se tudo isso acontecesse e tivéssemos que ficar em casa. Mas não foi o que aconteceu. Nenhum tremor na terra, chuva somente nas últimas horas que passamos lá.

Fomos à casa da Frida Kahlo (e do Diego Rivera, to be fair); jantamos fora num restaurante delicioso (aliás, neste dia também choveu, mas foi à noite, não atrapalhou nenhum plano); fomos ao parque de diversão Six Flags (onde não só o Luquinha se divertiu demaisssssss da conta, como eu e Igor também); jantamos um jantar delicioso preparado pela Camila; conhecemos o Centro da Cidade do México com direito à toda a bagunça que antecede as comemorações do dia da independência (e, mesmo assim, conseguimos ainda ver o Templo Mayor); conhecemos um pouco da comida mexicana de verdade (segundo a Camila, a comida mexicana que conhecemos aqui é o que eles chamam de Tex Mex, uma comida mexicana americanizada); almoçamos na feira no domingo e conhecemos o mercado de artesanato de Coyoacan. 

Mas, o principal, tivemos a chance de passar alguns dias inteirinhos com a Camila. Exatamente como foi minha viagem para Nova York com ela no ano passado. Sendo que, desta vez, tínhamos conosco o Lucas, o Igor e o Ulisses! E, para mim, o mais bacana foi ver como Luquinha se divertiu com a Camila e com o Ulisses e com Tuna e Chucho, os gatos deles. Ele se divertiu tanto que, mesmo sentindo saudade de casa e tendo dito isso com todas as palavras para o Igor, ele ficou na dúvida quando perguntamos, na última etapa do voo, se queria voltar para a casa da dinda Camila ou ir para casa. :)

No fim das contas ele quis ir para casa. Mas o carinho em seu olhar e em suas palavras foram mais que suficientes para me deixar imensuravelmente feliz. :)

No mais... quando estávamos indo, eu estava me recuperando de uma gripe e ficar no avião durante nove horas não só me fez piorar, como fez com que o Luquinha ficasse mal também, Ao chegarmos, ele estava cheio de plaquinhas brancas nas amídalas. Graças à Camila, conseguimos agendar uma médica pediatra particular, fomos nela que examinou por completo o Luquinha, como a Dra. Márcia faz aqui. Ele realmente estava com infecção na garganta e ela receitou antibiótico para ele. Antibiótico este que ela lhe deu dois frascos, além de uma Novalgina, caso a febre aparecesse, e Loratadina para mim, que estava alérgica, além de gripada. Tudo isso pela bagatela de mais ou menos 80 reais. 

O primeiro dia foi complicado, mas logo começamos a melhorar. E agora estamos quase curados. rs