26 dezembro 2011

Uma semana - Natal !!!

Na noite do dia 24, eu, Igor e Lucas ceiamos com a vovó Helena e o tio Preto - Rafa - aqui em casa. Luquinha deu um trabalhinho antes da ceia. Estava muito calor e ele estava chorosinho. Mamou três vezes em três horas. Nos deu uma canseira, mas às 23 +/- ele dormiu e viemos ceiar. Como as mães que leem este post podem imaginar, estou meio fora das notícias, então não sei dizer se estou certa quando digo que foi, para mim, o dia mais quente do ano - disparado - até agora. Quer dizer, deste verão, já que não lembro o quão quente estava no verão passado. A família Corteletti - do Igor - ceiou na casa dos dindos Luismar e Aline.



No dia seguinte, recebemos a visita dos tivós Sissi e Gena, e dos primos Dudu e Nandinha. Eles, minha mãe e o Rafa passaram o dia aqui conosco. Nandinha pegou ele no colo e ficou toda feliz. A sensação era que ela tinha, pela primeira vez, um bonequinho vivo. ;) Muita felicidade! Fez massagem nos pés da dinda e no ombro, para que eu pudesse relaxar enquanto amamentava o Luquinha. Aprendeu em Búzios, disse ela. A dinda nem precisa dizer que amou, né. rs Dudu ganhou do dindo Rafa um violão! Era o que ele estava querendo de Natal. Ficou todo feliz! Agora tem que aprender a tocar!



Luquinha não estava em seu melhor dia. Acredito que tenha sido o salpicão que comi na ceia e no almoço. À noite, apesar de ter demorado para dormir, quando dormiu, foi como um anjinho. Usamos o Milicon para acalmá-lo, já que, não sei por que cargas d'água, não tem funchicória em nenhuma única farmácia desta cidade. Hoje ele já está calminho de novo.

Estamos tentando colocá-lo na rotina de 3h para mamada. Tem dado certo, a não ser quando algo acontece - muito calor ou gases, como ontem. À noite funciona que é uma beleza. Acredito que seja porque ele fica o dia inteiro na temperatura normal e à noite ligamos o ar condicionado, o que é muito mais relaxante. Temos dado o banho no final do dia, para que ele possa encarar aquele momento como "a hora do sono".



Mas que fique claro: ainda é muito difícil dizer que temos uma rotina. Uma coisa já aprendemos: cada dia é um dia diferente e tem, sim, muitas coisas que dependem do bebê, diferente do que pessoas e livros nos fazem crer (você não tem como dizer quanto tempo ele vai mamar, se ele vai ficar sem sono ou se vai sentir dor - de gases - ou não). É claro que o que podemos fazer para criar essa rotina - como ligar o ar somente na hora de dormir ou dar banho sempre no final do dia, ou tentar adiar a hora da mamada com chupeta e outras distrações -, fazemos.

No mais... é muito amor! Olhar para o rostinho dele enquanto está dormindo, enquanto está acordado, segurar a mãozinha pequenina dele, limpar aquele cocozinho que só a gente entende porque acha cheiroso, ficar imensamente feliz quando sai um arrotinho e um punzinho recheado... São coisas que não têm preço!!! É tanto amor, que dói! E é uma dor boa, que a gente não quer parar de sentir! ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário