31 maio 2012

Atualizando aos poucos... {Back to work}

Amanhã é o grande dia!!! Depois de seis meses em casa (porque saí quinze dias antes do parto, tive quatro meses de licença-maternidade, 15 dias de licença-amamentação e 1 mês de férias), amanhã volto a trabalhar!!

Diferente do que eu pensei que fosse acontecer, não via a hora de voltar a trabalhar! É claro, não tenho dúvidas que vou MORRER DE SAUDADE de ficar o dia inteiro babando minha cria. Estar com o Luquinha - apesar de ser cansativo toda vida - é tudo de bom! Agora, no final das férias, então, estava ainda melhor! Saímos todos os dias para passear, seja para a casa da vovó, para o shopping, para o supermercado ou para qualquer outro lugar! Cuidar da alimentação dele, colocá-lo para dormir, brincar no chão em cima do edredon... Fazer isso em tempo integral é bom. De verdade! Mesmo sendo mil vezes mais cansativo do que é meu trabalho! rs

Mas não é porque minha chefe tem acesso ao meu blog - oi, Bia! rsrs -, mas eu amo de verdade meu trabalho! Eu gosto do que eu faço, tenho prazer! O local de trabalho é muito bom também, apesar de ser longe. E as pessoas com quem eu trabalho são demais!!!! Além disso tudo, quando estou trabalhando estou por dentro de tudo, sei o que acontece no mundo, sei o que acontece na minha cidade, sei o que está em voga e o que não está... Me senti meio alienada nesses meses em casa, mesmo sempre vendo o telejornal. Não é a mesma coisa.

Fora que eu penso uma coisa que ninguém tira da minha cabeça! Na minha visão é importante para mim e para o Lucas e para o Igor que eu tenha esse tempo fora de casa! É conhecimento que eu trago para dividir! É assunto novo para discutir na mesa, na hora do jantar. É ar reciclado que nós três temos a chance de respirar.

É importante para o Lucas ter vivências separadas das minhas. Hoje ele não fala, mas ele já sente. Ele sente o mundo, ele sente as pessoas, ele sabe o que é novo. E é importante para ele também que cortemos esse cordão umbilical.

Para mim e para o Igor também. Todo mundo sabe o quão cansativo é cuidar de um bebê. E ficar em casa o tempo todo, nós três, pode trazer muitos conflitos para o relacionamento.

Ou seja, com minha volta ao trabalho todo mundo sai ganhando!!! Não é uma maravilha?!

Não, eu não sou cega. Eu sei que tem o outro lado da história. As primeiras vezes que eu vou perder... O controle de tudo o que ele faz (quem não gosta de ter tudo sob controle, né?! Eu amo... rs)... As coisas que eu vou pedir para minha sogra e para o Igor fazerem de um jeito e eles vão fazer diferente (imagina se eu não sei que isso vai acontecer... faz parte... rs)... Mas, exceto pelas primeiras vezes que vão me doer o coração por não estar perto - e vão mesmo, mas eu preciso superar -, o resto a gente tira de letra! ;) Ou aos trancos e barrancos, que seja. Mas tudo dá certo no final.


Atualizando aos poucos... {Consulta 5o mês}

- 8kg e 67.8cm
- Introdução de mais um grupo na papinha - couve ou acelga ou espinafre (já tem o grupo da batata ou aipim ou inhame e o grupo do chuchu ou beterraba ou abobrinha ou abóbora ou cenoura)

Nas comunidades e nos fóruns muitas mães têm dúvida sobre o quanto dar e de quanto em quanto tempo dar comida aos seus filhos, seja papinha ou leite. A verdade é que não tem uma quantidade certa. Às vezes o que é certo para meu filho vai deixar o filho da outra com fome. Ou ao contrário, vai deixar o filho da outra cheio demais, prejudicando também o crescimento. 

Eu escuto muito minha pediatra. Ela diz que o Lucas tem que comer até estar saciado. Ou seja, ele não pode nunca raspar o prato e quando começar a matar a mamadeira toda de uma vez sempre, é hora de mais leite. 

Isso gerou certa discussão aqui em casa. O Igor achava que era muita papinha que o Lucas estava comendo. Mas ele sempre comia tudo e rapidamente. Falei isso para a pediatra na última consulta e ela me disse mais uma vez ele é quem vai dizer quando não quer mais. Então... é para continuar dando. 

É claro que tenho limite também. Não vou dar 500g de comida para um bebê de 5 meses. Mas ele tem comido realmente mais agora que estou deixando que ele decida.

Isso influenciou no leite, que está tomando menos. Mas se não está perdendo peso, estou tranquila.

Ontem conversei com uma psicóloga para um trabalho que estou fazendo. Ela disse uma coisa muito interessante, que vale para TUDO na vida: A comparação mata a auto-estima. Corretíssimo. A gente sempre vai achar que tem alguma coisa de errado se não está acontecendo como acontece na casa do outro - bem, pelo menos eu tendo a pensar assim e tenho que me controlar para que isso não aconteça. Então antes de comparar o que seu filho come, pense que ele é um INDIVÍDUO. não é igual a ninguém e tem seu próprio ritmo. Respeito isso, ok? ;)

Dito isso, segue aqui como está sendo a rotina alimentar do Luquinha (lembrando que sempre há variação de quantidade, intervalos e do próprio horário... o que está aí é o ideal. Não significa que seguimos a risca):

6h Leite 240ml
9h Frutinha (maçã ou pera ou banana ou  mamão ou melão ou caqui)
11h Papinha (grupo 1 + grupo 2 + grupo 3 na panela de pressão com 500ml de água mais músculo... dá para três dias mais ou menos quando faço)
13h Suco de laranja 150ml (ele NUNCA mama tudo)
15h Leite 240ml
17h Leite 240ml
21h Leite 240ml 

Só que o que tem acontecido de vez em quando é que ele não mama a última mamadeira, dando um espaço maior de tempo entre as duas que toma depois do suco.

É isso, galerinha. =) Ele está um fofinho e prontíssimo para a volta ao trabalho da mamãe - que será o tema do próximo post!

Vocês vão cansar de tanto ler minhas atualizações rsrsrsrsrs

Luquinha com sua pediatra! Muito querida!

Atualizando aos poucos... {Visita à bisa Walkiria}

Há duas semanas estivemos em nossa segunda viagem longa distância com Luquinha. Bem, não tão longa assim. Longa para ele. rs Não para a gente. Fomos para Paranaguá - PR visitar a minha avó materna. O Lucas tem somente duas bisas, a minha avó materna e a avó materna do Igor. A do Igor mora aqui com minha sogra, então Luquinha vê toda hora. Ela já está bem velhinha, não lembra dos netos, mas lembra do bisneto! =) É sempre uma felicidade quando ele chega. E quando ela me vê, pergunta: cadê o bebezinho? rs Ama quando ele está lá e fica horas paquerando.

A minha avó é mais nova e é avó recente também. Apesar de ter neto grande que nem eu e meu irmão (27 e 28 anos respectivamente), tem netinho pequenino, como o Matheus, filho do Kiko, que tem 1 ano e 3 meses. Então ela é mais avó do que bisa. rs Inclusive, o Luquinha é o primeiro bisneto dela.

Foi uma festa só a viagem! E eu nem posso dizer que é por causa do Luquinha porque sempre que vamos lá é essa festa. Meus tios e meus primos vão para a casa da minha avó e fazemos comida à beça e ficamos o dia inteiro juntos. Dessa vez não foi diferente, exceto pela parte que ficou todo mundo babando o meu pequeno! :)

Vovó Walkiria, tio Walter, tia Nice, tio Luis, Kiko, Walkir (que tb são tios, mas como são mais novinhos eu nunca chamei de tio), Rosa, Anninha, Juliana, Belinha, Amandinha, Davizinho (os primos rs) e Matheus... Todos foram lá!! Num mesmo dia almoçamos bobó de camarão e no jantar tivemos churrasco!

Luquinha conheceu a grama de perto - porque, por mais comum que uma grama seja, ele nunca tinha tido contato com ela hahaha -, quis pegar o abacate do abacateiro e colocar na boca - é claro -, viu os cachorrões do Tio Laércio - que não estava lá, mas sua esposa Janete estava e conheceu e amou o Luquinha rs -, dormiu no sol de meio-dia, no colo da mamãe, que andou 8km - 4 de ida e 4 de volta - da casa da vovó até o Centro e do Centro até a casa da vovó - que, apesar de ter uma casa no Centro, gosta de morar na Ilha dos Valadares.

Isso tudo em Paranaguá!

Aí, no domingo à noite fomos para Curitiba. Antes de "ir para o berço", demos uma volta no Batel, onde rodamos, rodamos e acabamos no Burger King porque todos os outros restaurantes pareciam boate: com gente MEGA ARRUMADA e com fila na porta. Dormimos  e no dia seguinte andamos com o pequeno pela cidade. Fomos ao Passeio Público - que, só para constar, não abre às segundas, assim como a Jardineira turística não funciona neste dia -, andamos pela Rua das Flores, onde ficamos hospedados, e pegamos um ônibus para ir até Santa Felicidade, onde almoçamos e comemos sobremesa numa confeitaria MARAVILHOSA, que não peguei o nome. Mas não é difícil de achar, fica bem na rua dos restaurantes em Santa Felicidade (bairro italiano da capital).

Recebemos ainda a visita da Ana Lidia antes de sairmos para o aeroporto. É amiga de infância da minha mãe e quando falamos que estávamos em Curitiba, ela se animou para conhecer o netinho da sua amiga. rs =) O Luquinha adorou ela também e, como sempre, foi só sorrisos.

Mais uma viagem feita com sucesso! No avião, novamente, ele não deu trabalho. Ou dormiu ou ficou rindo para as pessoas ao seu redor.

Aliás, isso é uma coisa que me deixa animada de sair ou viajar com ele. É sempre feliz, simpático, risonho na rua! Dificilmente dá show, como acontece às vezes quando estamos em casa. rsrsrs Até me desmente de vez em quando. Perguntam se ele chora muito, eu digo que sim. Aí chega na rua e fica 24h sem chorar. Ai, vou te contar, hein. Essas crianças... rs

Mas ele é mesmo um fofinho!!! :) E a mãe aqui tem muito orgulho dessa simpatia dele!

Luquinha com papai no Bus Service, do aeroporto para a rodoviária de Curitiba

Paranaguá - Ilha dos Valadares

Luquinha no Mercado Municipal, com tio Walter, mamãe e papai

Tia Ni com Luquinha. A tivó que mais babou o pequeno! 

Com os primos Anninha e Davizinho

Esse é o tivô Kiko, que tem um bebezinho de 1 ano e 3 meses em casa, o Matheus


O sonho da confeitaria em Santa Felicidade! Que delícia!!!!

Luquinha na grama da casa da bisa!

Luquinha no banho na casa da bisa, com a piscininha do primo Matheus

Com o tivô Walter no Mercado Municipal!

Tia Janete foi mostrar os cachorrões do tio Laércio para ele!

Tivô Walkir! Esse tivô é mais novo que o papai!

Kiko com o lindão do Matheuzinho


Bisa Walkiria babando o bisnetinho Luquinha!! Que encontro gostoso!!!

Ele se divertiu demais!!!




12 maio 2012

Fraldas... assim não dá...

Infelizmente não ganho para fazer propagandas, mas preciso desabafar... Não aguento mais lavar roupa suja de xixi e coco porque a fralda não SUSTENTA!!! Sim, porque tem fralda que sustenta, sim!!! A Soft Touch da Huggies/Turma da Mônica e a Total Confort da Pampers sustentam. Agora, as outras, que são DAS MESMAS MARCAS, mas modelos diferentes, são PÉSSIMAS!!!

Agora, é um absurdo! Porque você vai reclamar e eles vão dizer para você usar as outras... Mas as outras são o dobro, às vezes o triplo do preço! E aí, ferra quem? Porque se você parar de comprar as ruins e passar a comprar as boas, você vai estar ajudando quem está te prejudicando!!!

Affffff

Não que lavar a roupa do pequeno seja a pior coisa do mundo, mas vá lá, né!!! A cada fralda?! Assim é mais fácil usar fralda de pano, porque pelo menos não prejudica o meio ambiente e é mais barato...

Por isso eu digo, façam chá de fraldas!!! Não tenha vergonha, seus amigos terão filho um dia e saberão a importãncia do evento!!! Ainda não tive que comprar fralda e pelas minhas contas, não terei ainda por um bom tempo.

Mesmo assim estou indginada, imagine só se tivesse que comprar, hein!!!!

10 maio 2012

O que eu realmente gostaria de ganhar no dia das mães #BlogagemColetiva #RedeMulhereMae

Existe vale-saúdeparaavidainteira para o bebê? E vale-comportamentoDEZ? Seria bom ter a segurança da garantia de saúde para o meu pequeno. Não é que eu queria ganhar isso de presente de dia das mães, é que agora toda vez que me perguntam o que eu quero, ou se tenho que fazer um pedido ou na hora de rezar, o que eu peço é isso, saúde para o meu pequeno Lucas! 

Mas isso é óbvio, né. Acho que é o que toda mãe quer em primeiro lugar.

Então vamos ao que realmente interessa... 

Antes de eu engravidar o Igor, meu marido, já falava em mudarmos para o bairro onde a família toda dele praticamente mora. Eu sempre resisti porque tinha medo de perder minha liberdade. Sempre gostei de família reunida, gosto de famílias grandes e tenho saudade das reuniões da minha... Mas saí de casa cedo para fazer faculdade, já que morava em cidade pequena. Então desde os 17 anos tenho liberdade total de ir e vir e encontrava a família quando eu queria. Não porque estavam perto ou longe, mas porque eu queria. 

Então, há pouco mais de um ano minha vida toda mudou. O resultado deu positivo e ficamos felizes demais! Ainda assim, não queria me mudar para perto de ninguém. Queria ficar longe. Longe o suficiente, eu pensava. Chegamos a brigar várias vezes por causa disso. Ele queria muito se mudar e eu queria muito que as coisas ficassem do jeito que estavam. Tinha medo do meu casamento mudar. De ter influência da família dele, de perder a privacidade, de tudo desandar. Já que estava tudo indo tão bem do jeito que estava... Em time que está ganhando não se mexe...

Mas aí eu fui me acostumando com os hormônios da gravidez e pouco depois da metade dela parei para pensar com calma em todas as nossas possibilidades de mudança e como as coisas seriam depois que o Lucas nascesse. Mas, diferente das outras vezes, pensei em todos e não só em mim. Pensei no Igor... Ele fica muito em casa por causa do trabalho dele por escala. E sempre fica sozinho... Se nos mudássemos para este bairro, além de estar perto da família, estaria perto dos amigos de infância e dos novos amigos, que também moram nele. Pensei na família dele que é muito unida e sempre está por perto. Eles ligam, são carinhosos e nitidamente sentiam falta dele por perto. E, mais do que tudo, pensei no Lucas.

Lembrei da minha infância perto da casa dos meus avós. Era muito bom ter minha família por perto. Não que meus pais não bastassem, mas para a criança é divertida a bagunça de família grande. Ela se sente protegida. Pelo menos era assim que eu me sentia. E eu trabalho fora, ele ficaria o dia todo na creche, depois voltaria para casa... teria contato só comigo e com o Igor na maior parte do tempo. 

Fui conversar com o Igor e disse que queria me mudar, que mudaria para perto da família dele. Com um medinho de tudo aquilo que falei lá em cima, mas com a certeza de que estava tomando a decisáo certa.

Estamos há dois meses morando aqui. E eu estou a-man-do!!! Não, não é que estou só gostando... é que se eu soubesse que gostaria tanto, teria vindo antes. Toda a minha liberdade está preservada, assim como a intimidade do meu lar. A família do Igor, que é minha família tanbém, só adiciona! Eles são muito carinhosos... com o Lucas e comigo! E estão sempre por perto, mas sem invadir nosso espaço. É muito bom tê-los por perto! Minha mãe mora longe, meu irmão mora em um bairro distante do nosso, meu pai não tem tempo devido às crianças dele... então a família do Igor me adotou.

Portanto, o que eu realmente gostaria de ganhar no dia das mães é um almoço de família na nossa casa nova! É ter aqui a mãe do Igor e minha mãe, nossos irmãos, minha cunhada, nossos pais! É ter todos aqui, bem pertinho da gente! Porque é isso o que eu amo!!! Família grande e família perto!!!

Como boa nova mãe, nós mesmos vamos fazer o almoço! E eu vou ficar ainda mais feliz em saber que o Luquinha estará no ambiente que eu quero que ele esteja por toda a sua vida, com as pessoas que mais o amam no MUNDO!

Luquinha com o tio Rafa e a vovó Helena! FELIZ DIA DAS MÃES!!!

Luquinha com a vovó Lucimar! FELIZ DIA DAS MÃES!!!


 

Difícil?

Outro dia li no blog da Gabi {http://bossamae.wordpress.com/} um post sobre o livro Eu era uma ótima mãe até ter filhos. Hoje abro o aplicativo do BabyCenter e me deparo com esse texto {da imagem}, falando sobre como a mãe pode manter a sanidade. Achei engraçado e resolvi comentar os dois assuntos que se resumem num só.

Sempre tive um ponto de vista diferente das pessoas, sobre tudo: trabalho, família, amigos, relacionamento, dinheiro... E é comum acontecer das pessoas dizerem que vai ser de um jeito e comigo acontece de outro. Não, não digo isso de forma prepotente ou de quem está se gabando por ser diferente, por mais que possa parecer.

Talvez eu seja realmente diferente. Simples assim.

Na maternidade isso mudou um pouco. A identificação com as outras mães ficou logo clara através dos fóruns online, cominidades e blogs.

Agora, o que eu acho é que uma coisa é crucial: a maneira de lidar e encarar cada situação. Eu posso viver e sentir a mesma coisa que você! Ainda assim vamos lidar com a questão de maneira diferente.

Ser mãe não é mesmo fácil, mas não é assim um bicho de sete cabeças que precisa de manual para recuperar a sanidade!

Sempre que alguém com filho ia nos falar sobre como era sua vida, antes do Lucas nascer, era assim: é difícil, dá muuuuuito trabalho, mas vale a pena cada gota de suor!

É clichê... mas é EXATAMENTE isso.

De novo... Nenhum bicho de sete cabeças!

Sanidade? Com ou sem filhos, quem não perde de vez em quando?

Cansaço... É muito relativo. Como era sua vida antes? O que você fazia? Era sedentária? Egoísta? Egocêntrica? Tudo isso pode dificultar as coisas para a nova mãe, mas ainda assim cuidar do filho é TÃO prioridade que tudo se ajeita de forma natural!

Eu falo com minhas amigas: me contem sobre auas vidas porque eu PRECISO de um break dos assuntos maternais... E ouvir sobre o que tem acontecido com elas é suficiente para eu "recuperar minha sanidade", o que, nas minhas palavras seria "lembrar que existe um mundo lá fora, bem diferente, mas que, ainda assim eu AMO o meu, exatamente do jeito que ele é!"

Portanto, a dificuldade não é grande! O cansaço é. Mas nada que um exercício físico diário, um papo com as amigas, um carinho no marido e algumas horas de sono não resolvam!

09 maio 2012

Bebês gordinhos, crianças gordinhas

Hoje li um artigo num site americano sobre um erro que a maioria das mães comete: querer um bebê gordinho. Sim, eu quis um bebê gordinho. Quando o Luquinha ganhou pouco peso num determinado mês vocês viram como eu fiquei... LOUCA. Mesmo ele estando ainda acima da média para sua idade. Acontece que estudos indicam que bebês acima do peso têm maiores chances de se tornarem crianças obesas.  E foi só ao ler isso que consegui enxergar que realmente o peso do Luquinha está perfeito e eu não deveria reclamar sobre isso.

Eu e o Igor fomos crianças magras e é provável que o Lucas seja também. Apesar de termos o hábito de comer besteiras - eu mais do que o Igor -, ambos concordamos que não queremos o mesmo para o Luquinha e já começamos a musar alguns hábitos para que isso aconteça da melhor forma. Fruta não falta mais aqui em casa, assim como legumes. O arroz agora é integral, assim como o pão - mas não abrimos mão do pão francês de vez em quando. Aos poucos vamos melhorando...

O Luquinha, por enquanto, mama leite, come frutas e legumes na papinha, e toma suco de laranja. Sei que em um determinado momento não terei como evitar que ele tenha contato com comidas industrializadas, mas gostaria de prolongar ao máximo esse momento.

Por outro lado, se Luquinha for como eu e Igor éramos quando crianças.... nossa... não quero nem imaginar o trabalho que teremos. Eu era chata demais para almoçar, comer legumes e verduras, entáo... Putz.... Igor não comia por nada! A mãe dele tinha que ficar atrás dele para que ele terminasse um prato de comida... era tão magro que apareciam todas as costelas... Nem sei se deveria estar escrevendo isso aqui... Vai que Luquinha lê um dia... Hahahhaa

Bom, eram outros tempos. Hoje temos mais informação disponível, sabemos melhor o que cada alimento tem para oferecer e para retirar da nossa saúde. Espero que nisso ele não seja como nós fomos. rs Demos muito trabalho para nossas mães.

Aproveitando o assunto... Nem quero falar muito, mas Luquinha está mamando que é uma beleza. E hoje comeu direitinho a papinha salgada e a frutinha. Vamo que vamo. Um dia atrás do outro, desejando que seja sempre um dia melhor que o outro! Desenvolvendo sempre! =)

#CRESCER Homenagem Dia das Mães

07 maio 2012

Blogagem coletiva - Especial MÃES

Nunca participei de uma blogagem coletiva e estou ansiosa para participar dessa! Li hoje no blog Mulher e Mãe e estou repassando a informação. Estou doida para falar sobre esse tema, mas por enquanto vou me segurar. Guardar meus pensamentos para as conversas que acontecerão!


Quarta-feira (09/05)
Festa no Facebook (grupo Mulher e Mãe
Tema: Nem cor de rosa, nem negra. A maternidade é lilás.
Horário: das 14h30 às 15h30

Quinta-feira (10/05)
Festa no Twitter
Tema: Mãe Perfeita? Não, obrigada!
Horário: das 14h30 às 15h30

Sexta-feira (11/05)
Blogagem Coletiva 
Tema: O que eu realmente gostaria de ganhar no Dia das Mães
Horário: O dia inteiro
*Faça seu post e mande seu link para equipe@mulheremae.com.br para divulgarmos aqui em nosso blog.

Ah, minhas noites....

Desde que nasceu Luquinha dorme bem à noite. No início acordava de três em três horas, depois passou a acordar duas vezes na noite e logo em seguida uma vez só. Até que de uns tempos para cá náo estava mais acordando nenhuma vez. Ia dormir às 21h e acordava às 6. Mas como a maternidade faz questão de reforçar sempre que não gosta de rotinas... rsrs... Essa semana ele passou a dar trabalho de madrugada.

Primeiro achei que era por causa da comidinha que tinha sido introduzida e estava dando dor na barriguinha. Mas logo vi que não era porque independia se ele tinha feito cocô ou não, ou do que tinha se alimentado (leite ou comida). Então veio um resfriadinho e eu vi que era por causa do catarrinho no nariz, que devia estar atrapalhando sua respiração. Mas o resfriado passou e essa noite ele deu trabalho de novo.

Fui, então, para o meu super mom Google: BabyCenter. E não é que estava lá no fórum dessa semana... Uma mãe, no BabyCenter dos EUA, dizendo que não sabia o que estava acontecendo... Seu filho de quatro meses e algumas semanas que sempre havia dormido bem estava acordando direto à noite. Eis a explicação de uma das mães: com quatro meses o bebê começa a ter o sono mais parecido com o dos adultos. Portanto, como nós, ele acorda algumas vezes durante a noite. Para a gente isso já é tão normal que voltamos a dormir sem nem ter percebido que havíamos acordado. Mas para eles não. Eles têm dificuldade em voltar a dormir, por isso começam a resmungar, pedindo ëi, você pode vir aqui me fazer dormir, por favor?".

Mas aí eu começo a pensar que... se eu for até o quarto pegá-lo no colo para niná-lo e fazê-lo voltar a dormir ele vai se acostumar com isso e não vai mais dormir direto nenhuma noite.... Posso estar errada, mas isso me parece correto. Então, como resolver? Bem... Não sou nenhuma expert, mas o que acho mais correto: ir até o quarto, colocar a chupetinha no baby, fazer um carinho nas costas, arrumá-lo de ladinho do jeito que gosta de dormir e sair do quarto. Com certeza ele vai acordar novamente, mas aí eu vou lá e faço a mesma coisa de novo, até ele dormir de vez.

Vai ser cansativo fazer isso até a fase passar - a mesma mãe disse que em duas semanas mais ou menos isso deve passar. Mas vale a pena, porque depois disso ele vai voltar a dormir sozinho, como antes. Pelo menos eu espero que aconteça assim, né... rs

Hoje vamos contar com um MEGA apoio! O berço que compramos para ele está montado!! Desde que nasceu até hoje - tirando os primeiros dois meses que ele dormiu quase todo dia no carrinho - dorme no playard, um berço que aqui no Brasil chamamos de berço para camping. Acontece que, diferente do que era para acontecer, o berço está envergando por causa do peso dele. E acho que isso a longo prazo não fará bem para sua coluna e para seu sono. Então acabamos comprando o berço normal, que, a princípio, não fazia parte dos nossos planos.

Mal o rapaz terminou de montar, Luquinha começou a choramingar de sono. Coloquei o lençol e o coloquei no berço. Ele ficou lá alguns minutos olhando para cima, para os lados, fazendo o reconhecimento da novidade... Fui almoçar e depois de um tempo em silêncio fui lá ver o que havia acontecido... O pequeno estava dormindo feito um anjinho! E está até agora (há mais de uma hora, o que, para ele, é um record durante o dia rsrs).

Meu anjinho dormindo na nova caminha!!!





05 maio 2012

As mudanças

Bem, hoje não vou falar sobre como o Luquinha está esperto, como está prestando atenção em cada barulhinho feito ao seu redor, em como está virando com mais eficiência, em como está acordando sem chorar e dormindo a noite toda, sobre como detesta frutinhas e come as papinhas salgadas com vontade, sobre como ainda está chatinho para mamar ou sobre como é o menino mais simpático que eu conheço.

Hoje vou falar sobre mudanças. Minhas mudanças. Não, não é sobre como engordei ou emagreci, sobre meu cabelo que não para de cair ou sobre minha TPM que parece ter chegado, sem nenhum sinal da outra dita cuja... Mas sobre a maternidade em seu significado mais profundo. É, pode ser cedo para falar disso ainda. Há muito o que viver, muito o que pensar e muito o que sentir a respeito desse papel novo que venho desempenhando aos trancos e barrancos há quatro meses.

Mas já posso falar algumas coisas... Como, por exemplo, o fato de que de repente, de um dia para o outro- mais especificamente do dia 17 para 18 de dezembro -, eu passei a ser mãe em primeiro lugar e tenho certeza de que será assim para sempre. Eu acordo pensando que está na hora do Lucas mamar e vou dormir desejando que ele tenha uma boa noite. Quando penso no trabalho, penso em como ele ficará sem mim durante o dia. Quando penso nas próximas viagens que quero fazer, penso nele no carrinho comigo, passeando pelas ruas que serão descobertas por nós. Quando penso no amanhã, penso na educação que quero que ele tenha e até quando penso no passado, penso sobre o que seria da minha vida sem ele.

Tão pouco tempo e tanta novidade! Para ele, tudo é novidade. Para mim também. Ele está conhecendo o mundo! E eu estou conhecendo o mundo dele. Por enquanto, a gente só se diverte. Mesmo nos momentos mais tensos - quando nãpo há botão off que faça o choro parar -, ainda consigo aproveitar alguma coisa. Seja pelo simples fato de saber que se ele está chorando, é porque ele está aqui.

É linda a maternidade.

É, sim, muito, muito cansativa e requer uma paciência que a gente nem sabe que tem.

Mas ela é linda.


O melhor trabalho do mundo

01 maio 2012

Novidades

Novidade 1 - Hidroginástica 

Ontem eu e Aline começamos a hidroginástica! Quem nunca fez - como eu nunca havia feito - imagina - como eu imaginava - que é uma atividade super tranquila! Você olha sempre a expressão facial daquelas senhoras na piscina, conversando sem parar, rindo, e acha que aquilo ali é mais um momento de diversão do que uma preocupação com o corpo. E de fato é, para muitas delas.

Mas acontece que o exercício é pesado. E olha que quem vos fala é uma corredora fanática, que em seu auge corria 10km a 10km/h ou 11km/h. É muita força na barriga e nos braços. Muita mesmo, gente! Você pode até não acreditar, mas dá para ficar malhadinha com a hidro. E eu adorei, né. Talvez nem mude para natação depois como havia planejado!

Fomos na disposição, numa segunda-feira, véspera de feriado - não que isso faça diferença para mim, que estou de licença, mas sabíamos que se houvesse aula, era muito provável que não tivesse ninguém lá para fazê-la -, quando chovia horrores, no último horário disponível! Mas nada segurou a gente! Fomos com muita força de vontade! rs Chegamos lá e realmente não tinha ninguém, mas o professor estava e tivemos uma aula quase que particular, se não fôssemos duas.

Novidade 2 - Mesinha do escritório

Quando nos mudamos para este apartamento que estamos morando agora, ficamos com algumas coisas da moradora antiga. Ela deixou cortinas, uma mesa de seis lugares na cozinha e até ar condicionado! Além disso, ficou no quarto do Lucas um móvel de escritório: uma escrivaninha com uma estante, tudo acoplado na parede.

Primeiro quis tirar, mas depois vi que daria muito trabalho! E o móvel é bom, daqui a uns dois ou três anos o Luquinha estará com lápis na mão colorindo, desenhando e logo depois escrevendo... valia a pena ficar com ele. E ficamos.

Mas hoje ele não ter serventia para o Luquinha. Tem, sim, para mim.

Estamos aqui há dois meses e ainda não tinha organizado a tal mesinha. Não pode ser qualquer organização, pois pode ficar feio e aí o que vai ficar feio é o quartinho do Lucas. E isso eu não quero, né. Enquanto não compro os artigos de decoração para a tal mesinha, dei um jeitinho nela. Coloquei uma luminária do Lego, da Imaginarium, que o Lucas ganhou da familia Magrilli Molle (minhas amigas desde mini), uns caderninhos, uma florzinha artificial e ficou assim, olha:



Ainda quero colocar algumas coisas penduradas na parede, tipo um espelho, um mural de cortiça (adoro murais de cortiça), uns quadrinhos... algo bem colorido, que combine com quarto de criança, mas que também combine com uma decoração cool para adulto.

Conforme for ficando mais bonitinho e arrumadinho, vou colocando fotos aqui para mostrar!

Novidade 3 - Encontro com amigos

Ontem fomos almoçar na casa da Cavour, com ela, Daniel, Dani e Rafa. Fomos eu, maridão e baby. Foi uma delícia! Não só a comida haha O encontro, as conversas, a companhia, o clima! Tudo estava perfeito! Luquinha se comportou bem - deu uma vomitadinha logo que chegou hehehehe mas mesmo assim estava tranquilinho.

O Rafa, que é meu irmão, tio do Luquinha e padrinho de consagração dele, deu de presente um canguru da Chicco. Adoramos e tenho certeza que Luquinha vai adorar também!! Já não gosta tanto de ficar no sling, porque fica todo apertadinho e querendo se mexer. No canguru ele terá os braços e as pernas livres para fazer o que quiser. E o papai - que não gostava de usar o sling - vai poder carregá-lo por aí sem problemas agora.