25 setembro 2013

Obrigado, por favor e outras palavrinhas mágicas

Li em algum lugar que a gente não deve misturar a comida do bebê porque ele precisa conhecer o gosto de cada coisa que está comendo. Pode ser que seja melhor assim. Mas aqui em casa fazemos diferente. Os legumes e verduras vão misturados. É mais prático e não há seleção. Luquinha come de tudo.

Também li que as crianças são reflexo do que somos. Se tratamos as pessoas com educação, elas também tratarão. Se damos bom dia, pedimos por favor, com licença, agradecemos... As crianças simplesmente copiarão a gente.

Concordo plenamente!

O que não me impede de ensinar o Luquinha a usar essas palavras agora, que está aprendendo a falar. Bastou que eu ensinasse a ele a palavra "obrigado" que ele passou a usar sem parar. É só alguém dar algo a ele que vem logo o "bigado" (às vezes bidago, às vezes gado...). E é tão lindinho ver meu pequeno sendo tão educadinho!!!

O próximo a ser ensinado é o "por favor". =) kkk

24 setembro 2013

5 ansiedades pré-viagem

Há duas semanas, eu e Igor completamos cinco anos de casados. Não tivemos ainda uma comemoração com "c" maiúsculo, por assim dizer, mas como iremos tirar férias juntos em outubro, podemos comemorar neste tempo. Vamos viajar, só nós dois. E eu não tenho dúvidas de que será uma viagem boa. Mas...

  1. Só de pensar que passei os últimos dois finais de semana trabalhando e que nos próximos dois estarei em viagem, sem o Luquinha, meu coração dói como se estivesse sendo martelado. E dá vontade de chorar;
  2. Sabe aquele papo de que "vai ser bom para vocês, todo casal precisa de um tempo juntos sozinhos"? Então... Ainda não consegui entender o sentido desta afirmação;
  3. Dizem ainda que eu vou sentir muito mais a distância do que ele, que continuará feliz e contente, indo à escola, brincando com a Nana (Nandinha), passeando com as vovós, com os dindos... Mas, ainda assim, posso jurar que ele vai ficar mega triste e chateado da mamãe passar tanto tempo longe dele;
  4. Eu não tenho síndrome do Pânico. Sei que não tenho porque o medo nunca me impediu de fazer nada. E, pelo pouco que sei, a Síndrome se configura quando você passa a ter prejuízos em sua vida. Contudo, depois que o Lucas nasceu, eu cismo de pensar sempre em alguma desgraça. Quando estava nas minhas primeiras férias deste ano no aeroporto, pronta para pegar o voo de volta, comecei a chorar pensando que se acontecesse algo com o avião eu morreria com toda aquela saudade contida no peito que eu estava dele. E agora, que a viagem se aproxima, começo a pensar na mesma coisa. Eu sei, é um pensamento horrível, mas eu não consigo controlar. Ele surge na minha cabeça. Acho que vou tomar dois Dramins antes dos voos rsrsrs Assim não tenho tempo de pensar em nada;
  5. Está sendo muito mais difícil me preparar para esta viagem do que foi para me preparar para a viagem do início deste ano (quando passei 10 dias fora, numa viagem com minha melhor amiga). Falando assim, parece a viagem do início do ano foi um caos. Não foi, eu me diverti muito e ela foi fantástica! Mas no último dia eu já não me aguentava mais de saudade. E esse foi o sentimento que prevaleceu na memória. 

Acho que o melhor é não pensar em nada, deixar o tempo passar normalmente e aproveitar cada segundo com Luquinha antes e depois da viagem. Ele estará sob os cuidados das duas avós ao mesmo tempo, mais o vovô Luís. Tem como ficar ruim? Não, né! ;)

Luquinha dormindo na casa da vovó! Vai adorar esses dias sendo mimado pelas duas avós ao mesmo tempo. Que delícia!!! :)


07 setembro 2013

uma noite tranquila

só queria dividir comigo mesma, com vocês, com qualquer pessoa, a felicidade que é - depois de uma semana agitada, com muitas ronqueiras do Luquinha na hora de dormir - ver Luquinha dormir num silêncio total. Tão silêncio, que até fui lá no quarto checar se estava tudo bem! ;) Coisas que a gente nunca deixará de fazer! :)


05 setembro 2013

Inverno, acho que chegou a sua hora

Todos os meses eu fico ansiosa para receber a escala de trabalho do Igor para saber se conseguiremos ir juntos para a casa da minha mãe, que não mora na mesma cidade que a gente! Já estava triste de pensar que não conseguiria ir antes de Outubro, quando houve uma mudança em sua escala do fim de Agosto e pudemos aproveitar o último final de semana com ela e com meu irmão!

Fomos sexta à noite e Luquinha, como aconteceu nas últimas vezes que fomos, acordou de madruga quando chegamos e ficou doido para ficar acordado - mas fomos todos dormir porque estávamos exaustos. E no dia seguinte, com o sol e calor que estava fazendo, acordamos todos animados para ir à praia. Inclusive Luquinha, que AMA demais este programa. Só de falarmos uma vez, ele já começa "paia, paia, paia". Uma fofura!

Então lá fomos nós! Uma delícia! Luquinha mergulhou no mar, brincou na piscina, jogou areia na prancha do dindo Rafa, tocou violão...

Luquinha estava:
A - Passando parafina para pegar umas ondas;
B - Ou enchendo a prancha de areia.

Alguns minutos antes de descobrirmos que meu bebezão estava com febre!

No dia seguinte, todos animados e felizes de novo para pegar uma prainha! Nos arrumamos e quando estávamos no carro já a caminho do nosso destino, sinto Luquinha mais quente. Sempre andamos com a bolsinha de remédio dele, que tem Novalgina, sorinho de nariz, termômetro, entre outras coisas. Tirei a temperatura no carro mesmo e batata! 38,5! Demos meia volta e aí começou a minha saga.

Voltamos para o Rio no mesmo dia, mas no dia seguinte Igor precisou viajar a trabalho para passar a semana fora. A febre ia e voltava, muito, mas muito catarrinho fizeram com que Luquinha não conseguisse dormir, de segunda para terça e de terça para quarta. Eu, ele, ele e eu, dois zumbizinhos. Minha sogra e meu sogro deram uma bolona! Cuidaram dele enquanto eu trabalhava!

Na madrugada de segunda para terça, passei a noite mais cansativa com Luquinha, desde que ele nasceu! Nunca, mesmo enquanto era recém-nascido, tivemos algo parecido! Ele simplesmente não conseguia dormir de tanto que tossia e o catarrinho não deixava que ele respirasse direito. Uma tristeza!

Mas agora parece que a pior parte já passou! Hoje fomos no consultório da sua médica, que nos deu boas notícias. Luquinha está melhorando!! :)

Dra. Márcia é nossa anjinha, que sempre nos atende quando precisamos, sempre tão atenciosa, paciente e essencial! Hoje estivemos em seu consultório para ela examiná-lo! Ele falou sem parar pipipi papapa pepepe Bola, quedo (brinquedo), mamae, mamae, mamae, mamae, auau, popo (helicoptero popopopopopo) rsrsrs 

Uma pena ter acabado o final de semana dessa maneira, mas a parte boa é saber que Luquinha se divertiu demais!!! Às vezes eu penso... Poxa, se não tivéssemos ido à praia no sábado, talvez ele não tivesse ficado tão mal como ficou, ou talvez nem tivesse ficado doente. Mas quando a gripe passa - e só quando ela passa - eu consigo me lembrar do quanto ele se divertiu, do quanto ele estava feliz, do quanto amou aquele programa!

Já temos duas aptidões: futebol e música. :)

Quem finge melhor que toca? Papai ou Luquinha?

Vovó Helena fazendo bagunça com bebeco!

Eu e Rafinha morgando na grama depois do almoço!