30 agosto 2013

Enfagrow - Parte II

Depois do evento da Mead Johnson Nutrition, que comentei aqui neste post, acompanhei o desenrolar de uma discussão sobre o assunto entre algumas blogueiras, que, entre outras coisas, reforçaram a questão de que o DHA é encontrado no leite materno. Entre os pontos principais, elas destacavam que:

1 O produto ajuda na campanha contra a amamentação.
2 DHA é encontrado no leite materno;
3 O produto nada mais é que marketing ($) puro;

{Ao mesmo tempo em que me encontro numa situação parcial — já que a Mead Johnson Nutrition é cliente da empresa onde trabalho —, tenho bom senso. Se eu realmente não achasse o produto bom, simplesmente não escreveria nada sobre ele.}

Estando isto claro... 

1

Eu estava lá, o médico não poderia ser mais claro ao falar que a amamentação é sempre a melhor forma de cuidar da alimentação de seu filho nos primeiros anos de vida. Ninguém no mundo pode dizer o contrário, isso é fato consumado, é o óbvio, é natural, é natureza. E ele deixou isso claro em sua apresentação. Ainda segundo a apresentação do médico, o produto é indicado para crianças de 1 a 5 anos, nos casos onde a mãe não está mais amamentando.

2

O DHA é encontrado no leite materno, caso a mãe tenha DHA para oferecer. Para isso, é preciso que ela tenha uma dieta rica em ômega 3.

3

Em nenhum, absolutamente nenhum momento o médico disse que o DHA é indispensável. Ele disse que o DHA, junto a outros nutrientes, é importante para o desenvolvimento mental das crianças (ponto). Como nós não produzimos o DHA... é preciso buscá-lo nos alimentos. Então, ele novamente de forma muito clara fala sobre os peixes de água profunda, como o salmão, o atum e a sardinha, que são ricos em DHA. Ele não só fala isso, como ele diz o quanto de DHA tem presente em cada um dos alimentos (e realmente é muito DHA). Fica claro que uma dieta rica em peixes teria DHA suficiente para as crianças. E, sim, outros alimentos com ômega 3 também contêm DHA. Talvez não numa quantidade suficiente para fazer alguma diferença nos benefícios visíveis, mas contém.

Ok, continuemos.

1- O Enfagrow é um composto lácteo indicado para mães que já dão fórmula aos seus filhos;
2- O DHA é um nutriente que só tem a somar no desenvolvimento mental;
3- Sim, indústrias fazem ações para vender. Caso contrário, não seriam indústrias.

Na maternidade e na vida, eu — como todos nós — estou amadurecendo. Já fiz post reclamando de blogueira extremista. E, não vou negar, a dicotomia do radicalismo ainda me incomoda. Mas hoje consigo entender que isso não quer dizer que são más pessoas. Da mesma maneira, entendo que quando falam de nós (mães de cesárea, que não veem problema no abandono da amamentação), não pretendem nos agredir — por mais que nos sintamos agredidas —, mas sim levantar a questão da gravidade da situação no Brasil.

Como disse no primeiro post, também acho importante a bandeira da amamentação e acho que devia haver uma campanha mais incisiva e eficaz do governo, principalmente quando falamos de pessoas que não têm condições financeiras para comprar o leite apropriado — no caso da não amamentação — e acabam dando a seus filhos leite de vaca, quando seus organismos não estão preparados para recebê-lo.

É isso, meninas! Bjs e ótimo final de semana!















29 agosto 2013

Dormindo na casa da vovó!!!

Ontem foi dia de Luquinha dormir na casa da vovó para mamãe e papai irem se divertir! E que diversão! Flamengo X Cruzeiro, no Maraca reformado, com direito a gol salvador aos 43’ do segundo tempo! Não vejo a hora de poder levar o Luquinha para sentir esta adrenalina, explosão de endorfina, serotonina que é assistir ao jogo do Fla com o Maracanã lotado de torcedores (do nosso time)!


Ele dormiu na casa dos avós e matou a saudade da Nannn (Nandinha, sua titia de apenas oito aninhos), que ama de paixão! De manhã, bem cedinho, marido foi lá busca-lo! Chegou em casa e foi direto para o quarto dar um beijo de bom dia na mamãe, que estava já doidinha de saudade!

Sobre isto, gostaria de fazer dois comentários (daqueles que a gente registra para lembrar, caso esqueça):

Independência

Essa idade que o Lucas está, de descoberta da independência, facilita muito em dias como o de ontem. Ele brinca sozinho, ele sobe sozinho no sofá, ele desce sozinho (sempre com olhos cuidadosos ao redor), você faz o mama e ele mama sozinho. E, talvez o mais importante, ele dorme sozinho. Basta coloca-lo no berço, dar boa noite, um beijo, apagar a luz e pronto. Luquinha vira para o lado e dorme.

Comportamento

Lucas é super agitado! Adora dançar, adora correr e, sim, adora gritar. Mas, apesar da pouca idade, é super tranquilo no sentido de entender seus limites. Na casa da minha sogra existe uma escada na sala, que leva ao terraço. Bastaram dois ou três dias de “não pode subir” para ele nunca mais tentar. Na verdade, quando ele quer subir, procura uma mão adulta e guia ela para lá. Rs Mas já entendeu que não pode subir sozinho.

Minhas colegas extremistas chamariam isso de adestramento. É, pode ser. Eu adoro uma criança adestrada. O que posso fazer?

Depois de muito insistir, ele não vai mais lá para fora sozinho e quando quer ir, chega na porta e pede. Isso facilita muito as coisas, porque minha sogra não tem que ficar correndo atrás dele pela casa inteira, tomando cuidado o tempo o todo “Não sobe na escada!! Olha o degrau!! Não fica na chuva!!”. Ela nos faz um favor e é bom saber que este favor não é assim, tão cansativo quanto poderia ser.

É claro que eu tenho plena consciência de que 70% disso se dá ao fato de que ele é assim porque é assim e pronto. Os outro 30% acredito que sejam devido ao adestramento super eficiente que fazemos com ele.

Seja como for, é com muito orgulho que digo que meu bebezinho está cada vez mais independente e comportado! ;) Os avós, de todos os lados, são só elogios. 






27 agosto 2013

90% da população brasileira dá leite de vaca a crianças com menos de 12 meses #poderdeaprender

Eu já imaginava que era um número tão grande assim e até comentei isso em um blog que falava sobre amamentação num dia desses. Para mim, o maior problema relacionado à não amamentação no Brasil é este. Ainda vivemos em um país com um abismo enorme entre as classes sociais e, sim, a maior parte de nós não tem acesso à informação, não tem plano de saúde, não tem médico para ficar tirando dúvidas e não tem acesso à educação, que leva ao acesso à instrução. E, é claro, não tem dinheiro para comprar o leite para crianças com menos de um ano. Nós sabemos, é caro. 

É por isso que o governo investe tanto na campanha a favor da amamentação. Porque ele está investindo na saúde das crianças, que têm problemas gravíssimos ao ingerir leite de vaca antes dos 12 meses. E eu acho bacana. O governo tem que apoiar mesmo! É saudável, é uma delícia não só para o bebê, mas também para a mãe, e é de graça! 

Ok. Este é um ponto e é, sim, o mais importante. Dito isso... 

Hoje estive, a trabalho pela Approach, num evento da Mead Johnson Nutrition, na Casa Julieta de Serpa, aqui no Rio de Janeiro. Elá é atendida por São Paulo, mas, como o evento era no Rio, nós, da equipe de Saúde aqui no RJ, fomos lá dar um apoio.




O Dr. Marcelo Reibscheid, pediatra, fez uma apresentação sobre a importância do DHA no desenvolvimento mental da criança até os cinco anos. 

“Primeiro, o bebê precisa enxergar, ouvir e se comunicar para, depois, conseguir desenvolver as funções cognitivas como a concentração e memória. Como a maturidade neurológica demora de 5 a 10 anos para se completar, os neuronutrientes são importantes em todas as fases, principalmente durante os primeiros cinco anos de vida, pois é quando se forma 85% do cérebro.”

O DHA é uma gordura que desempenha uma função essencial no crescimento e desenvolvimento mental. Nosso organismo não produz este nutriente. Além de ajudar bastante no desenvolvimento psicomotor, ele também traz benefícios para a visão. São indicadas, para bebês acima de um ano até crianças de cinco anos, 70mg/dia. 

Entre os alimentos, o DHA é encontrado principalmente nos peixes de água profunda, como o salmão, a sardinha e o atum. "São 1840mg/100g de salmão, 870mg/100g de sardinha e 1150mg/100g de atum". O problema é que quase todo salmão que compramos no Brasil é criado no Chile, e não vem de águas profundas. Então, seria melhor focar na sardinha e no atum, para uma maior absorção de DHA. Ainda assim, há estudos que indicam que menos de 10% do ômega 3 presente nos alimentos é convertido em DHA.

É aí que entra o produto da Mead Johnson Nutrition, o Enfagrow. Trata-se da primeira fórmula infantil com DHA. A cada 200ml, são obtidos 19mg de DHA. Os pediatras indicam leite quando o bebê acorda e antes dele dormir. Seriam cerca de 40mg. Os demais necessários seriam obtidos através da alimentação (ou numa terceira mamadeira).

Durante o evento, uma das blogueiras perguntou sobre seu filho, que tem três anos. Se ele começasse a tomar agora, teria benefícios? Em quanto tempo? Sim, terá benefícios e eles podem ser percebidos de 45 a 60 dias, caso tenha uma ingestão diária. 

Sim, eu sei, quando éramos crianças/bebês nossos pais nem sonhavam em saber o que era DHA. E para ser sincera, eu tive o Luquinha há cerca de dois anos e também nunca tinha ouvido falar. Mas confesso que fiquei muito curiosa em saber como ele funciona no organismo e quais benefícios eu perceberia no Luquinha caso ele começasse a tomar este leite! Vou fazer um teste! ;)

*****

Sobre os bastidores do evento

Conheci a dona de um dos blogs que eu tenho mais apego, o Bossa Mãe! A Gabi é exatamente como eu imaginava! Simpática até dizer chega, ótimo papo e uma fofa!!! Na verdade, só nossos corpos se conheceram ali, porque a Gabi já é amiga! rs ;) Essa vida virtual tem suas qualidades.


Reencontrei a Chris, do Inventando com a Mamãe, blog que eu adoro, apesar das filhas dela estarem com bem mais idade que o Luquinha. ;) Eu me divirto com as criações dela com as filhas, e com os passeios e viagens em família!

Também bati um bom papo com a Mari Setubal, editora da Pais & Filhos! É muito legal para nós, assessores, quando encontramos pessoalmente com os repórteres! Nos falamos tanto por e-mail e telefone, às vezes este encontro nunca acontece pessoalmente. Mas quando acontece, parece que nos conhecemos há tempos!

Conheci as mães autoras do Mundo Ovo, Patrícia, Camila e Mariana! As três são uns amores e, como o blog já mostra diariamente, têm um papo super gostoso!

Eram muitas blogueiras no evento e eu fiquei feliz em conhecer todas! Uma pena não ter conseguido conversar com todas elas, mas oportunidades não faltarão, não é mesmo?

ps. um agradecimento especial à equipe de São Paulo da Approach que me proporcionou essa manhã tão agradável e cheia de informações interessantes!!!

25 agosto 2013

um final de semana feliz


Já falei aqui no blog no quanto eu acho a Lagoa um programa legal para fazer com Luquinha. Você pode ir sem um tostão (levando lanche e brinquedos), para aproveitar o gramadão, espaço para crianças mais velhas andarem de bicicleta, patins, patinete, jogar bola etc., e pode ir com um dindin separadinho para a cama elástica (que, aliás, estava na promoção... R$3,00 sete minutos), para alugar bicicleta e dar uma volta na Lagoa, para o milho, sorvete, pipoca, para os tantos brinquedos que têm ao redor!

Fomos, mais uma vez, fazer este programa. Desta vez com meu marido, que adorou dar a volta na Lagoa de bike com Luquinha! 


Depois fomos visitar tio Rafa e tia Cla, na casa da tia Myrthes, que paparica tanto o Luquinha (mesmo de longe!!! <3 ). Luquinha chegou tímido, com sorriso meio de lado, mas foi só tio Rafa chegar com uma bola de pilates que ele se soltou. Depois ainda deram sinal verde para ele tocar teclado.. Nem preciso dizer, né. Luquinha se fez!



Para fechar o sábado, ainda tivemos nossa primeira experiência indo no aniversário de uma amiguinha da escola, que eu não conhecia! Aliás, eu não conhecia ainda nenhum pai, nenhuma mãe e só algumas crianças (do único dia que fiz adaptação - os outros quem fez foi meu marido). Foi tão legal! Muito bom ver Luquinha tão enturmado! Quando ele avistou os amiguinhos nos brinquedos, saiu correndo, nem olhou para trás e ficou que nem pinto no lixo até o final da festa. Foi ótimo também ter a experiência de conhecer as mães dos amiguinhos! Eles são tão próximos do meu pequeno e a gente espera que a turminha seja a mesma conforme os anos vão passando, né! Mesmo de longe - para os pais - são crianças especiais na nossa vida! ;)

No domingo, passamos o dia todinho com os padrinhos do Luquinha e a prima dele! Ela é seis meses mais nova que ele, mas quanto mais o tempo passa, menos visível fica essa diferença de idade! Eu até brinquei hoje, que daqui a alguns anos vai parecer, inclusive, que ela é mais velha que ele! ;) É um amor desses dois que dá gosto de ver.

Almoço feito pelo maridão e pelo cunhado! Ficou 10!

Lanchinho da tarde, com pãozinho quentinho que vovó Lucimar trouxe para a gente!!!






21 agosto 2013

Ele ama demais o papai!!!


O dia dos pais passou e eu não fiz nenhuma homenagem ao maridão! Já devo ter comentado aqui inúmeras vezes o quanto o Igor é um paizão! Mas não me recordo de ter feito um post só sobre isso! Então vamos lá, porque ele merece todo o reconhecimento!

Eu não posso dizer que me surpreendi. Eu já sabia que ele ia ser um paizão. Ele é uma dessas pessoas que TODO MUNDO GOSTA, sabe? E ninguém tem tantos fãs à toa. ;) Todo o seu carinho, amor, atenção se fizeram presente, é claro, na paternidade.

Paizão! Brinca, cuida, ama, está sempre muito presente em todos os momentos e cenários da vida do Luquinha! Nós amamos muito você!

Também não posso dizer que Luquinha tem muita sorte. Não se trata de sorte, se trata de escolha. Eu e Igor escolhemos ficar juntos e quando fizemos esta escolha, nos baseamos em todas as coisas que víamos de bom um no outro!

E sabe no que resultou? Num pai que acordava todo dia de madrugada nos primeiros meses para trocar a fralda do Luquinha e me entregar o baby prontinho para mamar; que fazia a comida e cuidava da casa, enquanto mamãe estava ocupada dando de mamar para o neném; que nunca precisou discutir com a mamãe sobre de quem é a vez de trocar a fralda, essas coisas acontecem naturalmente por aqui (é claro que às vezes rola um ahhh troca você, mas confesso que a frase rola dos dois lados)...

Luquinha, eu, Igor, meu pai e meus irmãos!

Há alguns meses, Igor fica metade do dia com Luquinha, enquanto ele vai para o colégio na outra metade. Então ele brinca, faz almoço, leva no colégio, busca no colégio, dá banho, faz o jantar e, juntos, esperam a mamãe chegar! Nós dois sabemos o quanto esta rotina é cansativa, mas ele faz com o maior prazer!!

Ele conhece vários amiguinhos do Luquinha! Sabe do que ele gosta, do que ele não gosta, ensina vááárias coisas! Foi ele quem ensinou, por exemplo, o Luquinha a falar todas as partes do corpo! Luquinha sabe tudo! ;) Foi ele também que ensinou o Luquinha a falar mamãe (depois de eu reclamar muito que ele demorou a falar isso, né, rsrss)!

Quando o papai viaja, Luquinha logo sente falta! Fica falando "papai, papai, papai". Aí eu falo: onde Luquinha está papai? E ele responde com a mão no ar: "oooooooooooo" (como quem mostra um avião).

Eu não me importo em saber como os pais são por aí. E também nem quero entrar no mérito de que "dia do pai é todo dia", ou "não fazem mais que a obrigação" e blá blá blá. Eu só sei que aqui em casa temos o melhor pai do mundo!!! E isso, para mim e para o Luquinha, é mais que o suficiente!

NÓS AMAMOS VOCÊ!!!

20 agosto 2013

Operação Sorriso em Maceió!! =-)

Muito mais que corrigir fissuras labiopalatinas (lábio leporino e/ou fenda palatina), a Operação Sorriso faz exatamente o que seu nome propõem! Leva sorriso às famílias através de cirurgias gratuitas realizadas por voluntários de todo o País!

Maceió é a próxima cidade a receber a equipe da  organização e as informações estão neste release abaixo!


Operação Sorriso realizará cirurgias gratuitas em Maceió
Capital alagoana será a primeira cidade brasileira a receber o Programa Humanitário em 2013. Triagem dos pacientes e cirurgias para correção de fissuras labiopalatinas acontecerão em agosto

A escolha de Maceió para ser a primeira cidade brasileira a receber o Programa Humanitário da Operação Sorriso (OS) desse ano, não foi por acaso. Em um estudo feito em parceria entre o Centro de Estudo de Genomas da USP e a ONG, realizado nas cidades que já receberam as missões, a capital alagoana foi a que teve maior incidência de pacientes com fissuras labiopalatinas por deficiências nutricionais. Por isso, de 22 a 27 de agosto, a equipe voluntária da OS estará pelo sexto ano consecutivo na cidade para a realização de cerca de 40 cirurgias corretivas gratuitas em crianças e adultos portadores de lábio leporino e/ou fenda palatina. A seleção dos pacientes acontecerá no dia 22 de agosto, a partir das 8h, no Ambulatório Rodrigo Ramalho (Avenida Assis Chateaubriand, 2.932 – Bairro Prado). Já as cirurgias serão realizadas entre os dias 24 a 27 de agosto, no Hospital Nossa Senhora da Guia (Avenida Comendador Calaça, 1.244 – Bairro Poço). 

Para participar da seleção não será necessário fazer inscrição prévia, apenas comparecer ao local nos dias indicados levando documentos de identificação do paciente e também do responsável, além de exames de sangue recentes (realizados há seis meses ou menos). Pacientes e mais um familiar que residam fora do município poderão solicitar por hospedagem gratuita no dia da triagem. A organização também oferecerá transporte até o hospital e alimentação sem custo. “A preocupação da Operação Sorriso em todo o mundo é realizar um programa humanitário de qualidade. Iremos receber pessoas que precisam de ajuda e queremos que se sintam acolhidas. Montaremos uma grande estrutura de recepção aos pacientes e seus familiares e, para isso, contaremos com o Educandário Eunice Weaver, que nos dará o apoio do alojamento”, diz Cibele Coimbra, diretora executiva da Operação Sorriso.

Ao todo, 45 voluntários de diversas regiões do Brasil e de outros países estarão envolvidos no programa humanitário de Maceió. Os colaboradores – muitos deles referências em suas áreas de atuação - pertencem a diferentes especialidades como cirurgia plástica, enfermagem, anestesia, psicologia, ortodontia, fonoaudiologia, pediatria, entre outros. “A ideia é operar e capacitar os centros locais. As crianças que não forem atendidas serão encaminhadas para o serviço público local, atingindo a população com resultados mais permanentes”, enfatiza o anestesista Roberto Freire, diretor médico da Operação Sorriso.  Desde 2008, já foram realizada mais de seis mil consultas em quase mil pacientes. Cerca de 300 pessoas foram operadas e mais de 400 procedimentos cirúrgicos foram feitos durante os programas humanitários. 

O programa humanitário da OS conta com o apoio da Marinha do Brasil, da Secretaria Estadual de Saúde de Alagoas, do Ministério Público de Alagoas, da Associação Brasileira de Cirurgia Crânio-Maxilo-Facial (ABCCMF), da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), do Projeto Genoma Humano, da Santa Casa de Misericórdia de Maceió, da Rede Feminina e do Educandário Eunice Weaver. E com o patrocínio das empresas Abbott, Ethicon, QLL, Schivartche Advogados, Colgate, Enox, American Airlines, White Martins, Approach Comunicação Integrada, Icatu Seguros, CitiEsperança, Bionexo, Comerc, Pepsi, Fnazca, Way Models e PRNewswire.

Maria Rejane Calheiros, diretora da Atenção Especializada e Programas Estratégicos da Secretaria do Estado da Saúde, destaca a importância da iniciativa: “Apoiamos a Operação Sorriso há seis anos. Além disso, estamos investindo para ampliar a estrutura de atendimento local. No dia 12 devemos apresentar a proposta para que o Hospital do Açúcar e a Nossa Senhora da Guia sejam referência na área”, completa.

Outras informações poderão ser obtidas através dos telefones (82) 3202-5515 e (82) 9900-7893.
  
Atendimento pós-operatório gratuito

Também no dia 22 de agosto, os voluntários da Operação Sorriso realizarão a avaliação pós-operatória dos 77 pacientes que já fizeram a cirurgia para correção de lábio leporino e/ou fenda palatina, na missão humanitária ocorrida em março de 2012. “É nesse momento que avaliaremos o resultado da cirurgia anterior e se há necessidade de uma nova cirurgia, os tratamentos necessários e até mesmo a alta cirúrgica. E sempre dizemos que essa é a hora de matarmos as saudades dos nossos pacientes”, comenta Luciana Glaser, coordenadora dos programas da OS. Esta ação acontecerá no Ambulatório Rodrigo Ramalho.

Pedido de ajuda

Quem quiser ajudar também poderá fazer doações que serão direcionadas aos pacientes e seus acompanhantes. Os materiais solicitados são: alimentos não perecíveis, leite em pó, suplementos alimentares , xampu e fraldas As doações poderão ser encaminhadas, a partir do dia 01 de agosto, à sede da Rede Feminina que fica no Centro de Maceió (Rua Zacarias Azevedo, 463).

É também possível ajudar na divulgação para fazer a oportunidade chegar aos pacientes. A organização disponibiliza cartazes, vts, banners para sites, facebook e spots no site www.operacaosorriso.org.br
Sobre a Operação Sorriso 

A cada três minutos nasce uma criança com deformidade facial no mundo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde existe uma criança com fissura para cada 650 nascidas e, todos os anos, mais de 5800 novos casos endossam as estatísticas. A estimativa é que existam cerca de 280 mil pessoas com fissura lábio/palatal em todo o Brasil. Entretanto, não se sabe necessariamente quantas já receberam o tratamento. 

Presente no país desde 1997, a Operação Sorriso - maior organização médica voluntária do mundo que reúne profissionais de 80 países para ajudar exclusivamente a pessoas portadoras de deformidades faciais - já transformou a vida de mais de 200 mil crianças.  Em dezesseis anos, já foram realizados mais de 79 mil exames e avaliações especializadas e mais de cinco mil cirurgias em dez estados brasileiros.

Só em 2012, a organização realizou mais de seis mil exames multidisciplinares especializados para crianças das regiões Norte, Nordeste e Sudeste do país, além de 513 procedimentos cirúrgicos e 13 programas pós-operatórios, tudo gratuitamente, devolvendo a dignidade, funcionalidade e autoestima para 327 crianças. 

Doações para Operação Sorriso podem ser feitas direto em conta:
Associação Operação Sorriso do Brasil
CNPJ: 08.691.563/0001-85
Banco Itaú – 341
Ag: 8729 C/C: 23082-4
Comunicar depósito através do e-mail: contato@operationsmile.org.br
Relatórios financeiros disponíveis no site
*As empesas também podem apoiar a Operação Sorriso com recursos financeiros,
humanos ou contribuições em espécie ou através de parcerias corporativas.

Serviço:
Dias de seleção dos pacientes: 22 de agosto de 2013
Local: Ambulatório Rodrigo Ramalho (Avenida Assis Chateaubriand, 2.932 – Bairro Prado)
Horário: a partir das 8h
Informações: (82) 3202-5515 e (82)9900-7893
Datas das cirurgias: De 24 a 27 de agosto
Local: Hospital Nossa Senhora da Guia (Avenida Comendador Calaça, 1.244 – Bairro Poço)

Doações: Rede Feminina (Rua Zacarias Azevedo, 463, Centro)

16 agosto 2013

Tia Cleide

Primeiro nome próprio que Luquinha fala e conhece, não podia ser mais fofo! É o nome da tia da escolinha, que ele A-DO-RA!!! ;) Ownnnn Só queria deixar registrado!

14 agosto 2013

Porque eu não canso de dizer "eu te amo"

Amorzinho da vida da mamãe, eu sei que isso tudo pode parecer muito constrangedor, principalmente se você for - no momento desta leitura - um pré-adolescente. Mas eu garanto que um dia você vai ler este texto com muito amor e carinho dentro do seu coração e vai agradecer por eu ter escrito. :)

Você tem apenas 20 meses de vida, pouco mais que um ano e meio, mas eu já não caibo mais em mim de tanto que te amo! Ultimamente você tem feito caras e bocas fenomenais, que fazem todo mundo rir e sorrir de vê-lo tão feliz e sapeca! Hoje foi o dia da festinha de dia dos pais da escolinha e a vovó Lucimar foi fazer o papel do papai que não pôde comparecer porque estava viajando. Você levou o chinelo do papai para a escola e calçou. Ficou mostrando para a vovó todo orgulhoso que estava usando o chinelo do "paí". Aí quando eu cheguei na casa da vovó para te buscar, você estava uma coooooisa de tão agitado! Mostrou que sabe falar "Tia Cleide", todo bobo! =) Falou da Larinha com um carinhoooo, que só vendo! Fiquei tão orgulhosa de pensar que você já tem o seu próprio ciclo. Um ciclo que é só seu, que eu e seu pai, ou seus avós não fazem parte diretamente. Um ciclo que você convive sem a nossa presença. 

Pode parecer besteira, mas me encheu de orgulho pensar que meu filhinho que até ontem era um bebê - e eu diria que hoje ainda é rs -, tem seu próprio grupo de amiguinhos, independente da mamãe e do papai.

Eu já falei que você é um anjinho para dormir? Isso também me deixa orgulhosa.Há algumas semansa vpcê passou por uma fase estranha, estava chorando todo dia na hora que eu o colocava no berço. Mas foi só uma fase. Você mama vendo desenho, escovamos o dente no banheiro e eu o coloco no berço com seus amigos Backyardigans e com o Mickey, além das duas naninhas, que te fazem companhia a noite toda. Você vai dormir e acorda com eles. Acho que é daí que vem toda a sua segurança. Você está sempre muito bem acompanhado!

 E temos novidade! Desde o final de semana passado, no dia dos pais, você resolveu comer sozinho! Nós damos a colherinha na sua mão e você começa, fazendo aquela lambança! :) Até agora, está comendo com a mãe esquerda, mas ainda não temos certeza se você é canhoto ou destro.

Sabe que hoje você passou a tarde toda sem chupeta? A mamãe só levou uma para a casa da vovó e ela sumiu na hora que vcs foram para a escolhinha. À tarde, na hora do soninho, você dormiu sem chupeta mesmo! Demorou, mas dormiu! :) Será que está na hora de começarmos a aposentá-la? Depois eu te conto. rs

Luquinha, você continua sendo um anjinho! Adora crianças e as crianças te adoram! Você é um bebê muito feliz! E eu te amo mais do que você consegue imaginar!!!

Um beijinhos da sua mamãe coruja,
Julia. 

09 agosto 2013

Eu AMO trabalhinhos escolares

Quero dividir com vocês um ACHADO no mundo dos aplicativos para novas mamães! O app se chama Keepy e trata-se de uma ferramenta para que você possa fotografar e guardar "para sempre" os trabalhinhos escolares das crianças!! Lá em casa, é praticamente um trabalhinho por dia e, nesta fase, eles consistem basicamente em rabiscos. No começo eu achei o máximo guardá-los, para termos de recordação. Mas eles já são muitos e você vê.. tem só alguns meses que Lucas está nesta escolinha!

Então, ao invés de fotografar e guardar no Facebook e instragram, redes nas quais as pessoas que não têm filho comumente se entediam com as pessoas que têm, por mais amigas que sejam, agora existe um aplicativo só para isso!

No dia que Luquinha fez este trabalhinho, foi mostrar para o Igor MUITO feliz, todo orgulhoso do seu projeto!! Contamos tudo isso lá no Keepy!!
O mais legal é que, além de guardar a foto do trabalhinho, você pode gravar um áudio com a história de como o trabalhinho foi feito, um vídeo também contando a história, e as pessoas que fazem parte da sua rede podem comentar, também em áudio ou vídeo o que acharam. Então, se os avós do seu filho, os tios, os primos têm a chance de ter o app, ele pode ficar ainda mais rico, com toda essa recordação!

Para baixar o app, é só ir neste link (ele só está disponível para iPhone, mas em breve estará também para o Galaxy)!

Não lembro se eu cheguei a relatar aqui a mudança do Luquinha da creche para a escolinha. Mas, de forma bem resumida, foi a melhor coisa que fizemos! Não tenho reclamação grave contra a creche. As moças que cuidavam das crianças eram muito carinhosas e educadas, tenho certeza de que ele era bem cuidado. A questão é que ele era somente cuidado. Estavam ali para assisti-lo, não para brincar com ele, para descobrir novidades, ou qualquer coisa assim. Mesmo adaptado, era sempre um chororô para ir para a creche.

Assim que ele começou na escolinha, depois da adaptação, que durou pouco mais de uma semana, ia para os braços da tia com alegria! E é assim até hoje. Ele está lá desde maio.

Quando fomos conversar com o diretor da creche, fomos o mais transparente possível. Não queríamos magoá-los ou ofendê-los, jamais. Explicamos que, naquele momento, gostaríamos que o Lucas tivesse contato com crianças da sua idade (na creche, ele estava com quase um ano meio, dividindo a sala com crianças de 4 meses). O diretor, bem sarcástico, disse assim: Vocês esperam o que? Que na escola nova ele vá levar trabalhos para casa? Não esperávamos isso, não. Mas não é que é exatamente o que está acontecendo?! Se ele soubesse...

08 agosto 2013

Uma palavra sobre a festinha de aniversário

Amo festa de aniversário. Antes que pareça que eu fico pensando na festa do filho o ano inteiro (como se não ficasse) rs, queria deixar isso claro. Adoro comemorar o meu e confesso que tenho deixado a desejar nas minhas comemorações nos últimos dois anos. Acho que é porque estou guardando forças para a comemoração dos 30 (adoro datas redondas), em 2015.

Mas me divirto muito planejando a festinha do Luquinha. Grande ou pequena, só de ficar imaginando já fico feliz. Ano passado foi tudo perfeito, como eu contei aqui. Neste ano, quando comecei a me empolgar para fazer um festão, minha mãe veio com uma declaração.. E eu até conseguiu ouvir o fuenfuenfuenfuen ao fundo... rs Ela e o Igor, meu marido, não acham necessário fazer uma festa grande, gastar muito $$ com isso. Acham besteira. O que minha mãe disse foi: eu queria entender este trauma que a Julia tem com festa de aniversário. Só porque ela não tinha grandes festas quando era criança, quer fazer para o Lucas?!

Achei engraçado e ri. Entendo minha mãe. Mas eu não tenho trauma nenhum. Pelo contrário. Minhas festas de aniversário eram o máximo e eu lembro de várias delas. Eram sempre em casa, com poucos convidados, mas cheia de pessoas especiais.

Decoração: balões;
Mesa do bolo: bolo e docinhos, como brigadeiros e beijinhos;
Animação: crianças;
Lembrancinha: na maior parte das festas não tinha, mas lembro de uma em especial que tinha, dos meus seis anos, era uma festa do Moranguinho. Minha avó fez um bolo lindo! Era a casa da Moranguinho. A lembrancinha era um saquinho de doces;
Alimentação: Cachorro-quente, refrigerante e cerveja para os adultos.

E eu era tão feliz com elas, que nem eu entendo essa vontade de fazer festa grande para o Luquinha! rs

Acho que são várias coisas envolvidas. Primeiro que eu tenho várias amigas com filhos em idades próximas do Lucas que fazem festa. Elas nos convidam todos os anos e eu sinto vontade de retribuir este carinho. Em segundo lugar, é muito bom ver nossa família reunida com pessoas que gostam da gente, que fazem parte da nossa vida! Este encontro é super especial. E criar este elo com as crianças, filhos dos amigos, é bacana também! E em terceiro e último lugar, a oferta de produtos e serviços para festas infantis é enorme. São tantas coisas legais, bonitas, que dá vontade de fazer tudo!

Mas vamos lá, vamos pensar racionalmente. Minhas festas existiam, o que já é o máximo. A realidade da maior parte dos brasileiros não permite uma festa de aniversário. E eu sou extremamente grata por todo o esforço que minha família fez para que minhas festas acontecessem. Eu tenho ótimas lembranças delas! Quase sempre eram as mesmas crianças: eu, meu irmão, Xande (primo), Dani (primo) e Lu (prima de consideração, como sempre a chamei). Nossos pais são amigos de infância, e continuam sendo! Xande, Dani e Lu continuam sendo muito importantes na minha vida, por mais que não nos vejamos com frequência.

Por que, então, fazer uma festona ($$$) para o Luquinha? Por que parcelar em 12x? Não me importo em me endividar pela felicidade dele. Jamais. ;) Mas a questão é que a felicidade dele independe deste investimento.

Continuo achando o máximo as festonas que vamos, continuo achando lindo cada detalhe e continuo acreditando que vale a pena o investimento quando você tem como investir!

Mas concordo com minha mãe e com o Igor. Não tem porquê nos endividarmos para fazer uma festona para o Luquinha, quando podemos fazer um bolo, com cachorro-quente e suquinho para a família.

Além disso, estresse zero. Sou a favor. Quase enlouqueci na festinha de um ano do Lucas.

Isso não quer dizer que não haverá dicas e detalhes especiais! Estou vendo muitas coisas bacanas do Pinterest e vou contando aqui no blog as escolhas que estamos fazendo!

Café da manhã



Luquinha já não se contenta mais só con leite no café da manhã já há um tempinho! Sempre pede pão, entãode uns tempos para cá, assim que termina o leite já venho logo oferecendo uma bananinha! Assim, mesmo que ele coma pão depois, pelo menos ingeriu algo valioso nutricionalmente! ;)

Ele ama queijo-quente!! Na verdade, pão é sua paixão maior. Imagino pq (o/ <- bread lover)... 

Para mim, é um momento super importante, pois é a única refeição no dia que conseguimos fazer juntos! ❤

07 agosto 2013

Adeus, Tangerina

Não quero fazer um post triste. Mesmo com seu probleminha no ❤, que a acompanhou durante praticamente todos os seus quatro anos e meio de vida, a Tangerina foi feliz e nos fez muito felizes! Mesmo quando brigávamos com ela por ter feito xixi no meio da sala ou no quarto do Luquinha; por latir sem parar toda vez que alguém passava no corredor; e por querer avançar nas pessoas que chegavam perto do Igor.. Mesmo messes momentos sabíamos que ela faria muita falta quando se fosse! 

O veterinário, em sua primeira consulta depois que descobrimos o que ela tinha, disse para aproveitarmos bastante o tempo com ela plrque ela viveria muito pouco. Ela não tinha nem um ano na época. Viveu quatro anos e seis meses. Ninguém poderia imaginar.

A Tange foi minha companhia por muitos anos! Ela fez muito bem o papel de filha postiça enquanto Lucas não chegava! E muito bem também o papel de irmã ciumenta depois que Lucas nasceu! 

Foi muito amada e acolhida por toda a família, que entendia suas limitações e tinha muita paciência com ela! 

Luquinha não percebeu sua partida. Ela, com esse jeitão bravo de cão grande (sqn.. Pesava um quilinho somente ;)), não dava ideia para ele.. Rs Fugia, rosnava se ele tentava pega-la. E ele nunca percebeu! Sempre corria atrás dela tentando fazer um carinhos. ;) Era uma relação engraçada.

Este post é para lembrar. Lembrar que Tange é parte importante na nossa vida! A gente não esquece. Não precisamos de um post para isso. Mas deixando escrito, Luquinha sempre saberá! Espero que ele tenha um cãozinho para amar assim também! Se ele quiser, terá!