27 fevereiro 2012

Ufa...

Andei sumida e queria eu que fosse por causa do Carnaval. Uma viagem para Búzios, com muita sombra e água de cocô, aquele vento gostoso do final da tarde (mas sem areia na cara, por favor), um passeio à noite na fresquinha Rua das Pedras, um mergulho na João Fernandes... Ah, o Carnaval dos sonhos.

Mas não, não foi por isso, pelo menos não desta vez.

Luquinha tomou a vacina dos dois meses na quarta, como eu havia mencionado no post anterior.

Ok, até aí tudo bem. Febre era esperada e lá fomos nós com o Paracetamol.

Mas eis que em meio à febre, surge uma tosse inesperada. Respiração ofegante, chiado de madrugada... hummm... Me lembrou a bronquite do meu irmão quando éramos pequenos. Logo de manhã liguei para a pediatra que pediu que eu o levasse na emergência. Com respiração não se brinca e lá fomos nós.

O médico examinou o peitinho dele, checando o pulmão e disse que estava limpinho. Não é que Luquinha deitado na maca começou a rir para o médico. Com a respiração perfeita - por que as crianças fazem questão de nos desmentir, hein -, dando risada à beça, o médico no mínimo achou que eu era louca. Disse que o Lucas estava perfeito e eu não tinha com o que me preocupar.

Tudo bem... clinicamente sim, mas eu conheço meu Luquinha. Ele não estava como normalmente é. Com o maridão viajando, achei melhor partir para um porto seguro. Arrumei as coisinhas dele e fomos para a casa dos meus sogros.

O problema é que ele estava, aparentemente, respirando normal. Mas quando chorava não saía voz, sabe. O que me deixava muuuito preocupada. Parecia que ele ficava sem ar. Uma coisa. =(

No dia seguinte, depois de uma noite com respiração ofegante, levei ele na emergência de novo. Desta vez uma médica nos atendeu. Ela disse que ele realmente não tinha nada no pulmão nem na garganta (alívio), mas que estava com uma obstrução nasal. Nos encaminhou para a enfermagem, onde uma enfermeira meiga e carinhosa me disse que enfiaria um tubo pelo narizinho dele que poderia causar um pequeno sangramento.

Lágrimas brotaram e caíram dos meus olhos.

Mas logo tive que me conter para segurar o Luquinha. Berreiro, tubo enfiado, tubo retirado e nada de secreção (nem de sangue, ufa!).

Fomos à farmácia comprar os remedinhos que a médica receitou.

Ficamos na casa dos meus sogros até que o Igor chegasse, no domingo de manhã.

Igor chegou, Lucas melhorou 90%. Está ainda com uma tosse de vez em quando, mas acho que essa ele já tinha antes disso tudo.

Fomos com ele dar um passeio num shopping aberto aqui do RJ. Ele adorou e se comportou como um menininho fofo e educado. ;) Mamou em público pela primeira vez (fiquei com um pouco de vergonha e coloquei o cueiro em cima rsrsrs).

Eu e maridão tomamos sorvete e picolé, sentamos na cafeteria, tomei um Capuccino delicioso, maridão comeu uns salgadinhos, assistimos o primeiro gol do Fluminense em cima do Vasco (uiii) e fomos para casa. Antes demos uma passada na casa da tia Monique para que ela pudesse dar um beijinho no Luquinha. Aí, sim, fomos mesmo para casa.

* Luquinha dormiu sete horas seguidas essa noite. Que marravilha!!!

* Fomos à nova pediatra essa semana e adoramos!! Luquinha cresceu  (61cm) e engordou (6,215kg).

* O que ele tinha (tem) era (é) mesmo refluxo. Ela receitou o remedinho que ele tem que tomar todo dia, por, pelo menos, um mês. E nos explicou que o refluxo nem sempre chega ao vômito. Ele tem fases, o leitinho pode voltar um poquinho, um pouco ou um poucão, sempre machucando o bebê. Por isso que ele chorava ao mamar.






2 comentários:

  1. ai q bom q ele esta melhor, o meu continua com tosse esta tomando predinisona diz o medico da emergencia q e tosse alergica, seu filho e lindao, parabens

    ResponderExcluir
  2. Nossa, q sufoco! Ainda bem que já descobrisse que é refluxo, com o remédio logo ele vai estar bom! Mas deve ser uma loucura acontecer essas coisas e a gente não saber o q fazer, né?!
    Mas ainda bem que está tudo bem agora.
    Beijo

    ResponderExcluir