19 janeiro 2012

.um mês


Ontem, dia 18 de janeiro, Lucas completou um mês de vida. Fizemos um bolinho para comemorar seu nascimento - falei com o Igor que temos que comemorar todos os meses, até ele fazer um ano, aí passamos a comemorar anualmente. O bolo quem escolheu - e fez - foi o pai: bolo de coco com cobertura de beijinho. Ficou uma delícia. Não comi uma fatia inteira, porque fizemos à noite e eu não queria arriscar passar a madrugada acordada com Luquinha por causa de gases e cólica. Mas comi um pedaço da fatia do Igor para marcar o momento. ;)

Este mês voou. Parece que foi ontem que chegamos com o pacotinho da maternidade, sem ter ideia do que vinha pela frente (como se agora tivéssemos, né rsrs). 

Olhando para trás, posso dizer que foi um mês muito tranquilo! Lucas mostrou ser um bebê anjo, muito calminho, que só dorme e mama. Desde o início aprendeu a dormir à noite, acordando somente para as mamadas. E até hoje é assim. O que mudou mesmo dos últimos dias para cá é a tal da cólica que resolveu dar o ar da graça. Ainda assim, mesmo com cólica, ele é controlado. Vejo relato de mamães que não conseguem dormir e não conseguem fazer o bebê parar de chorar e fico rezando para que o Lucas continue do jeito que está hoje, mesmo com as cólicas.

Algumas vezes, devo admitir, principalmente quando o Igor viaja e eu fico sozinha e, logo, mais sensível a qualquer mudança na rotina do Luquinha - com medo de estar fazendo algo de errado ou de ter algo de errado com ele -, tive vontade de chorar. Essa vontade vem quando ele chora berrando, geralmente quando está com dor é assim, ou quando, por qualquer outro motivo, ele não quer dormir de jeito nenhum. Dá um desespero... Mas todas as vezes que senti vontade de chorar por causa dessas coisas, não me permiti. Quem tinha que chorar era o Luquinha e eu tinha que estar ali inteirinha para ajudá-lo, seja o que fosse que estivesse precisando. 

Eu sei... não dá para ser tão durona. Mas foi a forma que pensei na hora e deu certo. Segurei o choro e busquei alternativas para resolver a situação na hora. Na hora que eu precisar chorar de verdade - e eu espero que não precise -, vou saber. 

Mas a verdade é que eu agradeço todos os dias por Lucas ser exatamente como é! E isso se deve a três fatores: Ele mama bem, o que - só os pais sabem - é uma dádiva! Fico preocupada quando ele mama pouco ou quando não consegue mamar por causa da cólica. Ele dorme à noite. Mesmo acordando duas vezes a cada noite para dar de mamar, o que faz com que nosso sono não seja completo e minhas olheiras aumentem um pouco, conseguimos descansar bem dormindo cerca de 7 horas por noite. E ele quase não chora. Como disse, tem chorado no mesmo horário todos os dias por causa da cólica, mas aos poucos estamos encontrando mecanismos para fazê-lo relaxar - pego ele no colo e balanço como se estivesse dançando reggae hahahaha É verdade, ele fica calminho e até dorme. É bom que faço um exercíciozinho também. rsrs

O ciclo de saúde do primeiro mês também está todo completo. A consulta com o pediatra já aconteceu, como vocês viram no post anterior e está tudo em ordem. Hoje fomos ao posto de saúde dar a segunda dose da vacina contra a Hepatite B. Ele deu uma choradinha quando o líquido entrou, mas logo dormiu de novo. Agora, próxima consulta só em fevereiro, mês também em que ele tomará as vacinas mais importantes.

Pontos que mudaram desde o início até agora na minha vida:

Não vou mais de hora em hora até o berço ver se ele está respirando (fazia muito isso no começo);
As brotoejas não me incomodam tanto, principalmente desde que a cólica apareceu e aí, sim, eu vi que tinha uma situação realmente importante para me preocupar;
Ele não escorrega mais no banho, porque aprendemos que ele não é tão sensível quanto achávamos e conseguimos segurá-lo com mais força;
Não me sinto mais culpada por não dar banho nele de água filtrada e fervida. As coisas estão indo bem com água do chuveiro mesmo;
Não tenho mais dor nos seios como tinha no início, quando o leite chegava. Ainda sinto o leite chegar, mas a dor é muito mais amena, quase como um incômodo somente;
Parei de me forçar a seguir estritamente o que o livro "Encantadora de bebês" diz. Absorvi as coisas mais importantes, estou aplicando-as e criando minha própria rotina.

Pontos que mudaram no Lucas:

Ele regurgita de vez em quando, o que me deixa mais satisfeita, pois antes ficava com medo de regurgitar somente quando o deito;
Ele olha nos nossos olhos e, posso estar enganada, mas tenho a sensação de que ele já reage a nossa voz, quando falamos com ele bem pertinho;
O cocô não é mais a cada troca de fralda;
Ele levanta o tronco e a cabecinha quando o colocamos de bruços;
Ele nos acompanha com o olhar - ou a qualquer objeto colorido que colocamos na frente dele (não todas as vezes, às vezes ele simplesmente ignora que estamos ali rs);
A fralda P já está ficando pequena para ele.

É isso, galerinha! Estamos muito felizes e cada dia mais apaixonados pelo Luquinha.

Tangerina, papai e mamãe comemorando um mês completo do Lucas com um bolinho de coco com cobertura de beijinho delicioso que o daddy fez!


Mamãe brincando com a máquina rs
Hoje de manhã, dia 19, antes de irmos ao posto de saúde para  a segunda dose da vacina contra Hepatite B


    

Um comentário:

  1. Julia, você é a verdadeira encantadora de bebês! Quero ser uma mãe igual a você! Adoro sua sinceridade na sua escrita, dá pra te ver exatamente como você é! Beijos!

    ResponderExcluir