17 fevereiro 2012

Deus

Já falei aqui em outros posts sobre isso: acredito em Deus, mas não tenho uma religião. Não tenho porque pelo pouco que conheço delas discordo de muitas coisas. Não tenho porque provavelmente não sei o suficiente sobre elas. Não tenho porque não acho necessário ter, pelo fato de eu ter fé, acreditar em Deus e possuir conceitos que me fazem ser uma pessoa útil para a sociedade (acredito que o errado é sempre quando fazemos mal a alguém... Nem sempre conseguimos evitar isso... Se conseguíssemos não seríamos este carnaval de sentimentos que é o ser humano... Mas só de procurarmos fazer o bem todos os dias e evitarmos que o mal entre em nossas vidas e na vida das pessoas que estão ao nosso redor, acredito que seja o primeiro passo para uma vida digna).

Só que eu sempre pensei numa coisa: quando tivesse filhos, ia querer me esforçar mais para buscar uma religião com a qual eu me identificasse. Bem, agora eu tenho um filho. E gostaria mesmo de cumprir esta tarefa que propus a mim mesma.

Ainda não sei quando ou como vou fazer isso (a gente organiza nosso tempo de acordo com nossas prioridades e como eu acredito em Deus não me sinto órfã por não ter uma religião, portanto acaba não sendo uma das minhas prioridades). Mas a internet é muito valiosa nesses momentos, pois posso pesquisar sobre as religiões, sobre doutrinas e crenças diferentes, sobre ensinamentos etc.

Gostaria de uma religião que permitisse às pessoas o livre pensamento. Que não se calçasse em histórias que possam ou não ter existido, mas em sentimentos e ações que deixem a vida mais bonita. Que fosse honesta. Que defendesse o amor ao próximo porque simplesmente ele é o que há de mais sensato para uma vida harmoniosa e não porque alguém algum dia disse que tinha que ser assim.

Enfim... vamos iniciar esta busca.

Mas, enquanto isso, me sinto bem protegida por acreditar em Deus e acreditar nas coisas boas. Acreditar que conseguimos tudo o que queremos, quando desejamos de coração. Acreditar que aqui fazemos e aqui pagamos, não por vingança, mas por regra. Rezei para que o Lucas viesse para nossas vidas, rezei para que ele crescesse saudável dentro de mim e agora que ele nasceu, rezo todos os dias para que ele seja muito feliz. E, para mim, é isso o que importa! :)

2 comentários:

  1. Ju!! Eu sou igual a você. Fui batizada pela igreja católica, acredito em um pouquinho de cada religiao. Discordo de muitas coisas mas acredito em Deus. Nao frequento igrejas, missas e nem leio a bíblia e isso nao faz com que eu me sinta longe de Deus. Pra mim, Deus está em todos os lugares. Ele é uma energia. E para se aproximar dele, nao é preciso ir a nenhum lugar. Mas de acordo com as coisas que voce falou que procura numa religiao, acredito que voce possa encontrar no Kardecismo. Conhece? Procura saber....é a que eu mais me identifico e procuro as mesmas coisas que voce. Um beijo e boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. Ju, eu sou kardecista. Acredito em Deus, Jesus, tenho fé (mas não falo muito sobre isso pois acho uma decisão de cada pessoa e não pretendo ficar influenciando). Acho que religião é algo super pessoal e tem o principal objetivo de nos tornar pessoas melhores, pra gente e pros outros. Fazer o bem, cuidar da sociedade e do planeta, tentar controlar quando estamos com raiva. Já conheci várias religiões e acho que todas são válidas, a melhor pra você é a que te deixa mais próxima de Deus e te faz fazer o bem. Essa procura é ótima e só sua. Espero que encontre algo em que acredite e ter Deus no coração já é sua forma de ter sua fé. Bjoooooo enorme

    ResponderExcluir