25 julho 2014

Tataravó

Minha bisa faleceu, tataravó do Luquinha. Tivemos a chance de encontrá-la e passar alguns dias juntos no último Natal, na casa da minha avó, quando reunimos grande parte da família por parte da minha mãe. Foi muito animado e foi bom ver que ela estava lá, inteirona, com quase cem anos. 

Ela faleceu conversando com meu tio, até o último minuto. Que paz. 

Trabalhou a vida quase inteira. Era artista de circo. Depois virou parteira e, depois, enfermeira, quando continuou fazendo partos. Ela, aliás, que fez o meu parto, há 29 anos e alguns meses. Meio brasileira, meio argentina, falava fluentemente as duas línguas. 

Hoje, conversando com minha avó, ela contou que a bisa deixou um caderno. Eu adoro estes cadernos. Uma espécie de diário, sem ser diário. Ela escreveu um pouco sobre sua vida. Tão mágico. Não vejo a hora de ir à casa da minha avó para ler as coisas que ela escreveu. 

Que o céu esteja em festa para recebê-la!

Um comentário:

  1. Ela deve ter sido uma mulher maravilhosa mesmo e assim foi privilegiada em ter uma morte assim na paz, sem sofrimento, sem hospital.
    Que ela esteja olhando por todos que a amam.
    Adorei o seu cantinho e já estou seguindo...
    Quero te convidar para participar do sorteio no meu blog. bjs

    ResponderExcluir