04 janeiro 2012

Tempo

Eu achei que as coisas fossem ser diferentes. Conseguia me imaginar com olheiras, cansada, mal humorada, há semanas sem dormir direito e sem tempo para respirar. Talvez eu soubesse que não seria assim... Via amigas que acabavam de ter filho no Facebook e isso era o suficiente para eu saber que elas tinham, sim tempo, diferente do que me disseram durante toda a gravidez.

Sei que isso independe de mim. Tem 100% a ver com o Lucas, que é um anjinho, quase não chora, tem poucas dores de gases e até agora, graças a Deus, não teve cólica. Eu só aproveito que ele é assim e faço com que ele tenha uma rotina estruturada, para que os próximos meses sejam mais fáceis para todos nós.

Hoje eu tenho tempo. Tenho tempo de escrever no meu blog, de ouvir música, ver filmes na TV, comer com calma. E sou grata a isso, até porque, o Lucas ainda é muito novinho e eu não sei por quanto tempo vai durar essa calmaria. Enquanto ele está acordado, tento aproveitar ao máximo o tempo com ele. Fico do ladinho, converso, mostro brinquedos, vejo se ele presta atenção nas cores etc.

Tenho tido tempo de lavar as roupinhas dele e manter tudo limpinho e organizadinho. Coloco música para ele escutar todo dia de manhã também. Dou de mamar na hora que ele quer, que é, normalmente, de 2h30 a 3h depois da última mamada. Se ele mama menos, esse tempo diminui e se mama mais, pode aumentar, mas eu costumo acordá-lo para não deixar passar das 3h. Só à noite que é diferente.

E aí eu, inquieta do jeito que sou, começo a procurar coisas para fazer com este tempo que sobra: posso tirar muitas fotos dele, posso escrever um livro - ah, esse livro fantasioso rs -, posso atualizar meu diário, que há muito anda abandonado, posso rever os meus filmes preferidos que tenho em DVD, posso prestar mais atenção nos telejornais de todos os canais abertos, o que pode me ajudar quando eu voltar a trabalhar, posso voltar a ler os jornais todos os dias - será... -, posso ler livros, baixar músicas novas... Posso tudo!

Mas, na maior parte do tempo, tudo o que eu quero é ficar do ladinho do Lucas, seja para ficar olhando para ele enquanto dorme, dando de mamar ou chamando sua atenção para as coisas e cores ao redor.

***

Não tenho lembrado dos meus sonhos, mas sei que todos os dias sonh com algo relacionado à maternidade. Essa semana, sonhei três vezes com coisas relacionadas aos meus avós paternos, que já faleceram. Em um dos sonhos eu lembro que eles estavam presentes. Eu os amo demais, éramos muito próximos, mas sempre fico com um pouco de medo quando sonho com eles. É comum, inclusive, que eu tente entender o que o sonho queria dizer. E é mais comum ainda que o sonho queira, de fato, dizer algo - pelo menos na minha cabeça.

É claro que o momento facilita este entendimento. É o nascimento de alguém na família! Não é toda hora que isso acontece. O último que aconteceu foi a Bia, filha da minha prima Verõnica, há 4 anos. Sei o quanto isso seria importante para eles, se estivessem aqui. E sei o quanto seria importante para mim, que eles estivessem.

Gosto de sonhar e gostaria de lembrar mais de tudo que tenho sonhado. Talvez eu passe a anotar, logo quando acordar. É o que os especialistas me recomendariam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário