21 junho 2017

desenvolvimento: quando Luquinha começou a escrever


Eu não sabia que crianças começavam a escrever antes de ler. Devia desconfiar, já que há algum tempo Lucas aprendeu a escrever seu nome na escola. De uns meses pra cá, nome e sobrenome. Mas o que eu não sabia mesmo é que as crianças podiam começar a escrever sozinhas. Sozinha, sozinha, nunca é. Porque nós sempre lemos histórias com ele do lado, brincamos de jogos que usam letras, a escola traz a familiarização com as letras desde cedo... tem tudo isso. Mas ninguém sentou e explicou o B-a-bá.

A escola deles não tem pressa (e é uma das coisas que eu mais amo nela). Em resumo, para eles, tudo tem seu tempo. E neste momento ainda é preciso ter calma. Luquinha está no Jardim III e ano que vem entra no primeiro ano, a antiga alfabetização - ou CA. Somente lá irá aprender a ler e escrever. Ainda assim, ainda que a escola não faça nada este ano - e reforce isso em toda oportunidade que encontra para controlar a ansiedade dos pais principalmente -, Luquinha essa semana me veio com uma pérola.

- Mamãe, Bumblebee se escreve B O B O B I? (quando ele fala o nome desse personagem do Transformers, fala, na verdade, bobobi)
- Filho, não é assim porque é uma palavra em inglês. Mas se fosse em português seria assim mesmo... Vem cá, você sabe também como se escreve babá?
- BBBBaaaaaabbbbbá.... BBBB.... Já sei... B... Bbbaaa.... A ... BBBB.... B... Bbbaaa.... A ... B A B A!
- Muito bemmmm, filho!!! E como se escreve... hum... deixa eu ver... pato?
- Paaatooo... Ppppaaaato... P A .... (pensou)... T O?
- Issoooo!! E como se escreve vaca?
- V A C A
- E sapo?
- S A P O
- E casa? Sala? Banana? Pateta?

Luquinha foi pensando, balbuciando e respondendo uma a uma. Depois pedi para não só falar, mas escrever. Foi escrevendo tudo, foi lindo.

Eu e Igor estávamos presentes e ficamos maravilhados. Compartilhamos com os avós e com os tios, e todos ficaram muito felizes, mandaram mensagens parabenizando! O dindo Rafa disse que a letra dele é parecida com a de arquiteto - e é mesmo rs - e a dinda Aline e dindo Luismar pediram que ele escrevesse seus nomes (ele escreveu A L I N I e L U I X M A R, como falamos rs).

Sei que é um grande passo. E sei que pode ser besteira pra muitas pessoas... Mas para mim foi muito especial! Eu amo ler, amo escrever! É lógico que eu sabia que isso aconteceria em algum momento, em algum momento próximo. Mas agora que está acontecendo, estou tão boba e orgulhosa, que resolvi compartilhar mesmo sabendo dos riscos que corro de parecer exibida ou algo parecido. Tudo que quero é expressar pro mundo inteiro o quão orgulhosa e feliz eu estou. <3 E que o Luquinha venha visitar esse espaço um dia para lembrar disso, porque eu já demonstrei e falei bastante para ele pessoalmente. kkk

13 junho 2017

Domingo no parque
































Certamente já publiquei algum post com esse título. É, no fim das contas, um dos programas preferidos das crianças - e meu também. Mas esse domingo foi ainda mais especial porque tivemos a chance de passar algumas horas com a dinda Camila. Temos muita sorte de tê-la aqui pertinho de nós agora. Esse amor que ela tem pelas crianças não tem preço <3 E, além disso, nós estávamos com saudade :p :)

10 junho 2017

daquelas lembranças... {Búzios}



















Quando era criança eu tinha meus lugares do coração. E são lugares do coração que ficaram até hoje: Santos e Paranaguá. Quase todas - se não todas, de fato -  as férias eu e meu irmão íamos para essas cidades, onde, na primeira ficávamos com minha madrinha, que é nossa tia, meu tio e minhas primas; e na segunda com meus avós maternos e tios e primos também. Não importa quantas vezes fôssemos, sempre queríamos mais. 

Esse lugar para o Luquinha é Búzios. Casa da vovó Helena, onde ele sente que a casa é dele também. Onde sempre foram feitas suas vontades gastronômicas, vídeo-game é permitido sem hora pra acabar, ele se esbalda de jogar bola no campo de futebol, de brincar no parquinho do condomínio e onde ele criou sua intimidade com o mar. 

Para mim, é lugar de descansar, não pensar em nada, não fazer nada (até porque minha mãe assume a cozinha e não deixa ninguém entrar, só o Igor rs). É lugar de recuperar as energias, mesmo quando a gente não sai de dentro de casa (o que acontece muitas vezes).

Minha mãe ama quando estamos eu, Rafa e nossos agregados todos. É como se tudo fosse como antes, quando vivíamos juntinhos. Eu sinto essa coisa boa também, por isso sempre que vou ligo pro Rafa pra saber se ele vai ou pode ir tb.

Temos até nossa rotina: praia, almoço, descansar, se arrumar, sair, parar na empanada, andar pela rua paralela à Rua das Pedras, às vezes comer um cuscus ou tomar um sorvete - tem vezes que arriscamos um crepe doce tb -, voltar pela Rua das Pedras e ir embora. rs 

Raramente mudamos o percurso. <3

Luquinha já tem uma história com a casa e com a cidade. Agora Lulu passa a ter também. =o) 

03 maio 2017

Toda hora é hora


Todos os dias eu chego em casa e depois que os coloco para dormir penso que eu gostaria de escrever no blog. Escrever para registrar estes momentos maravilhosos que tenho com eles. Descrever como é gostoso vê-los vindo em minha direção quando abro a porta de casa, o sorriso no rosto de alegria deste encontro, o abraço sincero, apertado, os olhos brilhando. Descrever como é sensacional o chamego que o Luquinha faz, aos cinco, dizendo baixinho que me ama e que quer ficar um pouco mais de tempo acordado comigo. E o colinho delicioso que a Lulu tanto pede quando eu chego em casa. Poderia passar uma vida inteira só atendendo estes anseios de vcs de me ter por perto. <3

Passo o dia no computador pensando em textos para os clientes, para a imprensa, para as redes sociais... E quando chego em casa tenho pouca disposição para enfrentar o notebook. Mas cá estou eu. Porque quero muito um dia, no futuro, ter aqui as minhas lembranças bem descritas, para que eu possa recordar deste tempo tão mágico que é o agora.

Estamos vivendo mudanças importantes essa semana. Lulu tem mudanças na rotina, está se adaptando à escolinha e à pessoa que veio trabalhar conosco. Tudo está indo muito bem até o momento, graças a Deus. Ela e Luquinha são crianças muito queridas, facilmente adaptáveis a novos ambientes, novas pessoas. E isso me tranquiliza bastante.

No último fim de semana, Lulu fez um ano e fizemos uma festinha para comemorar. Ela curtiu bastante, embora tenha sido mais uma festa para os pais que para ela mesma. Ficou acordada até a hora do parabéns, quando estava ainda super simpática. Logo em seguida dormiu por horas. Estiveram presentes amigos e familiares mais próximos. Foi muito boa a comemoração.

Luquinha está numa fase de tantos aprendizados também... Agora deu para fazer conta de cabeça... Já soma, subtrai e multiplica, embora a escola ainda não tenha introduzido nada disso porque não é a hora. Mas imagino que tenha bastante dos estímulos que ele recebe por lá. Ficamos impressionados com a capacidade dele de fazer essas contas de maneira rápida e correta. E ficamos torcendo para que seja sempre uma facilidade a matemática, já que não foi para seus pais. kkk

E Lulu está andando cada vez mais rápido, subindo e descendo das coisas, balbuciando as primeiras palavras - que, neste momento, se resumem aos fonemas mama, mamae, ná e dá. Basicamente, todas as vezes que balbucia está reclamando de algo que não deixamos que ela fizesse, ou está pedindo colo.

E quanto a mim, continuo vindo aqui sempre que consigo, mais por consideração a mim mesma que qualquer outra coisa. <3

03 abril 2017

Olá, blog!

Lulu, antes de mais nada, preciso que você entenda por que fiquei tanto tempo sem escrever sobre suas conquistas... Ter dois filhos acaba com todo tempo livre que você tem. É a melhor coisa do mundo, chegar em casa e poder brincar com vcs dois. E é isso que eu priorizo todos os dias. Chego do trabalho, busco vc e Luquinha, e quando chegamos em casa, sento no chão e me dedico de corpo e alma. Nós brincamos, vc pega tudo que tem no chão e coloca na boca, jogo jogos com seu irmão, ajudo ele a montar Lego, deixo ele brincar um pouco no vídeo-game e fico com vc o tempo todo. Te dou seu leitinho, preparo uma frutinha para vc comer, brincamos mais, troco sua fralda, brincamos mais, e vou preparando vc para o soninho. Depois é a vez do Luquinha, que vai dormir logo após vc. 

Então, meu amor, antes de sinalizar que eu não escrevi tanto nos seus primeiros meses, como escrevi sobre o Luquinha, pensa que eu estava me dedicando a vcs no lugar de escrever.. =) 

Pronto, resolvido meu problema de culpa por ficar tanto tempo longe hahahahaha Posso começar a contar. Tanta coisa aconteceu nos últimos meses... Sem a menor ordem cronológica:

- Lulu começou a andar com quase 11 meses e cada dia que passa está mais firme nos seus passinhos;
- Eu e Igor fizemos nossa primeira viagem sozinhos depois que Lulu nasceu. Primeiro, queríamos levar Luquinha, mas achamos que não seria legal pra ele, pois era um lugar frio e que só tinha programa de adulto (NY). Acabamos indo sozinhos e, embora tenhamos morrido de saudades, também aproveitamos bastante;
- Lulu foi batizada! <3 Fê e Gordo são os padrinhos de batismo e Rafa e Nandinha são os de consagração;
- Fomos eu, Igor, Luquinha e Lulu comemorar meu aniversário num fim de semana turístico em São Paulo. Fomos à Família Mancini, ao Eataly, ao Museu Catavento e à Kidzânia. Além disso, jantamos com Cacau, Dedé e Tonton num restaurante tailandês delicioso chamado Marakuthai (ou Marakuthay);
- Tenho três amigas grávidas: Mari, Cacau e Ique <3 <3 <3
- Lulu está dando beijo. =) Beijoqueira!
- Luquinha ama rir e fazer rir. Além da tradição de vermos em família vídeo-cassetada todo domingo, ele agora está interessado em aprender piadas! Uma fofura!!!
- Hoje ele terminou de montar, com minha ajuda e do Igor no processo, um Lego para crianças de 8 a 12 anos (e ele ainda tem cinco). Ficamos muito orgulhosos =)
- Luquinha toma vacina toda semana por causa da alergia... Depois de ter ensinado uma vez, toda semana ele faz sozinho a prática de respirar para não ter medo da agulha. Funciona tão bem... ele fala "calma, mamae, deixa eu respirar" e começa ... inspira, expira, inspira, expira... Nisso, eu aplico a vacina, e ele relaxa depois que eu termino.

Muitas outras coisas aconteceram nesse meio tempo. Mas esses foram os pontos que lembrei para deixar registrado. ;)

06 janeiro 2017

Hora de dormir


Eram 6h da manhã e o despertador tocou. Hora de dar o leite da Luiza, mas ela ainda não está acordada. “Será que ela acordará com o barulho do despertador?”, pensei. Se mexeu um pouquinho, mas continuou no sono dos justos. Foi para o berço bem alerta às 22h da noite anterior, rolou para um lado, para o outro... Mas depois de ter tomado um banho relaxante e tomado seu leitinho, dormiu oito horas seguidas, sem nem um milésimo de chorinho. Ou seja: foi dormir sozinha e dormiu a noite toda. Sonho? Não, realidade.

Eu sei que o que não falta, principalmente na internet, são pessoas para me julgar. “Ah, mas você deixou o bebê chorando”. Bem, isso depende do ponto de vista. Eu não deixei bebê nenhum chorando. Quando ela chorava, eu ia lá, dava um carinho, colocar a chupeta e saía do quarto com ela tranquila. Passado um tempo, ela realmente começava a chorar e eu esperava um pouco antes de entrar novamente. Nunca a abandonei. E o mesmo foi feito com Luquinha.

Se foi fácil? Claro que não. É muito complicado esperar para intervir. Dói no coração ver nosso bebê chorando, principalmente quando tudo que ele precisa é de um colinho, um aconchego. Mas a realidade é que ele também precisa dormir bem. E eu também preciso dormir bem. Graças a Deus, Luquinha dorme bem desde sempre. Lulu não foi igual. Ela acordava muitas vezes durante a noite porque mamou no peito até o oitavo mês de vida. Foi uma situação diferente. Mas agora ela não mama mais no peito e se alimenta bem durante o dia. Não tem motivo para continuar acordando à noite.

Minha rotina é uma loucura. Eu trabalho o dia inteiro. Quando estou em casa, continuo sem parar. Além de manter a casa arrumada para que os dois vivam em um ambiente agradável, eu sento no chão, brinco com eles, os alimento, assisto filme junto, faço pipoca e suco para sessão de cinema, faço o que eles quiserem para que nosso tempo juntos seja só alegria! E eu amo demais tudo isso! Mas para que possamos fazer tudo isso com qualidade diariamente, todos precisamos dormir bem. Por isso faço tanta questão que eles saibam dormir. E tenho orgulho, sim, de saber que ajudei nesse processo.

Para as pessoas que acham que é uma tortura... Algumas vezes tive essa sensação, não nego. Mas tentei me manter firme, acreditando que estava fazendo o melhor para ela. É difícil para a Lulu e também para quem está perto, como já disse anteriormente. Mas também não é lá essas coisas. O processo durou exatamente cinco dias. No primeiro dia, ela acordou às 2h da manhã e só dormiu, de fato, depois de uma hora. No segundo dia, foi ainda pior. Ela acordou às 11h da noite e só foi voltar a dormir 1h da manhã. Mas no terceiro dia, ela ficou acordada por cerca de 10 minutos após ter acordado às 2h. E no quarto dia, acordou, coloquei a chupeta e ela voltou a dormir. Hoje é o quinto dia e ela simplesmente dormiu a noite inteira.

Pode ser que na próxima noite ela dê uma acordada, pode ser que não. Mas é fato que tivemos uma evolução rápida. E a real é que estamos todos mais felizes. Acordamos hoje todos cheios de energia! Tudo porque nossas crianças dormiram bem a noite toda, e nós também.

Toda vez que vejo a galera partindo para o julgamento, lembro de Caetano Veloso: “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. E também do ditado “cada um sabe onde o calo aperta”.

21 dezembro 2016

Dezembro: entre o caos e o mês que eu mais amo na vida!

Somente neste mês, tivemos:
  • treino no Pão de Açúcar;

  • visita da minha dinda lá em casa, com minha prima e crianças;

  • visita ao zoológico;

  • comemoração de aniversário da vovó Lucimar na hamburgueria;

  • comemoração de aniversário da vovó Lucimar com churrasco;

  • comemoração de aniversário do Luquinha com os amigos;

  • festa de fim de ano da escola do Luquinha;

  • visita ao evento "Uma Aventura de Natal", no Boulevard Olímpico;
video

  • aniversário do amiguinho da escola no mesmo dia do seu aniversário;

  • comemoração de aniversário do Luquinha com a família;

  • confraternização com o pessoal do trabalho;

  • encontro com o Papail Noel com os amigos da escola.

Fora a agitação natural no trabalho com as pautas de Natal e a pressa em pautas frias para a galera que entra em recesso nesta época do ano. Muita, muita correria! Estou à base de café o tempo inteiro. E Lulu ainda não está dormindo a noite toda. Imaginem.

Mas eu não posso negar, amo essa agitação! Fico exausta, um caco, tenho quase certeza que no momento que minhas folgas começarem vou ficar doente (sim, porque minha imunidade espera eu parar para poder parar comigo), mas, ainda assim, se pudesse voltar no tempo não faria nada, nadinha diferente. Ainda marcaria mil compromissos, ainda trabalharia demais, ainda não usaria o tempo do fim de semana para descansar, sim, sim, sim.

Uma vez, na terapia, perguntei à terapeuta o que eu poderia fazer para que meus filhos não pegassem de mim essa ansiedade. Ela riu. Não tem como. Eles estão observando tudo isso desde que nasceram. A Lulu, tadinha, está nessa correria o tempo todo comigo. Para onde vou, ela vai. E é uma princesa, assim como Luquinha sempre foi um príncipe quando saíamos com ele baby.

Além disso tudo, eu amo dezembro. Ah, como amo! Amo o Natal, a trilha sonora do meu carro diariamente tem sido o cd Christmas, do Michael Buble, Amo esse clima de reunir a família, celebrar junto, dar presentes, comer bem... :) 

Então, entre a correria e agitação do mês e as delícias da melhor data do ano, eu opto ficar com os dois! <3