24 julho 2011

A Grande Família

Eu sempre amei famílias grandes! Elas me lembram minha infância, na casa dos meus avós paternos, quando todos se falavam e todos se reuniam com frequência. Os churrascos, os natais, os aniversários... Eram sempre lá! Meus tios sempre estavam, minha bisa, às vezes vinha até minha madrinha de SP, com meu tio e minhas primas, os amigos dos meus pais... Era uma festa só! Mas depois que meus avós faleceram, a instituição "família" parece ter falecido também, pelo menos para os Costa. Eu continuei muito próxima à minha madrinha, tio e primas de SP, dos meus pais e amigos deles, é claro, mas a "volume" realmente nunca mais existiu.

Minha família por parte de mãe continuou sendo grande, e eu continuei amando as reuniões. É uma pena que nós moramos tão longe um do outro.

Mas conforme eu fui "crescendo", fui criando meus próprios laços com aqueles com quem eu sempre tive mais afinidade. E assim foi. Hoje, me sinto próxima de todos, tanto dos "Costa", quanto dos "Guimarães Silva", e, é claro, dos "Corteletti Leite". A família cresceu com nosso casamento e, hoje, posso dizer que somos todos de uma instituição só.

E só hoje eu me dei conta que o Lucas terá, no mínimo, cinco tios! Sem contar com os primos - meus e do Igor - que acabam sendo tios também, e com as esposas e maridos e namoradas e namorados dos tios irmãos e tios primos. E os avós!! São, de cara, três avós e três avôs! Fora os tivós, que são milhares. E os padrinhos, que serão dois - de batismo e de consagração - e duas madrinhas também - de batismo e de consagração.

Eu desejo que todos os seus natais, aniversários e reveillons sejam sempre muito animados, como foram os meus! ;)

3 comentários:

  1. Júlia, amei o post, as fotos, tudo perfeito. Lucas chegará cercado de amor, de felicidade, de bom astral. Fiquei bastante sensibilizada com as palavras sobre a família Costa, mas feliz por constatar, mais uma vez, que esse lado daqui da família Costa continua presente e muito, muito próxima de você. A família Corteletti ainda não conheço, mas tenho certeza que vou AMAR, todos tem cara de gente prá lá de boa, e criar um filho como o Igor já é uma prova do que estou falando. Beijo amor e beijo da Tivó na barriga.

    ResponderExcluir
  2. Dinda, com certeza você e sua família são e serão sempre muitoooo importantes e especiais para mim! Graças ao esforço seu e da minha mãe para que essa relação não mudasse nunca. Devemos isso a vcs! Tenho certeza que o vovô e a vovó, não importa aonde estejam, ficam felizes por esta relação! ;)
    A família Corteletti é mto especial mesmo! Tenho certeza que no momento em que vcs se conhecerem, será amor à primeira vista. rsrs Beijos, dinda!!

    ResponderExcluir
  3. Sua mãe e eu construimos uma amizade baseada na sinceridade e no afeto, pois de fato é o afeto que permeia as melhores relações entre os seres. Esse afeto e esse profundo respeito que temos por nossos filhos é que faz nos mantermos integras e unidas, apesar de nossas diferenças. Beijos amor.

    ResponderExcluir