27 novembro 2011

37 semanas

Preciso controlar minha alimentação (de novo). É que vai chegando a hora, a gente vai ficando ansiosa, acha que pode comer tudo o que vê pela frente e pronto! Neste final de semana comi muuuitos docinhos, bolos, pudim, sem contar com a farofa de ovo, o churrasco, os mil copos de refrigerante etc Foi aniversário de 93 anos da vó Joana, bisa do Lucas, avó do Igor.

Agora as consultas vão ficar mais frequentes. Estive na médica na sexta, ela mediu a pressão, viu o meu peso e estava tudo ótimo. A próxima é nesta sexta agora, logo depois da ultra, que está marcada para quarta. E daqui a uma semana, entramos na fase de maior ansiedade, se é que tem como, né.

Hoje de manhã resolvi arrumar o armário do Lucas. As roupinhas estavam dobradas e guardadas dentro de lençois. Tirei tudo e coloquei nos cabides e nas gavetas. Está tudo prontíssimo mesmo! As malas da maternidade - nossa e do Lucas - também estão prontas.

Ai aiiii... ;)

Mais um vídeo...

Este eu vi no blog Coisas Minhas. Adorei e resolvi compartilhar. Eu já conhecia outros dois vídeos no mesmo estilo. Este aqui e este aqui. Gostei de todos! Fico pensando se os pais e/ou as mães são publicitários/designers/marqueteiros... É o que sempre passa pela minha cabeça. :)
News from Don Rob on Vimeo.

25 novembro 2011

Quando chega a hora...

Estou no consultório aguardando a chegada da minha médica. Mas tem outra atendendo e acabou de sair uma mulher com a minha idade mais ou menos marcando a entrada na Perinatal. Ai, que ansiedade! Fico pensando como vai ser quando for a hora do lucas nascer... Se eu vou chegar na consulta e ela vai me mandar para casa arrumar minhas coisas e ir para a clínica - como é comum acontecer -, se eu vou sentir as contrações no meio da noite e ligar para a médica, se vai ser no meio do trabalho e eu vou ter que ligar para o Igor, se vai ser final de semana... Se vai ser logo ou aos 45 do segundo tempo e, finalmente, se vai ser normal ou cesárea.
Se eu pudesse escolher seria nas exatas 38 semanas completas, num domingo, sentindo as contrações de manhã e indo para a clínica no início da tarde e vendo o Lucas nascer no final da tarde. Exceto pelo dia da semana, foi assim com a Bia e com a Carol, que são ótimos exemplos neste caso porque passaram por tudo super bem, tendo muito mais coisas boas para contar do que ruins. Mas a gente não escolhe, né. A não ser quando a cesárea é marcada, o que não é o caso aqui.
O lance é ter calma, paciência, deixar a ansiedade de lado e pensar que tudo vai dar certo.... Tá... Fala isso para uma grávida de quase 37 semanas completas, que você vai ver o que oa hormônios são capazesmde fazer. Rs
Julia Costa
21 7929-1211

22 novembro 2011

Mãe de menino

Eu não sei como seria se estivesse grávida de uma menina. Às vezes, mesmo quando não passo pelas coisas, consigo imaginar como reagiria. Mas, neste caso, eu realmente não tenho ideia. Talvez eu fosse mais preocupada com a decoração do quarto, com as roupinhas, acessórios... Não que eu não esteja sendo porque estou grávida de um menino. Fiz questão de decorar o quarto, mesmo que estejamos pretendendo nos mudar em breve. Escolhi as roupinhas mais fofas quando viajamos para fazer o enxoval...

Mas é diferente. Eu não sei dizer como, mas sei que é diferente.

Quando eu soube que estava esperando um menino, muitas pessoas falaram: Julia, você tem CARA de mãe de menino. Eu não sei o que isso quer dizer exatamente. rs Nem se é um elogio ou não. rs Mas eu acho que faz um pouco de sentido.

Eu sou meio desligada de algumas coisas femininas demais. Fiquei até a metade da gravidez sem passar nenhum creme na barriga, enquanto todas as minhas amigas e tias e mãe falavam para eu passar o creme para evitar as estrias. Mas porque eu tinha entrevistado médicos que tinham dito que o creme não faz diferença se a pessoa tem pré-disposição genética, achei que não tinha mesmo necessidade. Só depois que as pessoas começaram a falar MUITO, achei que não custava nada passar... e comecei a passar óleo de amêndoas da Natura.

Desde o início também a médica sugeriu que eu passasse o creme para fortalecer o bico do peito, para não machucá-lo na amamentação. Eu passei algumas vezes... mas há algum tempo não passo. Assim como não passo o óleo de amêndoas todos os dias.

Agora, neste finalzinho, até do protetor solar eu tenho esquecido. Antes estava tentando lembrar de passar todos os dias e estava conseguindo, mas agora, quando vejo já passei toda a maquiagem.

Depois do Lucas, é CLAROO que eu quero uma menininha para eu ter um casal. Mas, enquanto isso, vou aproveitando bastante o filho menino que vai ser recebido com muita molecagem da mãe!

21 novembro 2011

Cansaço

É incrível como nosso corpo reage à gravidez! Estou exausta e tudo o que eu fiz hoje foi trabalhar! E nem peguei ônibus, fui de carro... E o meu trabalho é ficar sentada o dia todo, no telefone e e-mail. Mas foi cansativo, foram inúmeras ligações e dezenas de e-mails! Para fechar o dia com chave de ouro, trânsito longo por causa de um engavetamento... Cheguei em casa mortinha! Cansada de suspirar!
Essa semana tenho divulgação grande, Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele (www.sbd.org.br). Acontece no dia 26, em todo o país. Além de estar monitorando a divulgação de todos os estados, estou eu mesma divulgando no Rio de Janeiro e em mais algumas cidades. Enfim, hard work, mas compensatório.
E, apesar de ser cansativo, faz com que o tempo voe e chegue mais rápido o momento de ver o Lucas pela primeira vez.
Espero que o cansaço melhore amanhã! ;)

20 novembro 2011

Mais um baby boy no mundo!

O Pedro, filho da Bia e do Gabriel, nasceu neste sábado, dia 19 de novembro. Um lindão, grandinho e quietinho! Hoje fui visitá-los e foi ótimo! Foi bom saber que todos estão bem!! Parabéns à família!!! ;)


Cada vez que vou visitar um bebê que acabou de nascer - aconteceu com a Isadora, da Carol, com o Felipe da Cris e com o Pedro, da Bia -, fico louca de vontade de sair perguntando TUDO!! rs E pergunto várias coisas. Talvez não todas que eu catalogo na minha cabeça, mas todas as que eu consigo. ;)

O que elas sentiram, como foi a ida para o hospital, o que acontece quando se chega à maternidade, quanto tempo leva até o bebê nascer, como foi para amamentar... É tanta coisa! E nessa ansiedade em que me encontro, dá vontade de falar nisso o tempo inteiro. Eu não sei, mas imagino que deve ser chato para quem não está grávida ou para quem ainda não tem filho (porque quem tem entende rs).

Mas estou me controlando. É ÓTIMO falar sobre a gravidez e sobre bebês, mas falar sobre outras coisas faz com quem eu me desligue um pouco dessa ansiedade e o tempo passe mais rápido. 

****

Estivemos na feira Mega Gestante (acho que se chama assim) essa semana para comprarmos os detalhes que estavam faltando: a almofada da amamentação, a caixinha para colocar as fraldas na parede, perto do trocador, a banheira, luvinhas e decoração para a parede. Estávamos exaustos, depois de um dia de trabalho, mas ainda assim fomos lá durante semana para não termos que fazer isso no final de semana. Não acho que o preço da feira valha tanto a pena. As lojas não têm preços tão diferentes. A diferença maior é que você encontra tudo num lugar só. Mas quanto ao preço, eu, pelo menos, não vi muitas vantagens.

****

Hoje participei da coluna "A pelada como ela é", do Sérgio Pugliese, sócio da Approach - meu chefe - e colunista do jornal O Globo. O post está neste link: http://oglobo.globo.com/blogs/pelada/. Falei, é claro, sobre o Flamengo e como eu tenho certeza de que o Lucas não terá dúvidas quanto ao time que deve escolher.





13 novembro 2011

Consulta 8a mês

Na última sexta estivemos na clínica para fazer a ultra e depois fomos para a consulta - o que pode parecer simples falando assim, mas a ultra estava marcada para quinta e foi desmarcada porque a médica não estava se sentindo bem, então tivemos que correr contra o tempo para conseguir marcar uma antes da consulta, que estava marcada para sexta, às 9h20. O Igor me ajudou e conseguiu marcar uma na Barra (e a consulta é no Centro), às 8h30. Liguei para a médica na 5a, depois de marcarmos a ultra, e ela disse para mantermos contato na sexta de manhã para ver se valeria a pena eu ir no consultório ou se era melhor ir na 4a da próxima semana - imagina só!!! eu, com toda a ansiedade que me habita neste momento. rs

Na sexta acordamos cedo e chegamos 10 para as 8h na clínica. Pedimos para adiantar se fosse possível e a menina da recepção disse que tinha um médico disponível, poderíamos adiantar. Acontece que o médico que nos atendeu é o dono da clínica e, não necessariamente por causa disso, foi a melhor ultra que fiz desde o início! Ele foi super detalhista, mostrou para a gente todos os órgãos, os pulmões, os rins, o estômago, o coração, o fígado, o cordão umbilical e até deu para a gente uma foto do seu rostinho em 3D. Amamos! 


E não foi só isso. Ele foi super atencioso e carinhoso e se desculpou, em nome da clínica, pelo imprevisto da desmarcação. Saímos de lá correndo para o Centro da Cidade. Quando chegamos em Botafogo, ligamos para a médica para saber se daria tempo e ela disse que sim. Fomos, então, para a consulta.

Chegamos lá e não demoramos para ser atendidos. Já falamos como adoramos nossa médica? Adoramos muito! Ela é muito carinhosa, nunca deixa a gente na mão, sempre atende o telefone quando precisamos ligar - é claro, não precisamos ligar muitas vezes, graças a Deus -, e na consulta ela explica tudo para a gente, nos detalhes.

O Lucas está com 2,5kg (2,418kg para ser mais precisa), 44cm. Tudo em ordem com ele. Eu engordei 1,5kg no último mês e também está tudo bem comigo. Falamos sobre o parto e falei para ela que vou esperar para tentar normal. Vamos ter consultas mais frequentes no início de dezembro por causa disso. 

Matando a saudade (post escrito há alguns dias)

Eu amo tanto a tecnologia!!! Adoro a internet, os notebooks, os smartphones, as redes sociais... Amo tanto essa coisa de estar em todos os lugares o tempo todo! E só eu sei o quanto isso facilita quando o Igor viaja! Hoje, por causa do iPhone e do iTouch, a gente se fala o tempo todo, de graça - com a ajuda do Skype -, quando quiser! Não é nem de perto como quando ele está aqui, é claro, mas é como se ele estivesse aqui do ladinho! Fora essas coisas legais e divertidas, de blogs e fotos que a gente pode dividir com todo mundo ao mesmo tempo, pesquisas de opinião, ouvir comentários de pessoas de todo o mundo etc.
*** Hoje tive uma conversa com a Rê, que trabalha comigo. Ela leu o post sobre o parto e queria me contar como aconteceu com ela. Foi uma conversa extremamente benéfica para mim! Não pelo que aconteceu ou não com ela, mas porque o que ela quis me dizer é que eu não tenho que me sentir culpada, seja qual for a minha decisão, ou seja qual for a minha necessidade na hora. E era tudo o que eu precisava ouvir! Eu sei que pode parecer óbvio, que eu já devia saber disso sozinha, mas só quando estamos grávidas sabemos o quanto nos sentimos culpadas e influenciadas pelo que as pessoas ao nosso redor falam. Então, ouvir a experiência dela e o que ela tinha para me aconselhar foi muito bom! Vou conversar com minha médica abertamente na próxima consulta para saber todas as minhas reais possibilidades - so far. *** Consegui gravar mais um vídeo dele mexendo... o primeiro eu não posso colocar aqui porque estava em trajes que só meninas podem ver, mas esse aqui eu posso! :) É tão gostoso, estou tão apaixonada "pela minha barriga"!!! Toda vez que olho para ela, sinto um amor muito forte, que não dá nem para explicar! Imagina quando eu estiver olhando para o Luquinhas, como vai ser!! Não vejo a hora! obs. a barriga estava com óleo... por isso está "molhada" rs

07 novembro 2011

Bad mood

Hoje chorei à beça... E nem adianta você me perguntar o motivo... i have nooo idea!! Quer dizer... estava falando com o Igor por telefone e começamos a discutir por um assunto irrelevante e aí eu surtei e comecei a chorar... Daqueles choros que eu tinha no início da gravidez, de soluçar e das lágrimas pularem do meu rosto e em alguns segundos eu já estava me sentindo idiota e completamente dominada pelos hormônios.

Pedi desculpas, é claro... Logo em seguida.. Só para ele saber que não era nada com ele! ;) rs

Essas coisas de mulherzinha são "engraçadas", né. Quando a gente acha que vai se livrar dos sintomas da TPM, eles não te deixam durante toda a gravidez. A cólica é substituída por incômodos esporádicos na barriga, o humor continua vulnerável - até mais do que durante a TPM -, os seios inchados, possível dor de cabeça, vontade de comer doce o tempo todo... Não é tão diferente assim...


06 novembro 2011

Apenas atualizando

Hoje tive uma alergia daquelas, como não tinha já há alguns meses - desde o início da gravidez, para ser mais exata. Também... fui mexer em várias coisas guardadas há muito tempo no meu armário... não poderia ser diferente. Tive que tomar um Polaramine e PUF!! Apaguei! Ainda deu tempo de almoçar, mas já almocei com os olhos quase fechando. Foi ruim a sensação de não ter forças para levantar, nem para me mexer direito na cama. Fiquei preocupada com o Lucas, mas depois que acordei, ele já deu umas boas mexidas, então imagino que esteja tudo bem com ele também.

Eu melhorei, mas estou com o rosto inchado feito uma bola de futebol e com olheiras gigantes por causa do coça coça habitual do olho, que piorou com a alergia.

Essa ansiedade habitual do final da gravidez - hahaha como se ela não tivesse existido nos outros meses... - piora nos finais de semana. Mais ainda quando o Igor não está aqui comigo. Fico com preguiça de fazer as coisas sozinha... O que antes não acontecia. Eu ia à praia, ao cinema, correr, às exposições... Às vezes até preferia não marcar nada com ninguém para não ficar presa.

Hoje tive que sair de casa depois que eu acordei do efeito do remédio. Fui ao shopping... cheguei a pensar em ir à praia dar um mergulho, mas fiquei com medo do mar não estar bom e eu perder meu tempo. Então, como já fui à praia no final de semana, deixei para a semana que vem. Aproveitei para comprar algumas coisas que estava precisando no shopping... E coisas que não estava precisando também. rs

Durante a semana, o tempo passa - muito - mais rápido. Amanhã tenho que acordar hiper ultra cedo, para adiantar umas coisas no trabalho antes de uma reunião e depois terei só a tarde para fazer as coisas que tenho para fazer amanhã. Será um dia corrido, com certeza. Tenho ainda que tomar a última dose da vacina antitetânica, mas como o posto mudou de lugar, estou adiando sempre, com preguiça de ir até o novo lugar.

Estou amando minha barriga! Ela está tão grande e tão redonda! É incrível pensar que a pessoa mais importante da minha vida, daqui para todo o sempre, está aqui comigo 24 horas por dia! Ele está tão protegido! Sei que Deus vai protegê-lo também quando sair daqui de dentro. Mas é certo que eu vou sentir saudade dessa fase. Mesmo com todas as mudanças inconvenientes no corpo, com todo o cansaço que me acompanha, com todas as restrições de remédio e de comida. Mesmo com tudo isso, não tenho dúvidas de que vou sentir saudade do tempo em que ele estava "sob minha proteção" o tempo inteiro. ;)

Hoje lavei as roupinhas que ganhamos no chá de fraldas. Amanhã vou recolher da corda, passar e colocar junto às outras, que estão limpinhas, passadinhas e prontas para serem usadas.


Ah! Uma observação sobre o post de ontem: algumas amigas não concordaram com a minha opinião. Elas têm certeza que o parto normal, quando é uma opção, é a melhor. E acham que todos os médicos que tentam induzir a cesárea a qualquer custo estão indo de encontro ao que deveria ser melhor para a gestante. Eu concordo com isso, mas discordo que o parto normal é sempre a melhor opção. Acho que os médicos realmente não deviam empurrar a cesárea para a gestante, acho que isso é decisão dela, somente dela. Mas há mulheres que preferem cesárea e acham que isso é melhor para elas. E eu acho que cada mulher conhece bem a si mesma e sabe o que é melhor para si. Bem... eu conheço bem a mim mesma, mas ainda não decidi o que é melhor para mim neste caso... Mas isso é outra história. ;)

Que todos tenham uma ótima semana!

05 novembro 2011

Opiniões

Hoje, no início do dia, eu escrevi um post desaforado. Tão desaforado, que depois de algumas horas, pensei que talvez ele não fosse bem "digerido", então achei melhor tirar. Não quero arrumar confusão com ninguém agora... Agora acabei de ver um teaser de um longa-metragem previsto para março de 2012 chamado "O renascimento do parto", no blog da Manu Sento Sé, Colher de Chá. O vídeo é muito interessante, tem a opinião de vários especialistas e opinião de mães e do Márcio Garcia, como pai, além de diretor do filme,

Bem, o que isso tem a ver com o post que escrevi mais cedo... O fato de mostrar somente um lado da história. É claro que não é uma matéria, uma visão jornalística dos fatos. É um filme e como filme ele é livre para mostrar a versão dos fatos que ele quer. Mas eu, como gestante, preciso de mais do que isso. Eu preciso conhecer os dois lados da história. Preciso ouvir as versões de pessoas sensatas, de pessoas que não estão envolvidas emocionalmente, de médicos que não dependem daquele dinheiro da cesárea ou que não se importam de desmarcar as consultas para atender um parto normal. Preciso ouvir de mães que tiveram o parto cesárea há 20, 30 anos e seus filhos estão super saudáveis aqui hoje em dia... 

Eu ainda não sei o que prefiro, mas já decidi que quero esperar entrar em trabalho de parto, seja para ter parto normal ou fazer cesárea. Mas não vejo a cesárea como as pessoas do vídeo falam. Para mim, é muito mais simples. Eu mesma nasci de uma cesárea e não me sinto diferente de qualquer forma por causa disso. É claro que cada um tem sua opinião, mas a minha é que o que acontece depois disso é muito mais importante do que o que acontece nessa hora. A educação, o ambiente em que o bebê é criado, as palavras, o carinho, o amor... Isso sim é importante. Pelo menos para mim. 

Agora, uma coisa eu concordo. Quando o Márcio fala sobre quem é a "estrela" do parto... o médico. Quando deveria ser a mulher, pois é ela quem está dando a luz. A mulher deveria ter a opção - a não ser em casos em que ela realmente não tem por questões de saúde e segurança -, ela deveria poder escolher. E não o médico, pelo que lhe é mais conveniente. 

É este o vídeo: