24 março 2012

A culpa - Será que nunca acaba...

Em todos os fóruns de maternidade que acompanho e participo, ela é sempre a mais falada, a mais citada e parece estar presente em absolutamente todas as casas das mães por aí. Tudo bem, eu só acompanho "novas" mães. Por isso a dúvida: será que ela nunca vai embora... Minha mãe, minha madrinha, minha avó... elas podem me dizer. Aliás, digam, por favor. Porque é culpa que não acaba mais:

- O Luquinha é bebê e não quer mamar. Ele não apresenta sinais de fome, não chora e na hora que era para ele estar morrendo de fome, olha para mim e sorri, como quem diz: EU NÃO ESTOU COM FOMEEEE! Vamos ao pediatra, ele ganhou 250g, e quem é a culpada... eu. Na minha cabeça ninguém muda isso. Racionalmente sei que não tem nada a ver comigo. Eu me esforço ao máximo para ele mamar, insisto nas mamadas, ando com ele pendurado no meu peito pela casa pelo tempo que for se for preciso, acordaria qnts vezes fosse preciso de madrugada - se esse fosse o caso - para dar de mamar. Mas ele simplesmente não parece ter interesse. rs 

- Aí eu penso: ah, ele é um bebezinho. Vai passar... Será... Porque eu bem me lembro da minha infância, do que fiz minha mãe passar por não querer comer tudo na hora do almoço. Fico imaginando... se eu não ganhasse peso ou ficasse doente porque não comia direito, mesmo que não fosse culpa da minha mãe, será que ela se sentia culpada... 

- Resolvo, então, dar o complemento para ele. Eis que hoje de manhã vou checar a fralda e... só xixi. Cadê o cocô que deveria estar ali::: (interrogação... ainda não resolvi o problema do meu teclado) Nada! Só xixi mesmo e até agora nem sinal do dito cujo. Então o que sinto por ter dado o complemento... culpa. 

Ai, tudo bem. Você vai dizer que eu me culpo demais, que não deveria me sentir assim, que eu tenho que relaxar e, como minha mãe disse, a primeira coisa que eu tenho que fazer é acabar com a culpa. Tento, juro. Mas acordo e vou dormir pensando nisso. È difícil se livrar dela. 

Então volto com o plano A da pediatra: suquinho de laranja e frutinha, com águinha nos intervalos. Vamos ver se dar certo...

E, enquanto isso, se tiver alguma dica para acabar com a culpa (ioga, meditação, chazinho, remédio... hahaha), sou toda ouvidos!

5 comentários:

  1. Culpa... bom tema. Kkkk Culpa, sinto dizer à você meu amor... vc sentirá o resto da vida, em muitos, muitos momentos. Vamos do começo, primeiro vem a culpa de não amamentar o tanto que “vc. Acha que deve, e não o que ele sente necessidade”, culpa de às vezes perder um pouco a paciência por estar exausta, e como ficamos não é mesmo, culpa por achar que, se pegou um resfriado, foi porque não cuidou direito, que deu banho quente e o vento que estava no quarto... e por aí vai, ela acompanha qualquer mãe de primeira viagem, na segunda a gente fica mais light, mais relaxada, já sabe como funciona e nos cobramos menos. Vc., assim como eu “era”, é perfeccionista, quer tudo direito, funcionando. Casa arrumada, filho cheiroso e gordinho, tudo esquematizado e funcionando, isso, vou dizer, é IMPOSSÍVEL, alguma coisa vai ficar para trás, e se isso não acontecer em menos de 6 meses vc. Vai se olhar no espelho e perguntar onde “VOCÊ” foi parar, acabamos cuidando de tudo, menos da gente, e vamos ficando excessivamente magras (aconteceu comigo também), abatida, não nos maquiamos mais, pois o cansaço vai se instalando.... Agora pergunto: é saudável uma criança gorda? Hoje não mais, Lucas esta ótimo, como o tamanho acima do normal, peso bem distribuído, engordando, mesmo que seja pouco, esta ganhando peso, então amor DEIXE DE SE CULPAR, DE SE COBRAR TANTO, vc é uma ÓTIMA MÃE, é nítido isso em tudo que sei do Lucas, é uma criança bem nutrida, saudável visto que não teve nada até agora, fora o refluxo que é relativamente normal em bebês, tranqüilo e riso, ou seja, esta TUDO PERFEITO, desencane.
    Continuando, aí vem a infância, e vc vai se culpar por não ter sentado com ele para estudar, porque tinha um trabalho importante a fazer e aí veio uma nota baixa, vai se culpar quando ele, numa distração de segundos, cair e se machucar às vezes com bastante sangue.
    Virá a adolescência e vc perderá a calma inúmeras vezes, mesmo lembrando que passou por essa fase e que se irritava com sua mãe, vc vai ver que usará as MESMAS palavras, terá os mesmos medos e cuidados. Virá depois os vestibulares, como a gente se culpa nessa fase, porque não insisti que estudasse mais, porque não botei num curso de espanhol, porque não coloquei no Kumon, e por aí vai. Passado isso virão os namoros, e que raiva as vezes ficamos dos namorados que fazem nossos “nenéns” sofrerem... dá vontade de matar, e aí pinta a culpa... devia ter ensinado a ter defesa mental, a ter uma atitude que não permitisse que fizessem isso com “nossos bebê”.
    Para completar vem a idade adulta.... essa meu amor é a pior, acredite, porque aí vc vai ver que ele não é vc, que muitos conceitos seus e que vc. Acredita que são imprescindíveis, para ele não serão, e aí vem a culpa de não ter conseguido que “entendessem” o que vc acha que é importante, mas como Deus é perfeito em tudo, ele trás ao mesmo tempo para vc a maturidade, e ELA vai fazer vc esquecer todas as culpas e entender FINALMENTE que todas essas culpas não existem, são bobas, pois SEMPRE SEMPRE SEMPRE vc terá feito e dado o melhor de você para seu filho, PORÉM nem sempre o SEU melhor é o melhor para ELE... e nesse momento vc se dá “alta” e vai viver feliz kkkkkkkkkkkkkkkkk, acho quer consegui resumir para vc a dita CULPA . Beijo e te amo muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dinda, obrigada por esse texto!!! Com certeza cada palavra ajuda, faz com que eu me sinta mais tranquila. Às vezes entro num ciclo de preocupação excessiva que é difícil sair, mas quando leio depoimentos assim fico mais calma. =) Cheguei a tentar dar o NAN, mas ele não quer de jeito nenhum. rs Bom, pelo menos, mesmo que pouco, continua mamando no peito e comecei a dar a frutinha hoje. Ele comeu direitinho, quase toda a banana. Pode imaginar como fiquei feliz, né. rsrs Que bom que, mesmo que na fase adulta deles, a culpa acaba hahahahaha Pelo menos não é para sempre. rsrsrs Beijos, dinda!!!

      Excluir
    2. kkkkkkkkkk fique tranquila, a culpa nos acompanha mesmo, só não podemos deixar que ela nos desvie do caminho a ser trilhado, coragem e determinação são os antídotos. Bjo amor.

      Excluir
  2. Julia, o Nino também mamava bem pouco quando era bebê, nuncaaaaaa tive 20 minutos de mamada, eram 5 minutos no máximo e ele dormia. Eu ficava aflita, mas o pediatra me tranqüilizava e me incentivava a amamentação exclusiva até o sexto mês, ele era bem magrinho, mas sempre esteve saudável, acho que preferia dormir do que comer. Aos 6 meses quando comecei a dar comida ele começou realmente a engordar, compensou os seis meses de preferencia ao sono hahahaha Mas é inevitável a culpa sempre está lá do nosso ladinho nos perguntando se estamos fazendo certo! Bjoooooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Laiz, muito obrigada pelo seu comentário! É legal ver que dá tudo certo depois! Uma amiga minha disse: Julia, depois eles nem vão lembrar dessa fase, então desencana. rs E é verdade. Como ele ganhou muito pouco peso, a médica indicou que ele começasse as frutinhas e suco nesse mês (porque eu volto a trabalhar em maio, de qq forma antes dos seis meses precisaria introduzi-los). Acho que isso vai ajudar. =) Um beijo, Julia.

      Excluir