27 julho 2011

Pô, balança!!!

Hoje tive minha consulta do mês com a obstetra. O Igor, como da última e das primeiras vezes - pai super antenado, atencioso e preocupado que é (não é lindo?!)-, foi comigo. Tudo bem comigo, tudo bem com o bebê. Ouvimos o coraçãozinho batendo, como na última visita, ela mediu minha pressão, perguntou se eu estava sentindo algum incômodo, cólica, me passou novos exames e chegou a hora de ver o quanto eu engordei da última consulta até agora (um mês)...... Então..... ;/ ..... 3kg..!? Três quilos!

Pois é, gente! Não tenho nem como dizer "Como???!!!" ou "Não sei de onde surgiram esses quilos, estou comendo de forma tão equilibrada!!!" ... Não tenho. Salvo pela natação, que voltei a fazer regularmente mesmo há duas semanas, e das frutas e legumes incluídos na dieta, não tenho nada em minha defesa. Sucrilhos, pães, queijos e doces continuam continuavam fazendo parte do meu dia a dia. Mas as coisas ainda estão sob controle. Estou indo para a natação todos os dias da semana e isso vai me ajudar a, pelo menos, manter este peso.

Já comecei até a buscar receitas na internet de lanches saudáveis para as grávidas. Algumas que mereceram destaque:


24 julho 2011

A Grande Família

Eu sempre amei famílias grandes! Elas me lembram minha infância, na casa dos meus avós paternos, quando todos se falavam e todos se reuniam com frequência. Os churrascos, os natais, os aniversários... Eram sempre lá! Meus tios sempre estavam, minha bisa, às vezes vinha até minha madrinha de SP, com meu tio e minhas primas, os amigos dos meus pais... Era uma festa só! Mas depois que meus avós faleceram, a instituição "família" parece ter falecido também, pelo menos para os Costa. Eu continuei muito próxima à minha madrinha, tio e primas de SP, dos meus pais e amigos deles, é claro, mas a "volume" realmente nunca mais existiu.

Minha família por parte de mãe continuou sendo grande, e eu continuei amando as reuniões. É uma pena que nós moramos tão longe um do outro.

Mas conforme eu fui "crescendo", fui criando meus próprios laços com aqueles com quem eu sempre tive mais afinidade. E assim foi. Hoje, me sinto próxima de todos, tanto dos "Costa", quanto dos "Guimarães Silva", e, é claro, dos "Corteletti Leite". A família cresceu com nosso casamento e, hoje, posso dizer que somos todos de uma instituição só.

E só hoje eu me dei conta que o Lucas terá, no mínimo, cinco tios! Sem contar com os primos - meus e do Igor - que acabam sendo tios também, e com as esposas e maridos e namoradas e namorados dos tios irmãos e tios primos. E os avós!! São, de cara, três avós e três avôs! Fora os tivós, que são milhares. E os padrinhos, que serão dois - de batismo e de consagração - e duas madrinhas também - de batismo e de consagração.

Eu desejo que todos os seus natais, aniversários e reveillons sejam sempre muito animados, como foram os meus! ;)

Grávidos



Ontem à noite saímos com meus cunhados e os irmãos da minha cunhada, suas esposas e filhos. Sendo que dessa galerinha toda de quatro casais, três de nós estávamos "grávidos". Na sala onde trabalho, somos 8 mulheres e 3 de nós estamos grávidas. Uma amiga descobriu que estava grávida do terceiro filho no último mês e ontem, no aniversário de outra amiga, soube que um "amigo está também esperando um bebê".

Eu sei que pode ser coisa da minha cabeça, porque o fato de eu estar grávida faz com que eu preste atenção em todos ao meu redor... E, sinceramente, já houve momentos nos quais vi este boom acontecer. Mas não tão próximo assim. Parece loucura, mas algo nessa história toda deve ser contagioso. Seja a empolgação de ver alguém grávida e isso alterar nossos hormônios e nos deixar mais fértil (quem sabe) ou seja algo que passamos por usarmos o mesmo copo d'água ou coisa assim (rs). Ok, talvez a parte dos hormônios faça mais sentido.

Mas eu estou achando isso ótimo! Significa que o Lucas terá muitos amiguinhos por perto, da mesma idade, para brincar e se relacionar. ;)

23 julho 2011

Acompanhando...

A gestação é mais ou menos isso... Chega uma hora que você não tem mais o que fazer... É só esperar.... Ok, me expressei mal. Sempre tem o que fazer... e você está sempre esperando. A espera - e ansiedade - começa com o teste de gravidez. São os três minutos mais longos que poderiam existir! Aí, depois de confirmada pelo teste de farmácia, você tem que ir até um laboratório e esperar um dia inteiro pela resposta do sangue. Positivo. Ótimo! Então você precisa ligar para sua médica e esperar até que sua secretária encontre uma vaga na agenda para a primeira consulta do pré-natal.

A espera da primeira ultra foi a pior de todas para mim. Tanto pela ansiedade, quanto porque meu corpo não estava sentindo ainda o bebê dentro dele. Então, só a ultra poderia me dizer se estava tudo do jeito que deveria estar. E aí você descobre que está tudo bem com o bebê, mas depois tem que esperar até o 3o mês terminar para que você tenha certeza de que o bebê se acomodou da maneira que ele deveria se acomodar. E está saudável. A princípio, porque depois vem a ultra do 3o mês e a morfológica, do 5o mês, que são as mais importantes.

Eu nem cheguei nessa morfológica... ainda estou aguardando.

Só que a espera não pára por aí... Você espera até sentir os primeiros movimentos, depois espera até o pai conseguir sentir esses movimentos que você só sente porque eles acontecem dentro da sua barriga e, então, começa a espera pelo primeiro chute e depois pelos milhares de chutes que estão por vir.

É uma espera sem fim. Só de pensar em NOVE meses... uma eternidade. ;) Mas a gente vai vivendo e com certeza em alguns anos eu vou olhar para trás e dizer: Nossa, como passou rápido!

Desde que soubemos que o bebê é um menininho e decidimos que ele se chamará Lucas, iniciamos outra espera: a de uma oportunidade de viajarmos para fazermos o enxoval. Essa está me deixando numa ansiedade só! Porque é incrível como as coisas são caras aqui no Brasil e como é absurdo as mesmas coisas, os mesmos exatos produtos estarem disponíveis a preços de babana em outros países.

Mas já conseguimos avançar em algumas coisas... trocamos os móveis do nosso quarto e teremos mais espaço para guardar nossas coisas. O quarto do Lucas já tem móveis e só espera pelo berço e pela cadeira de amamentação. E a decoração, é claro. Ao invés de colocar papel de parede, queremos colar adesivos. Já encontramos alguns sites com essas opções, como vocês podem ver abaixo.

Hoje conversamos sobre o que será preciso tirar da decoração da casa, como umas pedrinhas que temos na mesa ao lado do sofá, um porta incenso mínimo, uma tartaruguinha miniatura... enfim, tudo o que quebra e pode ser engolido. Eu sei que parece cedo para pensar nisso, mas é muito tempo de espera... a gente tem que arrumar alguma coisa para fazer enquanto isso. rs

Ah, isso me lembra de comentar uma coisa. A natação está indo muito bem! Estou adorando os professores, que são super atenciosos, e a estrutura da academia também não deixa nada a desejar. A rotina de nadar todo dia antes do almoço, também está ajudando a evitar as besteiras entre uma refeição e outra. Eu acabo não comendo besteiras pensando nos 50 minutos de aula que tenho pela frente. Também está fazendo com que eu evite gastar dinheiro na hora do almoço, já que às vezes eu ia até o shopping ou ia almoçar em lugares mais caros.

Outra coisa que é importante registrar, já que eu quero que o Lucas tenha algum dia a oportunidade de ler tudo isso, é que vamos ganhar bastante roupa, brinquedo e afins para ele. Tanto da Vitor Hugo, meu irmão de dois anos, quanto do Gustavo, filho da Jose, prima do Igor, que tem 10 meses. As duas mamães já mandaram recado avisando que não devemos comprar roupas enquanto não formos lá olhar o que podemos ganhar.

Eu sempre ganhei roupa das minhas primas e acho isso bárbaro! Além de economizar $$, a gente reutiliza e evita o consumo desnecessário. Algumas roupas nunca foram usadas, outras foram usadas só algumas vezes. E mesmo que tivessem sido usadas muitas vezes, mas estivessem em boas condições de uso, seriam muito bem vindas! ;) Assim podemos otimizar os custos do enxoval.

4 Murs (FR)
http://www.4murs.com



Grudado (BR)







16 julho 2011

Lembrancinha

A Manu é jornalista, mãe e super criativa! Ela colocou esta dica em seu blog e eu não aguentei, tive que "roubar" a ideia! Ótima dica de lembrancinha, tanto para a visita na maternidade, quanto para comemorações em casa!

Colher de Chá: DIY: Corações de feltro para lembrancinha: "No meu chá de bebê, minha mãe e eu produzimos vários passarinhos de feltro para presentear os convidados. Não sobrou nenhum (!), então acho ..."

O sexo!

Finalmente, tivemos a certeza! É um menino! Tão logo soubemos, achamos que seria válido definirmos o nome, pois não queria mais chamá-lo simplesmente de "bebê". E decidimos! Ele se chamará Lucas! :)

Tenho sentido umas coisas engraçadas na barriga e acho que já é o bebê. Ainda não foi nada muito forte, que eu pudesse ter certeza de que é ele. Mas é como se bolinhas explodissem lá dentro. Não várias, mas uma ou duas e só de vez em quando. Na verdade, de vez em quando signfica duas vezes, hoje. rs Mas já é o suficiente para eu ficar mais animada ainda! ;)

Tive que comprar roupas... quase nenhuma minha cabe mais... Comprei vários vestidinhos, uma calça legging preta e uma larguinha, de malha, também preta. Tem que ser tudo assim, larguinho, senão incomoda ou eu acho que está incomodando o Lucas.

09 julho 2011

Os pais !!!



A vida é uma flecha. Passa tão rápido! A própria gravidez não está passando, por assim dizer, muito devagar. Na quarta-feira vou fazer quatro meses. Do terceiro até agora, passou voando. Mas não é por isso que comecei a escrever este post. Digo isso porque não consigo me lembrar como eu imaginava minha vida, há 10 anos, por exemplo. Eu não consigo lembrar o que esperava do futuro. Na verdade, é claro que esperava estar trabalhando, com uma vida estável e tudo mais. Mas lembro que não costumava idealizar essa questão familiar.

E agora que o futuro está aqui, eu me coloco fora da história e não tenho palavras para dizer o quão orgulhosa eu estou e sou do que eu e Igor construímos nestes sete anos juntos. Hoje estava revendo os vídeos que fiz com fotos de momentos de nós dois e fiquei pensando em tudo o que fomos, tudo o que somos e tudo o que planejamos ser para este filho que está vindo.

Eu sei que, enquanto está tudo bem, é fácil falar que temos orgulho. E quando as coisas dão errado de alguma forma, todas as perspectivas podem mudar. Mas não é essa a questão que quero ressaltar. O que eu quero ressaltar, neste momento, é que eu tenho muito orgulho de quem nós dois somos juntos e acredito, sim, que somos um casal especial. Pode ser que seja a mesma coisa que acontece quando pensamos que temos a melhor mãe do mundo. Todo mundo pensa o mesmo. Mas eu não me importo. Só o fato de eu acreditar que somos especiais, já me deixa especialmente feliz.

E eu acho que isso não poderia ser melhor para o bebê. Porque ele terá pais que se amam e que sabem como se respeitar e fazer as coisas funcionarem juntos. A gente se diverte, ri um do outro, pede desculpa, a gente se admira e se apoia. Acho que é o bastante.

Eu não vejo a hora de poder contar para ele toda a nossa história, sobre como nos conhecemos, como nos apaixonamos, sobre nossas viagens, todas as coisas boas e ruins que já nos aconteceram, enfim... Quero que ele faça parte até mesmo do que aconteceu antes de estar aqui.

03 julho 2011

Brinquedos

Essa semana recebi um link do Bebe.com.br com brinquedos educativos. Achei bem legal, interessante e com certeza vou querer que meu filho tenha acesso a eles. Agora acabei de ver no Twitter um link de brinquedos artesanais, que não deixam de ser educativos, pois é preciso trabalhar suas habilidades para criá-los. Segue o link: abr.io/1BVD

Enviado via iPhone

Roupitchas!

Meu roteador pifou, então estou tendo que postar do telefone e por mais que eu tenha me adaptado bem a ess teclado, depois de ter abandonado o blackberry, é cansativo escrever nele. Então vou só colocar o link aqui.. A matéria fala por si só. Por mais que as opções sejam caras e importadas, dá para usar como referência pelo menos. 

ht.ly/5vmLd

Enviado via iPhone

02 julho 2011

Gripe!!!

Desde ontem à noite a gripe me pegou de jeito. Na verdade foi antes, de manhã já acordei com um pouco de dor na garganta. À noite piorei, fiquei com o corpo pesado, dolorido, dor de cabeça e tudo o que eu queria era dormir. Hoje acordei ainda doente, mas tive que ir trabalhar. Não sei como consegui me aguentar na rua de 7h30 às 14h30! :/ cheguei em casa e fui deitar. Não tive força nem para Fazer o almoço!
Todo mundo sabe que tomar medicamento fica sempre mais complicado para gestante, por isso liguei para minha médica para saber o que podia tomar e estou me virando com o que me foi permitido. ;) estou me sentindo um pouco melhor, mas minha cabeça ainda dói muito. Deve ser sinusite.
Minha preocupação maior foi com o bebê, mas logo descobri nos principais sites para gestantes na internet que por pior que a gente se sinta, o bebê não é afetado e, portanto, não sente nada da nossa gripe! Ainda bem!! ;) A gente se sente tão mal que fica preocupada de acontecer algo com ele! ;) Mas não acontece. A única ressalva é para quem tem febre muito alta. Nesse caso, o ideal é ir ao médico.
Não vejo a hora de melhorar!!! ;) tomando todos os remédios para isso!

Enviado via iPhone