23 junho 2014

Dois anos e meio


Tanto tempo que não escrevo aqui, hoje vou escrever duas vezes para compensar um pouco. Luquinha fez na última semana dois anos e meio. Está tão esperto e uma figura!!! Esse lance de ver filme junto não é de hoje, desde que ele fez dois anos (ou ainda antes, não lembro exatamente) ele assiste a filmes inteiros... E tem os preferidos, que é claro, são os que ele tem em DVD. rs Toy Story (I, II e III), Monstros S.A (I e II), Madagascar (I e II) e Meu Malvado Favorito (I e II).

Para cada um deles, tem os personagens marcantes, que ele repete sempre as falas:

Toy Story - Ao infinito e alémmm (Buzz)
Toy Story - do do do i uhhhhhhh (Jessie)
Toy Story - iiiiii haaaa (Jessie)
Toy Story - he ha he heyyyyy (Woody)
Toy Story - Seguuuura piãoooo (Woody)
Monstros S.A. - Aaaaaaarrrghhhhhhhhhhhh (Sulley)
Meu Malvado Favorito - Ele é tão fofinhoooooooo (Agnes)
Madagascar - Eu me remexo muito, eu me remexo muito, eu me remexo muito... rs

Hoje, depois de ver Frozen, já ficou...

Você quer brincar na neveeee??? Você quer brincar na neveee????

;)

Ele adora! E eu também!

Conversa tanto... Argumenta... Explica... Avisa... Pede... Tem palavras em seu vocabulário que eu nem sei de onde vem! O que eu sinto é que basta ouvir uma vez que ele já tem a concepção de todos os significados daquela palavra e usa quando precisar...

Está numa fase de tanta zona.... Mas respeita o castigo e entende porque ficou, por isso raramente repete e fica de castigo de novo pela mesma coisa.

A idade é de desafiar. Ele está fazendo justamente o esperado e fico feliz que seja assim, de verdade. Eu e o pai também estamos fazendo a nossa parte, educando. Se fazemos certo ou errado é outra história, mas fazemos sempre o que acreditamos ser o melhor para todos nós.

Outra característica marcante desta fase é que está curtindo muito os amigos! Os amigos da escola, da família, amigos que faz na rua, amigos de todos os lugares. Isso é tão bacana! As brincadeiras ainda duram mais com as crianças mais velhas, é claro. Não por causa dele, mas por causa delas, que têm paciência, resiliência etc. Mas ele sempre brinca bem com a prima da mesma idade. E outro dia recebemos alguns amiguinhos da escola aqui em casa e eles brincaram à beça. Fiquei feliz, estão crescendo!

Continua amando praia. Acho que é o passeio preferido dele (ou será que estou sendo tendenciosa? rsrsrs). Também adora a pracinha. E pula pula, nossa, não sei como não enjoa. rs Ele também gosta muito, mas muito mesmo, de bola. É capaz de ficar horas, sem exagero, horassss jogando. E não é que o menino tem jeito?! É claro que tem os olhos da mãe que só veem o craque, né. rs Mas os elogios são tantos... Acho que não é só coisa da minha cabeça, não. rsrsrs

Está entrando numa fase que alguns amiguinhos entraram muitooo antes dele... De querer fazer tudo sozinho. Porque ele é um menino grande! :) Quer fazer xixi sozinho, quer comer sozinho, quer abrir a porta sozinho, quer desligar a TV, colocar o DVD... É fofo!

E eu aqui.... curtindo cada segundo, agarrando demais, tipo Felícia, e enchendo o saco dele com beijinhos e apertões! Até quando será que ele vai rir quando faço isso? kkkkk

Frozen

Dá uma olhada neste post aqui e depois volte para ler o resto... Conheci o blog através do meu trabalho. Foram diversos os posts que me deixaram emotiva, mas este, em especial, mexeu comigo. Acho que porque me fez ver o quanto somos pequenos. O quanto achamos que podemos viver tudo, saber de tudo, mas o quanto não sabemos de nada. São tantas perspectivas sobre uma coisa só... E nunca serão suficientes. Sempre haverá aquela que nós desconhecemos.

Let it go... Realmente, às vezes, simplesmente não temos mais nada a fazer, senão aceitar o que é. Fiquei triste, pensei no Lucas, agradeci pela saúde que ele tem, e pensei em como deve ser difícil para as mães verem seus pequenos, tão frágeis e dependentes de nós, indefesos.

Nem posso imaginar. Me faz sofrer tanto, só de pensar.

Fiquei tão tocada, que à noite resolvi alugar o filme e assisti com Luquinha. Ele adorou e eu também. Mas não consegui deixar de fazer relações constantes com a vida, influenciada pelo post que havia lido horas antes. Até achei que não tinha nada a ver a tradução... Livre estou... com let it go... Mas depois pensei que tem relação, sim. Afinal de contas, quando "deixamos estar" nos libertamos, não é mesmo?

Nós somos frágeis demais. Sempre que penso nisso, penso que é por isso e justamente por isso que temos que ser fieis aos nossos sentimentos, temos que viver o que queremos viver, sendo 100% do que podemos ser. Seja o que for, quando for, onde for, é a única forma de estar preparado para o que der e vier. Sabendo que você está fazendo o seu melhor, sendo a melhor versão de si mesma.

É tão simples, mas é tão difícil... Mas a gente tenta. E, aos trancos e barrancos, acaba encontrando o rumo certo.