09 janeiro 2012

EASY - para mães de bebês

Definição Eating (comer), activity (atividade), sleeping (dormir) e you (você)


Trata-se de um termo criado pela enfermeira Tracy Hogg, autora do livro "Encantadora de Bebês" e significa uma rotina para tornar as coisas mais fáceis na criação do seu bebê. A ideia é que, com o easy, você tenha o controle da situação, ao invés de deixá-lo a cargo do baby que acabou de chegar. É comum que isso aconteça e algumas mães não se importam (de deixar o bebê dormir na hora e pelo tempo que ele quiser, mamar na hora e no tempo que ele quise - mesmo que isso signifique dois minutos por vez - etc).

A ideia é que o easy seja instaurado desde a chegada em casa da maternidade, mas não consegui fazer isso logo de cara. Na verdade, fui tentanto aos poucos. As mamadas foram mais fáceis, já que na maternidade elas também falam para que ele mame de três em três horas. Ele foi se acostumando assim desde o início. Já a hora das atividades e hora de dormir, fui deixando as coisas acontecerem da forma dele nas duas primeiras semanas. Como ele dormia bem à noite e tirava boas sonecas de dia, não me importei de deixar as coisas desse jeito.

Mas ao final da segunda semana, achei que era hora de começar a instaurar o easy de verdade, para que nós dois possamos ter uma rotina bem definida.

O passo mais diferente do que eu já estava fazendo, entre os quatro steps do easy, era a hora das sonecas. Eu deixava o bebê dormir à vontade, quando percebia que ele estava com sono, o colocava no berço e deixava ele lá, até que adormecesse. Às vezes demorava um pouco, ele ficava balançando bem as perninhas e os bracinhos, dava umas choradinhas de leve e depois de algum tempo dormia.

Mas, no livro, ela fala de uma técnica que funciona quase 100% das vezes. Tem um capítulo no livro só sobre isso, "Ensinando o bebê a dormir". É o tal do Ritual dos 4 S: Situação (deixar o ambiente agradável para o bebê descansar, num lugar fresco, com meia luz, sem muita agitação), Swaddle (enrolar o bebê numa manta para que ele fique com os bracinhos e perninhas presos), Sentar (sentar com o bebê silenciosamente, sem estimulação física) e, quando necessário, Silenciar e dar tapinhas (aquela técnica do shhhhh, shhhhh, com ele já no berço).

É importante que na parte de sentar com o bebê e na parte de silenciar, caso seja necessário (quando o bebê chora depois de você colocá-lo no berço), você fique, ao menos, cinco minutos fazendo aquilo. É o tempo que ele precisa para acalmar e poder voltar a dormir. Na parte de silenciar, ela chega a pedir que você fique de 7 a 10 minutos fazendo isso, mas pode ser que ele relaxe antes. 

O que eu sinto que é o mais importante é a parte do swaddle. Isso realmente deixa o bebê mais seguro e ele não fica "pedalando no ar", com a sensação de que está solto e de que pode cair a qualquer momento (é o que eu imagino que ele sinta... é como eu me sentiria rs). Às vezes ele não dorme, mas fica quietinho e calminho no berço.

****

Tive que parar o post para dar de mamar, depois ele descansou um pouco, depois demos banho nele, dei de mamar de novo e agora ele dormiu. Aliás, é importante falar disso: dormiu enquanto eu estava tentando fazer com ele arrotasse. Apagou, na verdade, porque não conseguiu descansar direito no final da tarde. Até ficou quietinho, mas não chegou a dormir. Então, como ele estava apagado e agora já é hora de dormir de verdade - ele começa o ritual do sono com o banho (às 19h30 +/-, depois mama e o colocamos para dormir no escurinho, no silêncio, no fresquinho), não cheguei a colocá-lo no swadlle. Só vou fazer isso se ele acordar agitado, mas acredito que ele vá dormir bem até a próxima mamada, às 23h.

Então, o mais importante, além de seguir o ritual que a Tracy fala, é você saber a hora de abrir exceções ou de fazer diferente do que ela está dizendo. Cada bebê é de um jeito, nenhum é igual e eles, inclusive, quando são tão novos assim, mudam a cada dia. Nenhum dia é igual ao outro, pelo menos por enquanto.

Para mim, a principal lição do livro, de todas as coisas que li desde o início da gravidez e o que estou aprendendo desde que o Lucas nasceu, é que algumas perguntas devem ser feitas: primeiro em relação a você, se você está bem, se está conseguindo descansar, se está relaxada, ou se mesmo cansada está feliz e satisfeita; e, segundo em relação ao bebê, se ele está saudável, se alimentando bem, dormindo bem e evoluindo conforme o esperado.

Se as respostas forem positivas, com rotina ou sem rotina, significa que as coisas estão saindo da melhor maneira possível. ;)

Lucas no swaddle, dentro do berço


Um comentário:

  1. Adorei!!! Podia aproveitar essa licença maternidade e ir escrevendo um livro, hein...sobre a experiência, suas próprias técnicas, suas observações...aquilo que vc gostaria que alguém tivesse escrito para vc ler...beijos

    ResponderExcluir